Óleo de coco: Propriedades, Benefícios, Como tomar... Blog de Fitness, Nutrição, Saúde e Desporto | Blog HSN
Home / Nutrição / Gorduras / Óleo de Coco: Propriedades e Benefícios, Como Tomar e Usos

Óleo de Coco: Propriedades e Benefícios, Como Tomar e Usos

Índice

Hoje, decidi escrever um artigo sobre uma das fontes de gordura saturada mais importante e com mais benefícios a nível metabólico: o Óleo de Coco.

O óleo de coco é utilizado desde há milhares de anos em muitos países e culturas. Ainda que o óleo de coco seja rico em gorduras saturadas, tem uma grande quantidade de benefícios para a saúde. Além disso, é um óleo muito fácil de digerir que também ajuda a regular os níveis de lípidos no sangue.

Outras propriedades do óleo de coco são os seus efeitos anti-microbianos (tanto internos como externos) e anti-bacterianos. Se ainda não bastasse, também ajuda a reduzir o excesso de peso e pode usar-se em tratamentos de beleza, para hidratar o cabelo e a pele. Diante esta extensa quantidade de propriedades, resulta difícil entender como ainda há pessoas que são reticentes a usar o óleo de coco.

Óleo de Coco, um dos Óleos mais Naturais e com mais Benefícios para a Saúde

O óleo de coco é um dos óleos mais naturais que existem.

35 porcento de um coco está formado por óleo. Basta abrir um coco para dispor de imediato do seu óleo em grandes quantidades. Existem outros tipos de óleos, como o óleo de colza ou o de soja, que se obtém através de um longo processo de manipulação industrial.

Pelo contrário, o óleo de coco é totalmente natural e, por isso, proporcionou às populações do Sul do Pacífico uma alimentação com a qual protegeram a sua saúde do risco da diabetes, o colesterol, os ataques ao coração e os derrames cerebrais, desde há milhares de anos.

No entanto, apesar dos seus benefícios indiscutíveis, há gente que ainda continua a ser relutante a usar o óleo de coco. Isto é devido à sua alta composição de óleo gordos, que pode chegar a alcançar até 90 porcento de gorduras saturadas. Habitualmente relaciona-se estas gorduras com o risco de sofrer colesterol alto e problemas cardiovasculares.

gorduras saturadas

Esse elevado conteúdo em gorduras saturadas, quase 30g/100g de produto, são diferentes às que conhecemos habitualmente (como pode ser a de palma), já que são gorduras com um alto conteúdo de triglicéridos de cadeia média (TCM), pelo que convertem o coco num alimento único.

Ainda que a indústria alimentar e alguns especialistas nos continuam a dizer que as gorduras saturadas são um problema na dieta, pouco a pouco vamos vendo alguns “brotes verdes” alterando esta mentalidade.

O óleo de coco é totalmente natural, de elevada qualidade e tem muitos benefícios para o organismo

Mas, para aqueles aos que estes simples argumentos não chegam para convencer, basta recordar-lhes como os resultados dos estudos clínicos demonstraram as extraordinárias propriedades para a saúde do óleo de coco e os seus efeitos curativos, pelo que incluir este óleo na nossa dieta habitual fornece-nos múltiplos benefícios.

Vamos estudar detalhadamente a composição do óleo de coco, sobretudo no que se refere aos seus ácidos gordos.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Características do Óleo de Coco

A maioria dos ácidos gordos que contém o óleo de coco são os denominados óleos gordos de cadeia media (ácido láurico, ácido cáprico e caprílico) que, como podemos ver na lista anterior, constituem mais do 50 por cento do óleo de coco. Mas, por que são tão importantes os ácidos gordos de cadeia media?

Composição dos Ácidos Gordos do Óleo de Coco

O óleo de coco é, entre outras cosas:

  • Ácido láurico:44-52%
  • Ácido cáprico:6-10%
  • Caprílico:5-9%
  • Mirístico: 13-19%
  • Ácido palmítico: 8-11%
  • Esteárico: 1-3%
  • Ácido oleico (monoinsaturado): 5-8%
  • Ácido linoleico (poliinsaturado):0 – 1.%

O Ácido Láurico do Óleo de Coco actua contra as Bactérias, Herpes e os Vírus

Entre um 44 e 52% do óleo de coco está formado por ácido láurico. Uma vez que o ácido láurico entra no organismo converte-se primeiro em monolaurina. Há estudos que demonstram que o ácido láurico livre também tem capacidade anti-microbianas.

O elemento principal que atua contra os vírus e as bactérias é a monolaurina (um tipo de monoglicérido) que contém o óleo de coco. A monolaurina defende o organismo de determinados vírus, como por exemplo, do Herpes, o citomegalovirus e o vírus da gripe. A monolaurina atua localizando os vírus e tornando-os inativos.

Por outro lado, aproximadamente de seis a dez porcento dos ácidos gordos do óleo de coco compõem-se de ácido cáprico, outro ácido gordo de cadeia média com muitos benefícios para a saúde, similares aos do ácido láurico.

O Ácido Cáprico do Óleo de Coco actua contra a Clamidia e outros Vírus de Transmissão Sexual

O ácido cáprico converte-se ao entrar no organismo no monoglicérido de monocaprina. A monocaprina demonstrou ter propriedades anti-virais contra o vírus dos herpes simples e atividade anti-bacteriana contra a clamídia e outras bactérias de transmissão sexual.

Existem estudos clínicos, realizados in-vitro em 1998 e 1999, que demonstraram que a monocaprina atua contra os vírus de transmissão sexual (até mesmo o HIV), tornando-os inativos.

Em função dos resultados destes estudos, os investigadores chegaram à conclusão de que o ácido láurico e a monolaurina têm uma atividade antiviral mais elevada que o resto dos ácidos gordos de cadeia média ou os seus monoglicéridos.

Os ácidos gordos de cadeia média podem desativar os seguintes vírus:

  • Virus de HI
  • Virus do sarampo
  • Herpes simples vírus-1 (HSV-1)
  • Vírus da estomatite vesicular (VSV)
  • Vírus visna
  • Citomegalovirus
Mas os ácidos gordos do óleo de coco, além de atuar contra os vírus e as bactérias, também têm a capacidade de atuar contra os fungos.

o que é oleo de coco

O óleo de coco é rico em ácidos gordos de cadeia media

Os ácidos gordos de cadeia media são ácidos gordos que têm uma longitude de cadeia específica. Por exemplo, enquanto que um ácido gordo de cadeia longa, como o ácido esteárico, tem uma cadeia de 18 átomos de carbono, os ácidos gordos de cadeia media têm uma longitude menor (o ácido caprílico, 8 átomos de carbono; o ácido cáprico, 10 átomos de carbono e o ácido láurico, 12 átomos de carbono).

Conclusão: os ácidos gordos de cadeia media compõem-se de cadeias que oscilam entre os 8 e os 12 átomos de carbono, enquanto que os ácidos gordos de cadeia longa oscilam entre os 14 a 24 átomos de carbono. Isto é importante porque os ácidos gordos de cadeia media são os que lhes dão ao óleo de coco as suas propriedades especiais.

Os triglicéridos de cadeia média têm a capacidade de oxidar-se diretamente no fígado (evitando o seu armazenamento como gordura corporal).

O resto de ácidos gordos absorvem-se através de quilomicras que se transportam pela via linfática aos tecidos periféricos (incluído tecido adiposo) pelo que estes SIM se podem armazenar.

grafica-tcm

TCM passam à veia Porta chegando ao fígado de forma direta

Este metabolismo característico faz com que as gorduras do coco aumentem o gasto metabólico sem ter efeitos negativos sobre a gordura corporal. De facto, num estudo duplo cego, observou-se que as pessoas que consumiam um excesso calórico em forma de triglicéridos de cadeia média, aumentavam a termogénese induzida pela dieta (TID) um 12% e o seu gasto foi o dobro dos que consumiam outras gorduras

grafica-magro

Outros estudos, mostram como substituir ácidos gordos de cadeia longa pelos que se encontram no coco aumentam o gasto energético num 48% e 65% em sujeitos magros e obesos respectivamente.

grafica-obeso

Gasto calórico

Círculos fechados= Triglicéridos de cadeia média (coco). Círculos abertos= Triglicéridos de cadeia longa

O leite materno é a melhor fonte natural dos triglicéridos, ácidos gordos de cadeia média (MCT). Depois do leite materno, o óleo de coco é a melhor fonte de ácidos gordos ou triglicéridos de cadeia média (MCT).

Estes ácidos gordos têm muitos benefícios em comparação a outros tipos de gorduras, principalmente pelo facto de que não são processados pelo organismo da mesma forma que os ácidos gordos de cadeia longa (LCT).
Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Os triglicéridos dos ácidos gordos de cadeia média proporcionam um subministro mais rápido de energia ao cérebro que outro tipo de gordura.

O metabolismo normal dos ácidos gordos de cadeia longa ou LCT depende das sais biliares, que se distribuem na vesícula biliar para digerir as gorduras.

Para a digestão dos triglicéridos ou ácidos gordos de cadeia longa é necessário que os sais biliares se combinem com as enzimas num processo complexo e muito elaborado. Devido a isso, necessita-se muito tempo até que estes ácidos gordos proporcionem energia às células.

O Óleo de Coco é rico em Ácidos Gordos Ómega-3

Em todas as doenças neurodegenerativas, como acontece com o Alzheimer, têm muita importância os ácidos gordos ómega-3.
Por esta razão, os investiga-
dores estudaram se o consumo dos ácidos gordos de cadeia média MCT influi, de algum modo, na produção dos ácidos gordos Ómega-3.

Os estudos realizados ao respeito demonstram que o consumo regular de MCT aumenta a disponibilidade dos ácidos gordos ómega-3 para serem utilizados, de forma eficaz, pelo cérebro.

Um estudo realizado ao efeito sobre cães com “degeneração mental relacionada com a idade” encontrou que o tratamento e consumo diário de MCT produzia um aumento significativo de ácidos gordos ómega-3 (EPA e DHA LED) em determinadas zonas do cérebro.

No entanto, o óleo de coco não produz ácidos gordos ómega-3. Portanto, os investigadores deste estudo chegaram à conclusão de que os MCT permitem que ácidos gordos ómega-3 se soltem das reservas de gorduras existentes e se aproveitem pelo organismo.

Podem destruir os ácidos gordos de cadeia media do óleo de coco as bactérias intestinais inofensivas?

Os ácidos gordos de cadeia media e os seus monoglicéridos não têm nenhum efeito prejudicial sobre a flora intestinal, já que só atacam os micro-organismos patógenos e potencialmente perigosos.

Os investigadores comprovaram em diversos estudos clínicos realizados em 1990 e corroborados em 2016, que os micro-organismos que costumam colonizar o intestino não são atacados pela monolaurina, enquanto que estes micro organismos não resultam perigosos.

No entanto, no momento em que os micróbios causam alguma doença, como pode ser a Haemophilus influenzae, Staphylococcus epidermidis e o grupo de patologias B Streptococcus, a monolaurina atua de imediato desactivando os efeitos das bactérias. As propriedades dos ácidos gordos de cadeia media são excelentes para eliminar bactérias, vírus e fungos.

Mas devemos perguntar-nos. Como atuam sobre a saúde do coração, o colesterol e o estado dos vasos sanguíneos quando se consomem de forma frequente?

A resposta é que os seus efeitos também são positivos, pelo que o óleo de coco também oferece muitos benefícios para a saúde do coração e os vasos sanguíneos, assim como para regular de forma ideal o nível de colesterol.

A consistência do óleo de coco

O óleo de coco tem uma consistência sólida a uma temperatura ambiente de aproximadamente 23 graus Celsius. Entre os 24 e os 30 graus centígrados, o óleo de coco começa a ficar liquido e por cima dos 30 graus já está completamente líquido.

óleo de coco benefícios

Propriedades do Óleo de Coco

O Óleo de Coco é um óleo de Fácil Digestão

Os ácidos gordos de cadeia media são muito fáceis de digerir. Podem ser digeridos, incluso, sem ajuda dos ácidos biliares. Os ácidos gordos de cadeia media são solúveis em água e se transportam com facilidade até o fígado a través do torrente sanguíneo.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Os triglicéridos de cadeia média têm a capacidade de oxidar-se directamente no fígado (evitando o seu armazenamento como gordura corporal) sem requerer qualquer tipo de transformação como ocorre com os ácidos gordos de cadeia longa.

Portanto, os triglicéridos de cadeia media metabolizam-se mais rapidamente que outros tipos de ácidos gordos para a obtenção de energia, o que lhes converte numa alternativa muito interessante para os desportistas.

Além disso, graças a que são usados pelo corpo como energia, não chegam a armazenar-se em depósitos de gordura. Além disso, os ácidos gordos de cadeia média aportam uma caloria menos por cada grama em comparação com outros ácidos gordos. Devido a estas características, o óleo de coco não só aporta menos gorduras ao organismo, senão que também ajuda a perder peso.

O Óleo de Coco serve para Emagrecer

A sua característica forma de se metabolizar, faz com que as gorduras do coco aumentem o gasto metabólico sem produzir efeitos negativos sobre a gordura corporal.

Como é que o óleo de coco ajuda a emagrecer? Os ácidos gordos de cadeia média contidos no óleo e na água de coco não se armazenam como gordura corporal e, portanto, não engordam.

São usados como fonte de energia de forma imediata para o organismo. Estes ácidos gordos convertem-se em cetonas ao chegar ao fígado, que são usadas como combustível.

As cetonas são similares à glicose (açúcar). Mas as cetonas, ao contrário da glicose, não afeta os níveis de açúcar no sangue e, portanto, não produzem um excessivo aumento da insulina, como sucede no caso da glicose, pelo que são mais benéficas para a saúde.

perca de peso e óleo de coco

Outros estudos, mostram como substituir ácidos gordos de cadeia longa pelos que se encontram no coco aumentam o gasto energético num 48% e 65% em sujeitos magros e obesos respectivamente.

Os TCM podem considerar-se um alimento ou ingrediente funcional no tratamento da obesidade e o excesso de peso devido a que, tem um efeito benéfico sobre a termogénese, a oxidação das gorduras e o metabolismo.

Um estudo duplo cego, demonstrou que os sujeitos que consumiam um excesso calórico em forma de triglicéridos de cadeia media, incrementavam a termogénese induzida pela dieta (TID) num 12% e o seu gasto foi o dobro que os que ingeriam outros tipos de gorduras.

As propriedades do óleo de coco para perder peso foram confirmadas por um estudo duplo cego controlado, que se realizou em 2001 e foi publicado na revista científica “ The Journal of Nutrition”. Este estudo realizou-se sobre 78 pessoas saudáveis, mas com excesso de peso, cujo IMC (índice de massa corporal) era superior a 23.

Os participantes foram divididos em dois grupos que comeram o mesmo durante as doze semanas do estudo, salvo que a um grupo (denominado grupo M) foi-lhes subministrado diariamente 60 gramas de ácidos gordos de cadeia media e, ao outro grupo (denominado grupo L) foi-lhes subministradas 60 gramas de ácidos gordos de cadeia longa.

As pessoas de ambos grupos diminuíram de peso, mas as do grupo M perderam muito mais peso que as do grupo L. Além disso, as pessoas do grupo M perderam também maior quantidade de gordura corporal e gordura do tecido subcutâneo que as do grupo L.

Em base aos resultados deste estudo, os investigadores chegaram à conclusão de que uma dieta que inclui ácidos gordos de cadeia media (como os contidos no óleo de coco) ajuda a perder mais peso e gordura corporal que uma dieta que contém ácidos gordos de cadeia longa. Um dos maiores benefícios para a saúde do óleo de coco consiste em que pode travar os efeitos dos vírus, as bactérias e os fungos.

perder peso oleo de coco

Favorece a saciedade

Outro ponto forte do coco é o seu efeito sobre a ingestão de calorias. Na minha opinião, as dietas altas em gorduras ajudam a controlar mais a sensação de fome que as dietas altas em hidratos (sendo a quantidade de proteínas a mesma). Mais que nada pela alta palatabilidade e leque de alimentos com um alto conteúdo em hidratos.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

No entanto, uma maior densidade calórica das gorduras pode fazer com que nos excedamos de calorias facilmente (caso do óleo de oliva ou frutos secos). Quando observamos os estudos com respeito a este tema, observamos que em dietas ad libitum (comer tudo o que desejam) acontece uma menor ingestão de calorias ao aumentar a quantidade de triglicéridos de cadeia média, traduzindo-se como uma maior perda de gordura.

Realmente não há um mecanismo claro do porquê ocorre isto

Gordura e efeito hormonal

Pessoalmente pensava que se deveria ao seu efeito sobre as hormonas liberadas no aparelho gastrointestinal, em especial a colecistoquinina (CCK), uma hormona que aumenta os seus níveis com comidas altas em gordura, aumentando a sensação de saciedade. No entanto, estudos mostram que este efeito acontece quando a cadeia de ácidos gordos é superior a 11 carbonos6. Isto levou-se a pensar que talvez possa atuar sobre outras hormonas como a ghrelina ou o péptido YY, onde efetivamente, os triglicéridos de cadeia média atuam de forma benéfica sobre o segundo7.

Se diminuímos a sensação de fome entre refeições e aumentamos a quantidade de calorias que gastamos durante o dia, podemos quase garantir que incluir triglicéridos de cadeia média do coco nos ajudará a perder gordura.

reemplazo-lct-por-mct

O óleo de coco é eficaz para lutar contra os vírus, as bactérias e os fungos

Os ácidos gordos de cadeia media que contêm o óleo de coco são anti-microbianos, anti-virais e anti-fúngicos, tanto no interior do organismo como quando se utilizam mediante aplicação tópica, no exterior.

Devido a estas propriedades o óleo de coco é muito eficaz aplicado sobre a pele para tratar as infecções por fungos, as infeções vaginais por fungos e as doenças bacterianas da mucosa vaginal.

Também se pode usar como lubrificante vaginal e para la higiene íntima, já que impede o aparecimento de micróbios e fungos, assim como a molesta comichão que causam.

Além destes benefícios, o óleo de coco também tem usos como tratamento de beleza, para melhorar o estado do cabelo e da pele.

Aceite de Coco para la Salud

Óleo de coco e os problemas digestivos

Os triglicéridos de cadeia media são mais facilmente digeríveis e absorvidos que os óleos e gorduras contidos nas refeições mais comuns.

De facto, absorvem-se relativamente bem mesmo quando as secreções biliares e pancreáticas se reduzam.

As pessoas que têm desnutrição, síndrome de má absorção, fibrose quística, síndrome do intestino curto, doença celíaca e doenças hepáticas, costumam tomar ácidos gordos de cadeia media.

Os triglicéridos de cadeia media promovem a proliferação celular e ajudam a manter a mucosa intestinal, o que pode ter uma ação protetora no intestino de pessoas que padecem doenças inflamatórias intestinais ou problemas intestinais.
O óleo de coco promove ainda a produção a nível intestinal de imunoglobulina A, que exerce uma ação imunomoduladora e protetora da parede intestinal.

Propriedades do óleo de coco para o tratamento de fungos

aceite de coco y digestión

Os ácidos gordos de cadeia media contidos no óleo de coco também reduzem a atividade dos fungos, como a Candida albicans.

Vários estudos clínicos demonstraram os efeitos do ácido cáprico para lutar contra os fungos da candidiase bucal e outros tipos de fungos. Portanto, o óleo de coco pode utilizar-se de forma eficaz para o tratamento das infeções causadas por fungos.

Como podemos usar o óleo de coco para o tratamento dos fungos?

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Os usos do óleo de coco podem ser internos, para tratar as infeções causadas pelos fungos intestinais, e externos, para tratar as infeções micóticas da pele ou das membranas mucosas.

Devido à potente atividade anti-microbiana do óleo de coco, uma dúvida que pode aparecer é como saber se existe algum risco de que os ácidos gordos contidos no óleo de coco podem destruir outro tipo de bactérias, benéficas para o organismo, como as da flora intestinal.

Benefícios do Óleo de Coco

Óleo de coco e diabetes

O ácido laúrico do óleo de coco ajuda a manter uns níveis de glicose no sangue mais reduzidos em pacientes com diabetes de tipo 2.

O óleo de coco e as doenças cardiovasculares

óleo de coco doenças cardio

Durante mais de quatro décadas esteve-se a investigar em profundidade sobre a relação entre o óleo de coco consumido através da alimentação e as doenças cardiovasculares.

Os resultados das investigações foram sempre os mesmos: consumir óleo de coco tem múltiplos benefícios na saúde cardiovascular e ajuda a reduzir os fatores de risco de sofrer doenças do coração.

Um dos estudos mais importantes sobre este tema foi publicado em 1988 por Blackburn com o título “Os efeitos do óleo de coco sobre o colesterol sérico e a aterogénese”. Neste estudo chegou-se à conclusão de que o óleo de coco, se se complementa com outras gorduras como o ácido linoleico, pode travar o aparecimento da aterosclerose.

A finais dos anos noventa, os investigadores Kurup e Rajmoran levaram a cabo um estudo clínico realizado com 64 voluntários e descobriram que o consumo de óleo de coco “muda estatisticamente e de forma significativa todos os valores do colesterol (colesterol total, colesterol HDL, colesterol LDL, etc.).

Os resultados deste estudo foram corroborados noutro estudo clínico realizado em 2016. Anteriormente, no ano 1992,los investigadores Kaunitz e Dayrit informaram sobre os dados experimentais epidemiológicos correspondentes aos grupos de pessoas estudadas que incluíam o óleo de coco na sua dieta habitual: “A população que inclui o óleo de coco na sua dieta habitual não apresenta um nível elevado de colesterol nem sofre uma taxa alta de mortalidade ou morbidez por cardiopatia coronária”.

Por outro lado, Mendis, outro investigador neste tema, descobriu em 1989, após um estudo realizado ao efeito em jovens adultos de Sri Lanka, que aqueles aos que se alterou a dieta habitual de óleo de coco por outra de óleo de milho sofreram alterações prejudiciais nos lípidos.

Os participantes no estudo, ao substituir o óleo de coco pelo óleo de milho reduziram o nível de colesterol em soro num 18,7% e o colesterol LDL num 23,8%.

O problema produziu-se porque o colesterol HDL (colesterol bom) reduziu-se num 41,4 porcento, muito por baixo do valor mínimo aceitável de HDL 35 mg/dl. Devido a isso a relação LDL/HDL elevou-se a 30 porcento, o que resulta muito perigoso. Com anterioridade, o investigador Prior em 1981 demonstrou que o consumo elevado, por parte dos habitantes das ilhas, de gorduras saturadas procedentes do óleo de coco, não ocasiona qualquer tipo de efeito nocivo em quem o consome.

Finalmente, os investigadores Menáis e Hurgamandera compararam em 1990 os diferentes efeitos do óleo de coco e o óleo de soja sobre homens jovens com níveis normais de lípidos no sangue e, de novo, chegaram à conclusão de que o consumo de óleo de coco produz um aumento nos níveis de colesterol HDL (colesterol bom), enquanto que o consumo do óleo de soja diminui o nível desta lipoproteína desejada.

óleo de coco e coração

O óleo de coco é bom para o coração e os vasos sanguíneos

Os processos inflamatórios também desencadeiam o desenvolvimento da aterosclerose e, além disso, são um fator de risco para sofrer hipertensão ou um acidente vascular cerebral. Devido a isso, o óleo de coco ajuda a manter a saúde cardiovascular, previne o aparecimento de muitas doenças e pode ajudar no tratamento das mesmas. Além disso, numerosos estudos clínicos desenvolvidos nos anos 80 e 90, demonstraram como os ácidos gordos saturados contidos no óleo de coco têm efeitos positivos para regular o colesterol e reduzir o peso.

Aceite de coco y digestión

Ao contrário do que acontece com o óleo de milho e o óleo de soja, o óleo de coco aumenta os níveis de colesterol bom HDL e diminui o nível de colesterol mau LDL. Por outra lado, demonstrou-se que os efeitos anti-virais dos ácidos gordos de cadeia media é o ácido láurico podem combater determinados vírus (herpes e citomegalovirus) que favorecem a formação de depósitos nos vasos sanguíneos. Por isso, o óleo de coco mantém, de forma indireta, os vasos sanguíneos saudáveis e protege dos problemas cardiovasculares ao mesmo ajuda a reduzir o peso.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O óleo de coco previne contra a aterosclerose

Os estudos clínicos demonstraram que o herpes e o citomegalovirus desempenham um papel na formação de depósitos de ateroma nos vasos sanguíneos, e no estreitamento das artérias depois da angioplastia (New York Times de 1984).

O interessante é que o monolaurina antimicrobiana (como vimos anteriormente) desativa os efeitos do herpes e o citomegalovirus, nos casos em que o ácido láurico (ingrediente do óleo de coco) se inclui na dieta habitual.

Por tudo isso, e ao contrário do que se tinha pensado anteriormente, agora descobriu-se que as gorduras saturadas não estão diretamente relacionadas com as doenças cardiovasculares senão que, pelo contrário, determinadas gorduras saturadas, especialmente as contidas no óleo de coco, contribuem para evitar as doenças do coração.

Por tudo isso, está errado o conselho de evitar tomar óleo de coco pelas suas gorduras saturadas (supostamente perigosas) já que, pelo contrário, os ingredientes do óleo de coco não só evitam as doenças coronárias, senão que também impedem o desenvolvimento das doenças degenerativas associadas com a idade, como o Alzheimer e a demência senil.

O óleo de coco serve para tratar as inflamações crónicas

Se aumentamos o subministro do óleo de coco no nosso organismo e diminuirmos o fornecimento dos hidratos de carbono, poderemos evitar as consequências das flutuações de açúcar no sangue e os níveis excessivamente altos e não controlados de insulina. Os níveis elevados de insulina são responsáveis da obesidade causada por comer de uma forma pouco saudável.

As consequências disto não se limitam ao aumento de peso, senão que também produzem processos inflamatórios massivos no organismo e doenças associadas à inflamação crónica. Isto é muito importante já que os estudos clínicos demonstraram que as mudanças no ADN, que se produzem principalmente devido a estas inflamações crónicas, podem conduzir ao desenvolvimento de doenças, como o cancro.

O óleo de coco ajuda a tratar o Alzheimer e a demência senil

O óleo de coco melhora a função cerebral e pode chegar a aliviar os sintomas das doenças degenerativas como o Alzheimer.

Nos últimos anos a ciência está a estudar com profundidade os efeitos do óleo de coco sobre o cérebro.

óleo de coco e alzheimer

Os principais efeitos do óleo de coco sobre o Alzheimer procedem do estudo clínico realizado ao paciente Steve Newport, cujos resultados ficaram célebres a nível internacional.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Quando Steve Newport sofreu a doença de Alzheimer, a sua esposa, a doutora Mary Newport, aplicou ao seu marido um curioso tratamento que consistia em incorporar na sua dieta, de forma habitual, óleo de coco.

As provas deste estudo realizadas posteriormente confirmaram que o tratamento do óleo de coco tinha ativado a função cerebral de Steve Newport e tinha conseguido atrasar os sintomas do Alzheimer.

A necessidade da energia para a função cerebral

O cérebro humano necessita receber energia constantemente para realizar as suas atividades complexas. Se se interrompe o subministro de energia, as células cerebrais começam a morrer lentamente e aparecem graves problemas de saúde.

Quando o cérebro não recebe a energia suficiente, os sintomas mais imediatos são dor de cabeça, disfunções cognitivas e fadiga.

Se esta falta de energia se mantém durante um tempo prolongado, podem produzir-se graves doenças neurodegenerativas, entre as que se incluem o Alzheimer e a doença de Parkinson.

Glicose e energia

Para compensar a falta de energia, o cérebro necessita um fornecimento suficiente de glicose.

Pelo geral, a glicose chega ao cérebro através do sangue e é canalizada mediante uma hormona específica, graças à qual, finalmente, as mitocôndrias transformam a glicose em energia.

No entanto, por vezes produzem-se muitos problemas neurodegenerativos que impedem que este processo natural funcione e as células nervosas se tornem resistentes à insulina. A consequência disto é que as células do cérebro já não podem processar a glicose, com o qual se interrompe a contribuição de energia e as funções cerebrais começam a deteriorar-se.

Os níveis elevados de açúcar no sangue destroem as células nervosas

Quando as células do cérebro se tornam resistentes à insulina, a glicose acumula-se no cérebro e aumentam os níveis de açúcar no sangue.

Estes níveis elevados de açúcar são nocivos para o sistema nervoso e também podem causar a glicação avançada e formar os produtos finais (AGEs) que aumentam drasticamente o stress oxidativo no organismo e a formação de radicais livres destroem as células nervosas e provocam o aparecimento de doenças crónicas.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Existe alguma energia alternativa para o cérebro?

Se pudéssemos encontrar um fornecimento alternativa de energia, conseguiríamos evitar a destruição das células do cérebro ou, pelo menos, travar o desenvolvimento da doença, dependendo da fase na que se encontre.

Nesse caso poderíamos salvar as células cerebrais, ainda que fossem resistentes à insulina. Esta fonte alternativa de energia para o cérebro existe e procede de determinados ácidos gordos que podem proporcionar energia sem ter que depender dos receptores de insulina. Estes ácidos gordos encontram-se também nos ingredientes que compõem o óleo de coco.

O óleo de coco proporciona energia para as cetonas

Quando o fígado utiliza os triglicéridos dos ácidos gordos de cadeia média (MCT) que necessita para gerar energia, converte o resto em cetonas. As cetonas são transportadas diretamente ao cérebro e suprem a deficiência de glicose existente no sangue.

As células do cérebro beneficiam-se desta fonte alternativa de energia e as que estão afectadas pelo stress oxidativo ou pela falta de oxigénio também se recuperam.

Curiosamente, as cetonas geram quatro vezes mais energia que a glicose e consomem menos oxigénio. Por esse motivo, o óleo de coco é uma fonte de energia alternativa muito eficaz e pode usar-se como tratamento para a produção de energia cerebral e para a manutenção da saúde.

investigação óleo de coco

O óleo de coco contra a placa aterosclerótica

A teoria da relação entre a placa aterosclerótica e a doença de Alzheimer é cientificamente muito controvertida. Durante muito tempo os estudos clínicos relacionaram os depósitos de placa aterosclerótica com o aparecimento da doença de Alzheimer no cérebro.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Mais tarde, realizaram-se outros estudos, cujos resultados contradiziam esta teoria e afirmou-se que as placas representam apenas uma espécie de escudo para as células nervosas.

Em qualquer caso, se a formação da placa e o endurecimento das artérias tivesse algum tipo de relação com o Alzheimer, o tratamento com a ingestão de óleo de coco poderia ter muitos benefícios, já que o estudo realizado sobre cães demonstrou que o consumo de MCT pode ativar uma proteína especial que destrói a placa. Além disso, o consumo de fontes naturais, como as do óleo de coco, proporciona sempre benefícios para a saúde.

Óleo de Coco e Cancro

Entre os benefícios e as propriedades do óleo de coco destacamos que actualmente nos últimos estudos revelaram um dos seus benefícios mais importantes: o óleo de coco pode ajudar ao tratamento contra o cancro.

As pessoas que padecem cancro podem incluir na sua dieta o óleo de coco, já que subministra ao organismo calorias facilmente digeríveis, que melhoram os efeitos anti-microbianos do sistema imunológico e têm efeitos anti-inflamatórios.

Existe, até mesmo um programa específico de limpeza cetogénica que se pode realizar durante um período de três a dez dias, mediante o qual se ajuda a destruir melhor as células cancerígenas e estimula-se a produção das células saudáveis.

O óleo de coco protege contra o cancro

Como nos protege o óleo, a água e o leite de coco contra o desenvolvimento do cancro?

Para entender como é que o óleo de coco protege contra a doença do cancro, temos de explicar o funcionamento de uma célula do nosso organismo: Como funciona? A célula produz energia- mitocôndrias – ao queimar a glicose com o oxigénio. Isto denomina-se respiração celular. Mas as mitocôndrias podem danificar-se pela ação dos radicais livres, as toxinas ambientais, os vírus, ou as inflamações crónicas. Quando isto acontece, as mitocôndrias perdem a sua capacidade de respiração celular.

Ao não poder respirar, a célula muda o seu processo metabólico e produz energia através de processos de fermentação. A glicose, portanto, já não se queima com o oxigénio, senão que se fermenta sem a participação de oxigénio.

A possibilidade de que esta célula se converta em cancerosa é grande, pois o seu deterioro produz-se precisamente neste processo no qual não intervém o oxigénio. Até mesmo se o organismo dispusera do oxigénio suficiente, uma célula cancerosa não o utilizaria.

O rendimento energético durante a fermentação é, de facto, muito mais alto. Isto explica que o crescimento da metástase seja tão rápida. Por isso, os tumores do cancro podem chegar a duplicar-se durante a noite. O famoso biólogo celular Otto Warburg descobriu como atua o cancro num estudo clínico com as mudanças metabólicas típicas de uma célula com cancro e demonstrou que não é capaz de usar a respiração celular normal para produzir a energia suficiente e , por isso, utiliza processos de fermentação.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O desenvolvimento do cancro necessita açúcar

Para realizar os processos de fermentação, uma célula cancerosa necessita açúcar (glicose). Assim que se a dieta de uma pessoa contém uma grande quantidade de açúcar ou hidratos (especialmente os hidratos de carbono isolados), a célula cancerosa está sempre bem alimentada e cresce ainda mais.

As células com cancro têm na sua superfície celular dez vezes mais receptores de insulina que as saudáveis. Quantos mais receptores de insulina têm, maior quantidade de açúcar podem absorver. Portanto, uma célula com cancro pode devorar a glicose e outros nutrientes do sangue muito mais rápido que qualquer outra que esteja saudável e deixa sem nutrientes às que estão sãs. O resultado disso é que o tumor cresce e cresce e a pessoa afetada consome-se cada vez mais.

Deixar de nutrir as células cancerosas

Mas, como podemos deter o processo nocivo que causa o cancro? Dado que não podemos deixar de comer para evitar o cancro, teremos que encontrar outro remédio. A solução pode ser a chamada limpeza cetogénica. O termo “cetogénica” refere-se à formação das cetonas.

Como já explicámos antes, os ácidos gordos de cadeia média contidos no óleo de coco convertem-se no fígado em cetonas e usam-se como fonte de energia. Com ao fornecimento das cetonas, as células saudáveis não necessitam mais glicose, já que utilizam as cetonas como combustível. Uma célula com cancro não sabe utilizar as cetonas, dado que só se nutre de glicose para manter o seu incrível gasto de energia. Quando circulam apenas cetonas no sangue, a célula com cancro morre de fome e deixa de crescer.

A limpeza cetogénica

O Dr. Thomas Seyfried de Warburg efetuou um estudo sobre os níveis ótimos de glicose no sangue necessários para a destruição e tratamento das células e doença do cancro. Segundo este estudo, os níveis de glicose devem estar compreendidos entre 55 e 65 mg / dL. E os níveis de cetonas devem oscilar sobre 3 mmol / litro e por baixo de 7 mmol / litro.

Estes seriam os valores que teriamos que alcançar para realizar a limpeza cetogénica contra a doença de cancro. Mas, como podemos realizar esta limpeza cetogénica? A limpeza cetogénica é uma espécie de jejum. Durante o jejum só se deve tomar óleo de coco natural, água, aditivos antioxidantes especiais e os compostos do programa de limpeza de cólon.

A limpeza cetogénica deve ser levada a cabo num período que oscila entre os três e os dez dias. No caso de cancro com metástase, o Dr. Seyfried recomenda realizar este jejum durante dez dias completos, se a constituição da pessoa o permite.

Limpeza cetogénica com óleo de coco

De acordo com as recomendações e instruções do Dr. Seyfried, o método de limpeza cetogénica com óleo de coco para tratar a doença do cancro é o seguinte:

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
  • Tomar cada três horas duas colheres de óleo de coco por dia (um total de 8 – 10 colheres). Deve utilizar-se, preferentemente, óleo de coco orgânico e totalmente natural.
  • Beber uns 3,8 litros de água clara com antioxidantes (limão, curcumina, clorofila, erva de trigo, cevada em pó e vinagre de maçã), a cúrcuma também se pode tomar em comprimidos.
  • Tomar extrato de pimenta preta, já que aumenta a bio-disponibilidade da curcumina. Os aditivos antioxidantes protegem, dos radicais livres, as mitocôndrias das células que ainda estão saudáveis e combatem a inflamação crónica.
  • Tomar suplementos de plantas naturais para limpar o cólon e regenerar a flora intestinal e seguir um programa de limpeza de cólon incluindo argila mineral bentonita, pó de casca de psyllium, que limpa o cólon e suaviza a mucosa intestinal e probióticos (em forma de cápsulas ou líquido, com ou sem ervas) para uma limpeza completa da flora intestinal.

Efeitos do óleo de coco

O óleo de coco proporciona cetonas às células saudáveis do organismo. As cetonas só se podem usar como combustível pelas células sanas, já que as células cancerosas não as podem utilizar.

Por outro lado, o óleo de coco contribui para manter o organismo saudável, pois, graças ao ácido laúrico, reduz os processos inflamatórios.

Os ácidos gordos de cadeia média que contêm o óleo de coco e o ácido láurico têm ação anti-bacteriana, anti-viral e anti-micótico, pelo que fortalece o sistema imunológico e, além disso, regula a flora intestinal.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
As pessoas que sofrem de cancro, apresentam muitas vezes disbiose, e padecem um desequilíbrio na flora intestinal, ou podem mesmo desenvolver um fungo, pelo que o óleo de coco lhes favorece em diferentes níveis, para reduzir e travar os efeitos do cancro.

Óleo de Coco para prevenir as Caries

Reduzir ao mínimo as bactérias que causam a caries requer um cuidado exaustivo e completo que, na maioria dos casos, resulta ser muito difícil de conseguir.

Isto é devido a que a dieta atual está baseada, na maioria dos casos, em alimentos processados com um elevado conteúdo de açúcar e muito pobre em nutrientes, mas como é que isto influencia a saúde bucal?

O resultado é a diminuição das defensas. Esta situação cria o melhor caldo de cultivo para a proliferação dos germes na nossa boca, que se reproduzem rapidamente, destruindo o esmalte dental e provocando a inflamação e as caries.

Um estudo pioneiro sobre a matéria revelou agora que o óleo de coco é o melhor remédio natural na luta contra as bactérias que causam as caries.

Mas… De que modo o óleo de coco previne e cura as caries? