Amilopectina - O que é, como tomar e efeitos secundarios Blog de Fitness, Nutrição, Saúde e Desporto | Blog HSN
Home / Suplementos / Energia e Resistência / Amilopectina – O que é, para que serve, benefícios e quando tomar
Amilopectina – O que é, para que serve, benefícios e quando tomar

Amilopectina – O que é, para que serve, benefícios e quando tomar

Tomar amilopectina durante o exercício físico aporta energia rápida de fácil digestão, atrasa a aparição da fatiga, evita hipoglicemia e melhora o rendimento físico.

O que é a amilopectina?

A amilopectina é um carboidrato, e por isso trata-se de um fonte de energia, precedente dos carboidratos. Em concreto é um tipo de polisacárido, constituido por uma  estrutura ramificada formada por múltiplos unidades de glicose.

Cada molécula de amilopectina pode conter da ordem de 100.000 a 200.000 unidades de glicose. Por cada ramificação, em torno a 20-30 unidades de glicose, de modo que apresenta-se uma estrutura esférica.

A amilopectina forma parte da estrutura do almidão, um heteropolisacarido, onde pode encontrar a outro polímero: a amilasa. Aproximadamente, o almidão está formado por um 80% de amilopectina.

Carboidrato complexo

A amilopectina pertence ao grupo de carboidratos complexos. A denominação a recebem em função da existência de mais de dois polímeros de glicose.

Lembramos que a glicose é um monosacárido, ou seja, a unidade básica no qual nosso organismo vai a utilizar as estruturas de carboidratos que recebe. Em todo caso, sim existe uma estrutura polisacárida. Tal e como a amilopectina, é necessário de maneira previa, ir reduzindo sua estrutura molecular até conseguir alcançar  unidade (glicose).

amilopectina combustivel carboidrato

 

A amilopectina posui certas  particularidades na hora de ir realizando esta descomposição molecular, e assim como é absorvida pelo nosso corpo, onde reside seus efeitos beneficiosos.

Também proporciona energia de rápida e fácil digestão.

Propriedades da amilopectina

Destacam duas características com respeito a outras fontes de carboidratos:

  • Alto peso molecular
  • Baixa osmolaridade

Peso molecular da amilopectina

A primeira propriedade é um índice que nos indica o índice de degradação da estrutura molecular ao entrar dentro do nosso organismo. A maior índice menor degradação.

Pelo que, a amilopectina passa práticamente de maneira íntegra ao intestino onde é absorvida pelo organismo.

Posui um alto peso molecular, o que quer indicar o número de moléculas de glicose que serão degradados (para sua posterior conversão energética). Em este sentido, a amilopectina podia dizer que mantém um número óptimo destas. De tal forma, a amilopectina aportar um recheio eficaz e óptimo de nossas reservas de glicógenio sem alterar de maneira desproporcionada, como pode ocorrer com outro tipo de carboidratos de alto índice glicémico, nossa glicemia (insulina), e reduzindo a possível hipoglucemia posterior trás a acusada elevação de insulina.

Osmolaridade da amilopectina

A baixa osmolaridade indica que não absorve água nem fluidos estomacal, reduzindo problemas derivados, como as cãibras, e também seu passo pelo o estômago realizara de maneira muito rápida, sem produzir nenhum tipo de mal estar estomacal.

indice glicemico

 

Amilopectina, um aporte de energia para o desportista

A amilopectina, mesmo posuido um  IG elevado, não produzira o decaimento típico tais como os açucares simples. É outra razão pela qual seu aporte será beneficiado para o desportista, já que a glicose vai ser aportada firmemente ao torrente sanguíneo.

Insulina e amilopectina

O carboidrato é um macronutriente que estimula a segregação de insulina, uma hormona anabólica, e que potencia a introdução de nutrientes na célula. Em este aspeto podemos diferenciar, segundo o comportamento mais acusado desta hormona, em função de como é liberada devido ao tipo de carboidrato, ou seja, vemos como seu índice glicémico provoca em maior ou menor medida a liberação de insulina desde o pâncreas.

amilopectina no desporto

 

Assim encontramos:

  • Carboidrato simples -> alto índice glicémico -> resposta insulínica alta
  • Carboidrato complexo -> baixo índice glicémico -> resposta insulínica baixa

Mais neste caso a amilopectina, trata-se como um carboidrato complexo de alto I.G. que também, ao ser modificado enzimáticamente, adquire uma característica de energia sustentada (baixo I.G.), isto é uma resposta insulínica media.

