BCAA's ou Aminoácidos Ramificados - Efeitos y Contra-indicações Blog de Fitness, Nutrição, Saúde e Desporto | Blog HSN
Home / Nutrição / Aminoácidos / BCAA’s ou Aminoácidos Ramificados – Efeitos, Contra-indicações e Como tomar
BCAA’s ou Aminoácidos Ramificados – Efeitos, Contra-indicações e Como tomar

BCAA’s ou Aminoácidos Ramificados – Efeitos, Contra-indicações e Como tomar

Com certeza já ouviu falar dos famosos Aminoácidos ramificados ou BCAAs, um produto muito recorrido no panorama fitness e assim como um elevado número de disciplinas desportivas, graças as propriedades que encerram

Sem dúvida, dentro da suplementação desportiva, tanto as Proteínas como os Aminoácidos são os produtos que maior interesse dá entre os desportistas e/ou atletas.

Nesta Guia dos BCAA vamos contar tudo o que precisa saber:

  • O que são e quais são as suas funções
  • Os seus efeitos
  • Para quem está recomendado
  • Por que e Como tomar

BCAA O que são e Para o que servem?

Os aminoácidos de cadeia ramificada ou BCAA são um trio de Aminoácidos essenciais, formados por: leucina, Valina, Isoleucina

Os aminoácidos essenciais são aqueles que o nosso organismo não é capaz de sintetizar, e devemos aportar através da dieta e/ou com a ajuda da suplementação.

leucina valina isoleucina

Integram quase um terço do total do músculo esquelético, daí a sua importância.

Os BCAA são aminoácidos muito importantes já que entre as suas funções encontram:
  • São básicos para construir massa muscular e aceleram a síntese de proteínas
  • Os aminoácidos ramificados BCAA, tomados como suplementos ou através da alimentação são absorvidos pelo intestino e transportados ao torrente sanguíneo, estando disponível nas células musculares.
  • Estimulam a secreção de insulina, que, ao mesmo tempo, acelera o transporte dos aminoácidos
  • Benéficos em momentos de um grande esforço podem diminuir a fadiga.

Quais são os BCAA?

Leucina

A leucina pode ser um dos suplementos naturais mais potentes para a construção muscular. É um ingrediente que permite a criação de massa muscular limpa, densa e sólida.a, dado o seu destacado papel na ativação da síntese de proteínas (vía mTOR).

 Isto ocorre também pela ação da capacidade da leucina a reter nitrogénio e procurar um balanço idóneo para que aconteça o anabolismo.

Leucina e Massa muscular

Sem a quantidade necessária de leucina, o resto de proteínas podem chegar a ficar sem chegar a seu usadas, já que não se executarão corretamente nos diferentes trabalhos de criação de tecidos novos.

A leucina tem a etiqueta de ser um “nutriente limitante”, já que o organismo requer dela para o correto tratamento do resto de aminoácidos

Valina

Tem um papel destacado e necessário sobre o sistema nervoso e a função cognitiva. Produz uma forte melhoria no tratamento da insónia, assim como o nervosismo. Pode melhorar certos transtornos relacionados com os tecidos musculares

Através da ingestão deste aminoácido essencial, procura-se um correto funcionamento do sistema imunitário.

para desportistas com um grande desgaste físico, pode chegar a ser bastante interessante, sendo uma peça importante para a reparação de tecidos musculares e na melhoria do metabolismo.

desportistas desgaste físico

BCAAs podem atrasar a percepção da fatiga como consequência do esforço físico prolongado

Da mesa forma, se apreciam, incrementos na resistência desportiva. O seu uso em conjunto com os outros dois BCAAs, promovem o estímulo da hormona do crescimento. Também dá energia necessária para reparar tecidos danificados durante a atividade desportiva.

Isoleucina

É um isómero da leucina. É importante para a regulação da glicose no sangue, e também está envolvido nos processos de coagulação sanguínea.

É primordial para causar uma ótima recuperaçãoo no pós-treino, sendo um pilar fundamental para pessoas com debilidade física e que podem ver a sua massa muscular comprometida no treino com cargas.

Do mesmo modo é muito necessária para manter o balanço positivo de nitrogénio.

Bcca para perder gordura

Os aminoácidos ramificados, ou nas suas siglas em inglés BCAAs (Brain Chain AminoAcids), podem chegar a ser utilizados pelo organismo ante esforços poupando glucogénio muscular

Dentro do plano desportivo muitos atletas beneficiam-se pelo impulso energético que experimentam, ajudando a incrementar a resistência e atrasando o aparecimento da fadiga. Uma opção recomendada também pelos atletas como meio de recuperação nos esforços demandantes.

Em quais alimentos se encontram os BCAAs?

De forma conjunta, os três aminoácidos essenciais, a leucina, a isoleucina e a valina se encontram principalmente nas fontes de proteínas de origem animal.

Alimentos com BCAA

Podem ser encontrados em qualquer comida que contenha proteína, tais como ovos ou carne, sendo a sua suplementação necessária em função da atividade do sujeito

Comparação BCAAs em Suplementos VS Alimentos

SuplementosBCAAsAlimentos
EvobcaasOvosFrangoPerúVitelaAtumSoja
6200mgLeucina1088mg1732mg1960mg1637mg1900mg926mg
515mgIsoleucina672mg1219mg1279mg931mg1077mg570mg
515mgValina859mg1145mg1307mg1008mg1204mg576mg
7230mgTOTAL2619mg4096mg4546mg3576mg4181mg2072mg

Tábua Comparativa entre Evobcaas da HSNsports (1 servicio) e Principais Alimentos Proteicos (por 100g)

4 Importantes Fatos sobre os BCAAs

  • BCAA para um melhor entorno hormonal anabólico

Se descobriu que através dos BCAAs não só se estimula o crescimento muscular, senão que se estabelece um entorno hormonal anabólico no corpo, dando energia para os tecidos musculares, ajudando o corpo a queimar gordura e construir massa magra simultaneamente, e reduzir os processos de recuperação e dano muscular.

A leucina independentemente, tem a habilidade de estimular  o crescimento muscular regulando um conjunto de enzimas que disparam a síntese de proteínas
  • BCAA são “anticatabólicos”

Se a síntese de proteínas é igual ou menor que a massa que se usa como energia, se produz o que denomina balanço de nitrogénio negativo, devido a sua falta de subministro energético necessário, mas incluir ao mesmo tempo por nós mesmos, devido ao nosso objetivo de eliminar a máxima gordura possível.

Os estudos demonstram que a suplementação mediante BCAAs previnem a degradação proteica. A ingestão de BCAAs prévia a exercícios intensos induz a níveis menores de creatina kinasa e cortisol
  • BCAA não precisa de digestão

Quando ingerimos suplementos de BCAA, estes são absorvidos directamente no intestino, sem necessidade de ser metabolizados no fígado, pelo que estão disponíveis através do torrente sanguíneo para las células.

  • BCAA poupando glicogénio

Uma coisa peculiar dos BCAAs é que podem servir como “doador” de nitrogénio na formação de l-alanina, a qual fornece de glicose ao corpo em situações onde o glicogénio muscular se encontra realmente mitigado.

Incluso em dietas altas em hidratos de carbono, os BCAAs serão utilizados na última instância o uso do próprio glicogénio, e apoiando por tanto a missão de melhora do rendimento e resistência física

BCAA Para Ganhar Massa Muscular

Sempre se comentou que como o nosso trabalho na criação de massa muscular devemos incorporar alimentos em fontes proteicas que contenham os aminoácidos essenciais, porém, os BCAAs são os que interferem na maioria na síntese de tecido muscular.

Os BCAAs não são simplesmente como blocos construtores e reparadores de massa muscular, se não que a sua função vai mais além, já que intervém no correto funcionamento e processo de crescimento, mais além do resto de aminoácidos.

Bcaa para massa muscular

OS BCAAs poderiam se considerar em certa parte nutrientes funcionais, já que a sua ação vai mais além da nutricional, proporcionando benefícios para a nossa saúde e dos nossos músculos.

BCAA Para Perder Gordura

Quando realizamos uma dieta hipo calórica ou (fase de definição) podemos entrar num processo catabólico, o que significa que o tecido muscular pode-se ver comprometido, basicamente porque o corpo ante a urgência de calorias necessárias, Vê-se obrigado a “se desfazer” daquele elemento que lhe suponha um lastre, ou seja, os músculos.

A teoria demonstra que se durante o exercício, o organismo detecta conteúdo elevado de aminoácidos de cadeia ramificada no torrente sanguíneo, signo significativo de destrução de tecido muscular, o corpo manda a ordem de utilizar a maior quantidade de gordura como energia, o lugar do aminoácidos.

O organismo perante a falta de calorias, é capaz de descompor as fibras musculares e obter glicose apartir da transformação previa dos aminoácidos. Sofriamos o que se pode denominar comocatabolismo, fato que para qualquer “construtor de músculo”, pretende evitar a toda custa.

A nível molecular, o corpo rompe cadeias de aminoácidos como combustível

Bcaa e Perda de gordura

O organismo tem preferência por obter energia de alguma fonte, se não é ingerida, neste caso é necessária, e sobretudo conforme o grau de definição (baixa percentagem de gordura) que se tenha, e onde deve se acentuar este processo catabólico.

Estudos demonstram que indivíduos com altas doses de BCAAs nas suas dietas correspondem com um perfil de menor grau e melhor composição corporal. A leucina incrementa o gasto energético e melhora a tolerância à glicose.

Uso dos BCAA no Desporto

Reduzir a fadiga do sistema central

Os BCAAs competem diretamente com o aminoácido essencial L-Triptófano para atravessar a barreira hematoencefálica, onde uma vez chegue ao cérebro pode ser convertido no neurotransmissor serotonina. Mediante a suplementação com BCAAs, a quantidade de Triptófano que entra no cérebro vê-se notavelmente reduzida e, por isso, diminuída a produção de serotonina

 Durante o exercício, uns 30-40 minutos, os níveis de serotonina são elevados, entre outros sucessos, incrementando a sensação de fatiga, o que se traduz numa falta de rendimento do nosso trabalho físico.

BCAA y Triptófano

Um balanço favorável para o triptófano irá produzir a sensação de sono…

Os desportistas que realizam desportos de resistência, podem se beneficiar de tomar suplementos de BCAA para reduzir a fadiga central do sistema nervoso, mantendo o esforço prolongado. Mesmo assim, pode que se veja reduzida a degradação de tecidos e favorecer a recuperação.

Acelerar a Recuperação depois do Exercício

Com certeza, alguma vez sofreu de agulhadas, conhecidas também como Dor Muscular de Aparecimento Tardio (DOOMS). As agulhadas são o resultado de roturas microscópicas nos tecidos musculares e, ainda que não podem se evitar, seria possível reduzir o tempo para se recuperar.

Os BCAA reduzem o dano muscular causado pelo treino de alta intensidade

BCAA para recperar

Quando antes consiga se recuperar do treino, antes irá poder voltar ao ginásio. Por isso, é aocnselhável tomar BCAA antes e depois da atividade física porque aceleram o processo de recuperação e o desenvolvimento dos músculos.

Como e Quando Tomar BCAA?

Existem varias estratégias para administrar este suplemento, falando da Suplementação peri-treino (antes, durante e/ou depois do exercício). No meu modo de ver, esta é a opção más importante, e tomar BCAAs em outros momentos, responde mais a uma questão opcional.

Antes de Treinar

Entre uma delas destaca a opção de ir treinar em jejum onde se verá fortemente recompensados os nossos esforços se adicionamos este tripo de aminoácidos.

Por algumas razões anteriores, o uso deles provoca uma poupança de glicogénio muscular e uma conservação dos tecidos ,se estamos praticando atividades com certo nível de intensidade.

Uma opção vai ser, a administração de 5-10g de BCAAs nos momentos prévios à realização da prática desportiva, arredor de 15 ou 20 minutos.

BCAA antes de treinar

Particularmente, opino que esta toma, excepto se trenamos em jejum, podemos substituir diretamente ao Intra-treino

Durante o Treino

Em outros casos, se o produto está presente em formato em pó, dispõe de boa solubilidade e está edulcorado, podemos utilizar o modo de bebida intra-treino, pelo que misturamos numa garrafa de água, e iremos bebendo goles curtos durante a sessão.

Nesta ordem, combinar os aminoácidos junto a um produto que nos aporta energia e hidratação de forma bastante eficaz, pode-se converter no nosso melhor aliado de cara a afrontar os retos mais intensos e demandantes.

  • Misturar: 1 doseador de Evocarbs por cada 400ml de agua + 1/2 doseadorde Evobcaas
  • Tomar: cada 45min de atividade intensa
Aqui, outra opção mais “potente”:
  • Misturar: 1 doseador de Evocarbs por cada 600ml de água + 1/2 doseador de Evobcaas + 1 doseador de Evopept
  • Tomar: cada 45min de atividade intensa

Depois do treino

Por último, uma opção pós-treino também é sumamente recomendável.

Tomar BCAAs depois de treinar, não tenham que se digerir e passem ao torrente sanguíneo, nutrindo nas células musculares. Diferente do batido de proteínas, cuja disposição será mais lenta que os aminoácidos livres, estes travam os processos de catabolismo muscular muito mais rápido.

Exercícios bcaas

Respeito a doses a ingerir, pode oscilar conforme as condições das pessoas

Incluso se depois tomamos batidos de proteínas e outros aminoácidos adicionados (como creatina ou glutamina), todo o conjunto sempre atuará em sinergia, amplificando a síntese proteica desde o final da sessão e restabelecendo o balance de nitrogénio.

Dose de Aminoácidos Ramificados

A investigação sugere que a dose recomendada de aminoácidos ramificados se situa num valor de 144 X Kg de peso corporal. Por exemplo, que uma pessoa de 80kg, precisará ingerir uns 11,5g de BCAAs.

  • Em vários estudos, dose por baixo de 3g ao dia já dão resultados significativos, mas em certos casos, uma dose arredor dos 10g para pessoa sobre 50kg de massa magra, reportam notáveis benefícios.
  • Por tanto, para fórmulas correspondentes em rácios de 2:1:1, uma quantidade sobre os 20-30gr pode ser muito benéfico, sendo dividida em várias tomas durante o dia.

Rácios do BCAA

O que é o Rácio do BCAAs?

O rácio que faz referência na quantiade de leucina, valina e isoleucina que um suplemento de bcaas oferece. Se expressa tal como:

A:B:C

onde

  • A -> quantidade de Leucina
  • B e C -> quantidade de Isoleucina/Valina

Praticamente a maioria de suplementos oferece um rácio mínimo de 2:1:1, isto é, por cada parte de valina e isoleucina, se aporta o dobro de leucina.

Que es el Ratio BCAAs

Este seria um exemplo de BCAAs Rácio 2:1:1

A Leucina foi identificada como a que melhora a Sinalização Anabólica e a Síntese de Proteína Muscular em general. Atualmente, não existe uma literatura que aclare a ciência certa, qual é o rácio óptimo. Habitualmente, este fator será de 2:1:1, devido a que é a proporção na qual se encontra o músculo esquelético.

Os produtos atuais no mercado têm uma relação de 2:1:1. 4:1:1, 8:1:1, e incluso 12:1:1

Porém, outras opções também são totalmente factíveis, encontrando no mercado, produtos com maior rácio, como os 12:1:1. Neste caso, se aposta fortemente pela leucina, como o eixo primordial dos 3 BCAAs.

Quais são e Como utilizar os Suplementos de BCAAs com diferentes Rácios?

Recomendamos utilizar os suplementos de BCAAs conforme o rácio correspondente nestes momentos:

Rácio BCAAsQuando tomar?Por que?

  • Antes / Durante o Treino

  • Melhorar recuperação (contém mesma composição músculo esquelético)

  • Antes do Treino

  • Reduzir a degradação muscular (“anticatabólico) já que compensa a degradação de leucina

  • Durante / Depois do treino

  • Para uso como construtor muscular ou anabólico (activador enzimático da síntese proteica)

Qual é o melhor rácio?

Desde a HSN, acreditamos que o rácio 12:1:1, com maior quantidade de Leucina é a melhor opção

A nossa justificação pelo elevado rácio se desde a que, em virtude das últimas investigações e investigações  realizadas:

“…De todo o interesse captado pelos BCAAs, a leucina se considera o principal inductor dos câmbios agudos na tradução de proteínas (em outras palavras, a principal encarregada de promover a síntese proteica). Neste contexto, Dreyer et al e outros estudos demonstraram que o aporte de leucina após o treino de força pode incrementar a sinalização de mTOR e a tradução (síntese) de proteínas…”

“…A leucina, em particular, é reconhecida como pedra angular que, quando se proporciona nas quantidades correctas (3-6 g) ativa o complexo mTORC1…”

Fontes Bibliográficas: 

  1. Chad M. Kerksick, Colin D. Wilborn, Michael D. Roberts, Abbie Smith-Ryan, Susan M. Kleiner, Ralf Jäger, Rick Collins, Mathew Cooke, Jaci N. Davis, Elfego Galvan, Mike Greenwood, Lonnie M. Lowery, Robert Wildman, Jose Antonio and Richard B. Kreider (2018). ISSN exercise & sports nutrition reviewupdate: research & recommendations.
  2. Drummond MJ, Dreyer HC, Fry CS, Glynn EL, Rasmussen BB (2009). Nutritional andcontractile regulation of human skeletal muscle protein synthesis and mtorc1signaling. J Appl Physiol. 2009;106(4):1374–84
Igualmente oferecemos também, a possibilidade de adquirir BCAAs nos rátios 2:1:1 e 4:1:1 para aqueles que preferem. Como sempre para nós o primeiro é a satisfação dos nossos clientes e daí que tentamos ter a maior variedade da melhor qualidade possível.

BCAAs + Glutamina

A glutamina junto aos aminoácidos de cadeia ramificada formam uma combinação sinérgica: enquanto os BCAAs são os aminoácidos mais abundantes da massa muscular, a glutamina é o mais abundante aminoácido no plasma sanguíneo e dentro das células musculares.

A glutamina, por si mesma, é essencial para o funcionamento do sistema imune e as células envolvidas em processos de regeneração e reparação.

Ao igual que os níveis de BCAAs, se demonstrou que existe uma correlação entre glutamina no corpo e o rácio de síntese de proteínas.

Função sinérgica BCAAs

Em outras palavras, marcadores elevados de glutamina, indicam anabolismo.

Manter a Homeostase

A homeostase é o fenómeno pelo que o corpo costuma manter  equilíbrio o balanço interno antes mudanças à nível fisiológico, os quais podem produzir por fatores internos ou condições ambientais. Por exemplo, irá tentar manter a temperatura corporal estável a pesar de que nos encontremos em ambientes por baixo dos OºC.

Por exemplo, tentará manter a temperatura corporal estável a pesar que nos encontremos em ambientes por baixo dos 0ºC.

Nesse sentido, quando se realizam esforços físicos consideráveis, a degradação dos BCAAs ocorre para ajudar a manter a homeostase, fornecendo carbono como uma fonte direta de energia e, ao mesmo tempo, exercendo homeostase glicolítica através da provisão de substratos para o ciclo do ácido cítrico (também chamado ciclo de Krebs, reação química no nível celular, fornecendo energia a partir da oxidação de carboidratos, gorduras e proteínas) e gliconeogênese (ciclo de glicose-alanina).

Os níveis de glutamina, plasma e músculo são esgotados após a conclusão do treinamento e podem levar várias horas para retornar aos níveis basais.

BCAAs e Glutamina

Enquanto esses depósitos são parcialmente esgotados em circunstâncias como o exercício físico ou mesmo a doença, os níveis de BCAAs permanecem mais estáveis.

Enquanto os níveis sanguíneos desta substância são altos, adaptações fisiológicas a respeito e força muscular, após o treinamento será positivo. A relação entre os dois suplementos é tão próxima que, mesmo sob condições muito exigentes, os BCAAs podem contribuir para a formação da glutamina

Reduzir o Catabolismo

A afirmação acima, pode levar a dúvida se BCAAs são degradadas durante o exercício: a realidade é que eles são continuamente restauradas, mas a partir de proteólise, que ocorre a partir da BCKA, ou ceto-ácidos de cadeia ramificada, no fígado.

BCAAs e Culturismo

Portanto, os níveis de BCAAs não diminuem, mas permanecem estáveis ​​a partir da degradação da própria musculatura.

Com o parágrafo anterior,  pode ter uma ideia do que o termo catabolismo, ou destruição da massa muscular, pode significar. No contexto culturista, tentar sempre limitar este parâmetro, por isso tende a ser completada por BCAAs, e apoiado pelo papel da glutamina. Graças a isso, uma menor degradação da oxidação da leucina é observada.

Isto ocorre porque a Glutamina tende a aumentar os níveis de NADH, e, assim, aumentar o rácio NADH / NAD +, inibindo assim BCKA desidrogenase, a enzima que é a “chave” para a oxidação de BCAA.

NADH e NAD + são conzimas participativas em processos redox (oxidorredução), funções celulares de transferência de energia, através da troca de elétrons. São processos químicos, reações de destruição e subsequente transformação. Aliás, certas referências serão deixadas para investigar mais.

Através do coingesta de ambos os nutrientes, resultados bem conhecidos são alcançados. Neste caso, o nosso desgaste será o principal cavalo-de-batalha que nos posicionará para adicionar os dois produtos para o nosso propósito. Clique abaixo se estiver interessado em adquirir Suplementos de BCAAs + Glutamina

Stack Pré-treino BCAA

Os BCAAs são muito versáteis e, entre as suas possíveis combinações com outros suplementos, você fará parte de uma “pilha” de produtos a serem executados logo antes do início do treinamento.

O objetivo deste “combo” não é outro senão fornecer elementos que afetam o desempenho desportivo, tais como:

  • Reduzir dano muscular
  • Conservar o glicogênio muscular
  • Diminuir a sensação de fadiga
  • Acelerar a síntese de ATP (esforços de alta intensidade)
  • Remover rapidamente os resíduos metabólicos
Uma combinação de suplementos que cumprem estas premissas e, que pode oferecer uns resultados satisfatórios, são:

O que são os Pulsos de Aminoácidos ou MPS?

MPS significa “Muscle Protein Synthesis”, uma estratégia de suplemento conhecida como Pulsos de Aminoácidos ou Leucina. Isto se baseia em fazer uma ingestão de 3-6g de Leucina a cada 3h, alternando as refeições sólidas, para que possamos intensificar a síntese de proteínas, aproveitando um pico de aminoácidos dos alimentos imediatamente anteriores, que estão circulando no plasma sanguíneo.

BCAAs e MPS

Imagem: https://www.bosstrength.com

Aminoácidos em cómodas tabletes mastigáveis podem facilitar este protocolo de suplementação durante o dia

Protocolo de Suplementação com BCAA “Leangains” – Jejum Intermitente

Existe um protocolo de suplementação com BCAAs para aqueles que treinam em jejum e também praticam Jejum Intermitente, e que pode dar bons resultados. Deixo aqui para quem busque introduzir novas estratégias, tanto de carácter nutricional, de suplementação e incluso de treino:

Treino em Jejum
  • Antes de treinar (aprox 15min): 10g BCAAs
  • Treino
  • Depois do treino: 10g BCAAs
  • Até a primeira comida que rompe o jejum, 10g BCAAs numa garrafa e vamos bebendo em goles
  • 1ª Comida do dia
  • 2ª Comida
  • 3ª e Última comida antes do jejum

Em quais formatos podemos comprar BCAA?

BCAAs em Tabletes Mastigáveis

Pode-se adquirir, sobretudo aquelas pessoas que preferem o transporte, são os BCAAs em tabletes mastigáveis, para tomar em qualquer momento e lugar.

BCAAs em Cápsulas ou Comprimidos

Para aquelas pessoas que preferem tomar os BCAAs em formato de cápsulas também se encontram disponível. Neste caso, costumam ser acompanhados os aminoácidos junto a um co-fator de absorção, como a avitamina B6. É uma forma muito cómoda de levar este suplemento na mochila do ginásio, e tomar antes e depois, por exemplo.

Quando se recomendam Aminoácidos em Pó ou em Cápsulas

Para quem é importante tomar BCAA?

  • Atletas ou desportistas que realizam desportos de força e musculação
  • Atletas ou desportistas que realizam desportos de resistência
  • Pessoas que estão baixo stress físico ou mental
  • Vegetarianos ou veganos
  • Pacientes com debilidade muscular
  • Pacientes submetidos na dieta

Os BCAA têm efeitos secundários, interações ou Contraindicações?

Não se conhecem efeitos secundários nem interações graves dos BCAA, além destes ocorriam tomando grandes doses superando as indicações recomendadas, algo que ninguém deveria ultrapassar. E também, possíveis efeitos secundários teriam lugar se a pessoa possui algumas condições médicas pré-existentes.

Qualidade dos BCAAs

Um ponto muito importante: como avaliar a qualidade dos suplementos de BCAA. Principalmente focamos em 2 fatores:

Matéria Prima e Método de Obtenção

De tal forma, vamos  poder encontrar no mercado “2 níveis” com respeito à qualidade dos BCAA:

  1. Pior qualidade: serão aqueles produtos cuja procedência seja questionável, como em certos produtos da competência que se utiliza o método da hidrólise a partir de pelo ou incluso penas de animais (por exemplo, pena de pato).
  2. Melhor Qualidade: e onde se encontram os produtos de BCAAs de HSN. Desde aqui apostados por utilizar de exclusivamente produtos de origem vegetal e obtemos a partir da fermentação. E também, são livres de OMG (GMO em inglês).

Dissolução dos BCAAs

Também nos serve como valor adicionado à qualidade dos suplementos de BCAAs. Por natureza, estes aminoácidos são hidrofóbicos, em poucas palavras, que não se dissolvem em líquidos. Muitos usuários experimentaram problemas com diferentes suplementos desses aminoácidos, e na hora de tomar se encontravam com um preparado com uma capa de espuma na superfície de água. Assim é dificilmente tomar os BCAAs.

Para resolver este inconveniente, a HSN utiliza em todas as suas fórmulas de BCAAs na matéria prima “instant”, com propriedades que facilitam a dissolução, incluso em água muito fria, permitindo desfrutar rapidamente dos benefícios dos BCAAs. Tanto se optamos por ingerir os BCAAs de forma isolada, assim como misturar e combinar com outros produtos, tais como os propostos no Stack de Pré-treino, ou bem com os batidos de proteínas, o resultado será o mesmo, uma dissolução rápida e cómoda.

Junto à perfeita dissolução de qualquer variedade de BCAAs disponível na HSNStore.com, se oferece una esplêndida gama de sabores:
  • Cereja
  • Cola
  • Framboesa Azul
  • Maçã
  • Laranja
  • Ananás
  • Ponche de Frutas
  • Melancia

Opinião dos especialistas sobre os aminoácidos ramificados ou BCAA

Mediante uma dieta correta, na qual se ingere a suficiente quantidade de proteína, a qual leva boas doses de BCAAs, pode ser suficiente para a maioria. Porém, devido às características do treino de cada pessoa, o seu desgaste, exigência, e também fatores assim como uma dieta que não possa ser levada sempre da melhor forma, de fato optar pela suplementação com BCAA pode-se considerar uma opção muito interessante.

E também, por todas as propriedades associadas, aquele que se encontre imerso no trabalho de perda de gordura, mantendo a máxima quantidade de musculatura, irá passar a formar parte dos suplementos que deveria ser investigado.

Obviamente, se o nível de exigência é baixo, o treino não é o adequado, a dieta não vai de acordo, falta constância…se somam a uma lista de fatores que gira em contra do objetivo. Nestes casos, é muito provável atribuir à suplementação com BCAAs a falta de resultados.

Em cambio, se és um atleta ou desportista entregado, realiza treinos verdadeiramente demandantes, leva um controle milimétrico e organizativo no teu diário de treino, então, agora é quando sentamos a falar e opinar da influência deste suplemento.

Resultados BCAAS

Os atletas que praticam atividades tão demandantes como CrossFit podem sair beneficiados do uso dos BCAAs

Comprar Aminoácidos Ramificados

Comprar aminoácidos ramificados em vários estabelecimentos especializados em nutrição desportiva. Na HSNstore, temos um vasto catálogo onde irá encontrar as melhores marcas do setor.

BCAA’s em pó ou cápsulas, aromatizados ou neutras enriquecidas com glutamina ou isoladas, com um rácio de 2:1:1, 4:1:1, 12:1:1. ¡Escolhe o produto que mais se ajuste às suas necessidades!

Estudos Recentes sobre o Uso de BCAAs para Melhorar os Marcadores de Dano Muscular

Os BCAAs estão no topo de suplementos  de evidências mais questionados, mas antes de entrar em conflitos e sentenças emocionais, seria sensato recorrer à literatura científica para comprovar as conclusões de diferentes RCTs que foram controlados e se regem pela objetividade.

O consumo de BCAAs tem se mostrado uma estratégia interessante para aumentar o desempenho em desportos de força e potência aeróbica, bem como para melhorar a recuperação, através de mecanismos induzidos pela redução de danos musculares pós-exercício.

Para apoiar esta afirmação, podemos nos referir as duas meta-análises publicadas recentemente: Rahimi et al. (2017) e Fouré & Bendahan (2017).

Ambas enfocam a revisão e análise da literatura científica disponível até a data da publicação do efeito da ingestão de BCAA na recuperação com base no controlo de marcadores de danos musculares induzidos pela prática de exercício físico.

A revisão de Rahimi é a mais completa e exaustiva, incluindo 8 RCTs após a discriminação dos critérios de inclusão em que destinadas a avaliar o efeito do consumo de BCAA na redução da fadiga muscular (MS), e as concentrações de dois marcadores séricos do dano muscular: Lactato desidrogenase (LDH) e a creatina-quinase (CK) pós-exercício e um acompanhamento tanto tempo quanto possível com os dados a partir de ensaios clínicos randomizados (até 96h em alguns parâmetros).

Os resultados mostram que os BCAAs são uma ferramenta útil para reduzir significativamente a CK em comparação com a recuperação passiva (repouso), no entanto, não foram encontrados efeitos significativos nos marcadores MS e LDH nas medições subsequentes.

Destaco as palavras “significante” porque as metanálises baseiam-se nas evidências dos parâmetros medidos e concluem com certeza que elas devem mostrar resultados positivos com um intervalo de confiança muito estreito; neste caso, devido à grande heterogeneidade dos estudos incluídos, não foi possível concluir a eficácia da administração de BCAAs sobre os marcadores de SM e LDH, porém …

Se falamos de diagramas de bosque da meta-análise, onde encontramos o tamanho da amostra dos diferentes incluídos e as suas intervenções de impacto, podemos ver como se houvesse uma tendência positiva na redução MS e LDH após a ingestão de BCAAs, Embora isso não possa ser considerado significativo, isso não significa que seja inútil.

Figura 1 - Diagrama Árvore BCAAs

Figura I. Diagrama de árvore sobre o efeito dos BCAAs vs Placebo na MS

No diagrama da árvore anterior podemos comprovar como a tendência geral  (“overall”) é favorável ao consumo de BCAAs sobre a redução de MS, sendo esta mais significativa às 24, 48 e 72h. e não mostrando diferenças após 96h pós-exercício.

Figura 2 - Diagrama Árvore BCAAs

Figura II. Diagrama de árvore sobre os efeitos dos BCAAs vs Placebo na LDH

Se olharmos para o diagrama em árvore do efeito do consumo de BCAA nas concentrações de LDH, podemos ver que, apesar da tendência de influência positiva destes sobre o marcador de danos, isto é muito ligeiro no seu efeito “global” e heterogeneidade. Os ECRs são muito significativos, por isso é lógico que os autores não tenham conseguido concluir os efeitos positivos do consumo de BCAAs sobre a LDH e, em qualquer caso, seus efeitos seriam muito leves.

Figura 3 - Diagrama Árvore BCAAs

Figura III. Diagrama de árvore sobre o efeito do BCAAs vs Placebo na CK

Mais uma vez que tem um diagrama de árvore com heterogeneidade acentuada nos resultados obtidos nos ensaios clínicos randomizados, no entanto, podemos ver como o consumo de BCAA reduz significativamente os níveis de CK como um marcador para o dano muscular ambas as medições <24h e 24h. (<24h: MD= -71.55 U.L-1, 95% CI: -93.49 to -49.60, p<0.000, n=5 ensaios e 24h: MD= -145.04 U.L-1, 95% CI: -253.66 to -36.43, p = 0.009 n=8 ensaios).

Conclusões

A conclusão é que o o consumo de BCAAs durante ou após o exercício é uma estratégia inteligente para reduzir a lesão muscular induzida por ela,  portanto, melhora na perceção de fadiga muscular e, consequentemente, um melhor desempenho nas sessões posteriores, especialmente se eles são pouco espaçado no tempo (24h).

Uma revisão de Foure & Bendahan (2017), podemos tirar conclusões semelhantes a partir da revisão anterior acrescentou que eles analisarem o efeito da dose e duração da ingestão de BCAAs em lesão muscular (EIMD). Os autores concluem o seguinte, que seria a recomendação da HSNStore apresentar para atletas que procuram o máximo de benefícios da suplementação com BCAAs sobre EIMD diminuição e aumento do desempenho:

“…Considerando estudos de índices de qualidade positiva e neutra, os benefícios da suplementação de BCAA foram observados principalmente quando as estratégias de suplementação incluiu consumo de altas quantidade de BCAAs (>200 mg kg−1 day−1 ) num contexto de baixo a moderado grau de dano muscular…”

Além disso, uma elevada frequência de consumo de BCAA (duas ou mais inesgtões diárias) e uma longa duração de suplementação (> 10 dias) ou mais em dias anteriores para exercer (pelo menos os 7 dias anteriores) parece melhorar as medidas EIMD (Fouré & Bendahan, 2017)

Fontes Bibliográficas

  1. Stipanuk MH. (2007). Leucine and protein synthesis: mTOR and beyond
  2. Jim Stoppanir, Timothy Scheett, James Pena, Chuck Rudolph and Derek Charlebois (2009). Consuming a supplement containing branched-chain amino acids during a resistance-training program increases lean mass, muscle strength and fat loss
  3. Norton LE1, Layman DK. (2006). Leucine regulates translation initiation of protein synthesis in skeletal muscle after exercise
  4. Mero A, Pitkänen H, Oja SS, Komi PV, Pöntinen P, Takala T.(1997). Leucine supplementation and serum amino acids, testosterone, cortisol and growth hormone in male power athletes during training
  5. Erdman J., Oria M., Pillsbury L. (2011). Nutrition and Traumatic Brain Injury: Improving Acute and Subacute Health Outcomes in Military Personnel.
  6. Blomstrand E. (2006). A role for branched-chain amino acids in reducing central fatigue
  7. Jordi Rabassa-Blancoa, Imma Palma-Linaresa (2017). Efectos de los suplementos de proteína y aminoácidos de cadena ramificada en entrenamiento de fuerza: revisión bibliográfica
  8. Kurpad AV, Regan MM, Raj T, Gnanou JV. (2006). Branched-chain amino acid requirements in healthy adult human subjects
  9. Carlon M. Colker, Melissa A. Swain, Bill Fabrucini, Qiuhi Shi, Douglas S.Kaiman (2000). Effects of supplemental protein on body composition and muscular strength in healthy athletic male adults
  10. Holecek M. (2002). Relation between glutamine, branched-chain amino acids, and protein metabolism. Nutrition
  11. L Breen and T A Churchward-Venne (2012). Leucine: a nutrient ‘trigger’ for muscle anabolism, but what more?
  12. Shimomura, Y. Murakami, T.Nakai, N. Nagasaki, M. Harri, R.A. (2004). Exercise Promotes BCAA Catabolism: Effects of BCAA Supplementation on Skeletal Muscle during Exercise
  13. J. Nutri Rowbottom DG, Keast D, Morton AR. (1996). The emerging role of glutamine as an indicator of exercise stress and overtraining. Sports Med.
  14. Blomstrand E, Eliasson J, Karlsson HK, Köhnke R.(2006).Branched-Chain Amino Acids Activate Key Enzymes in Protein Synthesisafter Physical Exercise
  15. Fouré, A., & Bendahan, D. (2017). Is Branched-Chain Amino Acids Supplementation an Efficient Nutritional Strategy to Alleviate Skeletal Muscle Damage? A Systematic Review. Nutrients.
  16. Rahimi, M. H., Shab-Bidar, S., Mollahosseini, M., & Djafarian, K. (2017). Branched-chain amino acid supplementation and exercise-induced muscle damage in exercise recovery: A meta-analysis of randomized clinical trials. Nutrition (Burbank, Los Angeles County, Calif.), 42, 30–36. 

Artigos Relacionados

Apreciação BCAAs Aminoácidos Ramificados

Acelerar a Recuperação Muscular - 100%

Ajuda a Ganhar a Massa Muscular - 100%

Manter a Massa Muscular - 100%

Reduzir a Aparição da Fadiga Física - 100%

Reduzir a DOMS (doenças Musculares de Ao) - 100%

100%

HSN Evaluação: 4.7 /5
Confira também
Efeitos dos BCAAs ou Aminoácidos Ramificados em Desportos de Longa Duração

O efeito ergogénico dos BCAAs ou Aminoácidos Ramificados parece ter evidência em desportos de longa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostas do nosso HSNBlog?
HSN Newsletter
Então imagina as promoções da nossa loja.

Deixa-nos os teu e-mail e terás acesso às melhores promoções temos para os nossos clientes


aceito a política de privacidade