Tipos de amilopectina

Recebe o nome de ‘Waxy Maize’ no âmbito da suplementação, contando com as fontes de carboidratos:

  • Milho
  • Cevada
  • Batata

O glicógenio, que encontra-se armazenado no nosso corpo, no fígado (glicógenio hepático) e dentro dos músculos (glicógenio muscular), é parecido, na estrutura molecular, a amilopectina.

Também, como sabemos que o maior percentagem que constitui o almidão é amilopectina, está seria precisamente a versão vegetal do glicógenio, e do qual que se opte pelo o uso destas fontes. No obstante, existem outras conhecidas, como a amilopectina de batata.

amilopectina desporto individual

 

Para que serve a amilopectina

  • Melhora o rendimento desportivo
  • Aporte energético para repor a energia gastada durante o exercício ou bem a modo de “carga” no momento de antes

O principal cometido de tomar amilopectina será pela sua eficiente carga de glicógenio muscular. Ou seja, a reposição da energia gastada procedente do substrato glucolítico trás uma actividade física. Ou bem como medida de abastecer da suficiente antes do inicio da mesma para conseguir maximizar o rendimento.

Amilopectina e rendimento desportivo

Na hora de potenciar o rendimento desportivo, a amilopectina estará relacionada com aquelas actividades onde:

  • Uso do glicógenio (alta intensidade)
  • Duração prolongada

Embora também se verá afetados aqueles desportistas que realizem atividades de alta intensidade interválica (treino HIIT) ou bem uma sessão de levantamento de cargas (pesas).

Exemplo de certas atividades ou disciplinas desportivas seriam: atletismo, CrossFit, desportes coletivos (futebol, basquet…), desportes individuais (remo, tenis…).

pos treino

 

Glicolise

Como se pode observar em todos eles, o desportista esta cometido a uma elevada carga de trabalho, onde predominara a glicólise (exercício maiormente anaeróbio). Uma via metabólica mediante a qual produz obtenção de energia de alto rendimento, a partir de glicose armazenada em os depósitos correspondentes, em forma de glicógenio, e manter o nível de exigência e intensidade, em cada momento.

Acontece que os depósitos onde armazenam-se os carboidratos são limitados. Neste caso, o ser humano dispõem de maneira aproximada, contando ao máximo nível de capacidade, um reserva de umas 2 horas. No obstante, nosso corpo ao detetar a próxima depleção energética, respondera piorando nosso rendimento “obrigando” a finalizar esta actividade.

Pode-se entender a importância de ir subministrando um aporte adequado para poder completar de maneira exitosa no evento no qual nos encontramos. De cara a poder manter o rendimento e nossas capacidades físicas.

Amilopectina para repor energia depois do treino

Segundo certos fatores tais como: o tipo de atividade, nossa condição física, o estado de nosso depósitos energéticos. Também a duração e intensidade da actividade em questão, podemos experimentar um descenso nas reservas.

Não só acontece o esgotamento do glicógenio muscular, que também vai ter lugar a mobilização do hepático. Se não são respostas de maneira óptima, pode ocorrer que em sucessivas sessões desportivas, o rendimento não vai ser o esperado.

Falam-se que em função dos fatores mencionados, pode-se alargar o tempo de reposição energética dos depósitos de 24 a 48 horas.

Amilopectina e carga de carboidratos

carga-carboidratos-amilopectina

 

A estratégia de “Carga de Carboidratos” pré-competição foi utilizada por praticamente o maior número de desportistas que afrontam um evento competitivo, dando resultados notáveis.

Este protocolo trata-se de uma produção uma “súper-compensação”, e consiste em duas partes:

  1. Os dias prévios a competição reduz-se a toma de fontes de carboidratos, quase chegando ao 0. Objetivo: conseguir a máxima depleção das reservas.
  2. Carga de carboidratos, que segundo o nível de exigência da prova, além disso da experiência em cargas anteriores, em torno a 2-4 dias prévios. Se aumentara o consumo de carboidratos, chegando a ser incluso até o 80% do total calórico que forma a dieta do desportista.

Desta maneira, busca-se aumentar as reservas de glocógenio por cima dos valores normais ou aos que está acostumado o desportista.

Papel da amilopectina na carga de carboidratos do desportista:

O papel da amilopectina na carga de carboidratos sera o de ajudar no aporte energético. O objetivo é chegar a comprimir com os requerimentos necessários durante os dias que dure a carga de carboidratos. Por outro lado, devido as propriedades da amilopectina, os desportistas não sofreram nenhum tipo de mau estar estomacal procedente da toma da mesma, sendo por tanto, um excelente recurso para ter em conta.

Durante a carga de carboidratos, a amilopectina a podemos tomar entre as diferentes refeições  que fazemos durante o dia. E assim como antes, durante e/ou ao finalizar o treino.

Amilopectina e culturismo

Os desportistas que praticam culturismo também utilizam a técnica de carga de carboidratos, já que produzem um efeito estético importante de cara para a competição.

A amilopectina também ajudara na carga de carboidratos para competição de culturismo.

amilopectina fonte energia

 

Quando tomar amilopectina

Podemos categorizar a amilopectina dentro dos suplementos de peritreino. Ou seja, para tomar em períodos antes, durante e/ou depois da sessão desportiva.

A amilopectina está destinada para aquelas actividades que precisam de manter elevados os depósitos de glicógenio para exprimir ao máximo nossa capacidade atlética.

Além disso, pelas suas características comentadas, podemos usar a amilopectina antes, durante e/o depois da actividade desportiva. Dado que vai a produzir uma recarga e aporte de energia eficientemente, dando lugar a poder manter a intensidade e duração do exercício.

Como tomar amilopectina

As propriedades que tem a amilopectina fazem como um suplemento ideal para estes momentos:

  • Antes de iniciar a actividade física (de 30 a 45 minutos previos). Desta maneira contribuímos ao recheio parcial dos depósitos de glicógenio muscular. Optimizando a posterior resposta durante o exercicio físico. A quantidade de amilopectina recomendada seria mais ou menos de  25-50g.
  • Durante o exercício físico. Se permitira repor de maneira quase instantánea a energía que vamos gastando. Assim  conseguira-se uma excelente resposta em términos de rendimento físico. Em individuos treinados se pode estimar uma depleção de glicógenio em torno a 2-3g por minuto. Assim pois, pode-se introduzir a amilopectina a modo de bebida intra-treino a razão de 25-50g cada 30 minutos de atividade a alta intensidade.
  • Depois do exercicio. Aproveitaremos que a sensibilidade insulínica encuentra-se em um máximo. Por tanto, a resíntesis de glicógenio sera a mais óptima. A quantidade de amilopectina recomendada sera mais ou menos de 50-100g.

Combinar a amilopectina com outros suplementos

A amilopectina pode combinar-se práticamente com qualquer suplemento orientado na recuperação e crescimento muscular.

proteina soro

 

  • Amilopectina com proteínas de soro. Podemos tomar um batido de pré-treino ou justo ao terminar o treino composto por proteínas de absorção rápida e amilopectina. Em uma proporção de 2:1 a favor do carboidrato
  • Amilopectina com creatina: podemos tomar um batido de amilopectina junto a creatina. Como pós-treino e para recargar tanto os depósitos de glicógenio como os de ATP. Se estamos realizando a fase da carga da creatina, sera uma das tomas a realizar. Se pelo contrario optamos por não realizar, directamente adicionaremos 1g de creatina por cada 10kg de peso corporal
  • Amilopectina com glutamina: como recuperador do esforça físico. Adicionar como pós-treino um batido composto de amilopectina junto a 5-10g de glutamina sera uma excelente opção
  • Amilopectina com suplementos de Pré-Treino

Esquema de suplementação de amilopectina:

  • Pré-Treino: 1 serviço de Suplemento Pré-Treino junto a 25-50g de amilopectina
  • Pós-Treino: 25-50g de Proteína + 50-100g de amilopectina + creatina + 5-10g glutamina

Quem pode tomar suplementos de amilopectina?

  • Desportistas que requerem um aporte extra de energia. Sobre tudo aqueles que realizam atividades de resistência ou com altas exigências energéticas
  • Pessoas que praticam desportes de resistência ou de força que vão a realizar treinos ou competições prolongadas no tempo
  • Desportistas fitness em etapa de volumem para misturar com proteínas. Para conseguir de esta forma um maior aporte de calorias que promovem o desenvolvimento muscular

desporto resistencia amilopectina

 

Efeitos secundarios da amilopectina

Um consumo controlado deste suplemento não vai a produzir efeitos secundarios importantes para o organismo.

Neste sentido, a toma de amilopectina tem que ir acompanhada com exercício físico. Aporta ao organismo uma alta quantidade de calorias ao corpo

Fontes Bibliográficas

Links Relacionados com a temática:

Valoração Amilopectina

Fonte de energía - 100%

Com que combinar - 100%

Efeitos secundários - 99%

Efetividade - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostas do nosso HSNBlog?
HSN Newsletter
Então imagina as promoções da nossa loja.

Deixa-nos os teu e-mail e terás acesso às melhores promoções temos para os nossos clientes


aceito a política de privacidade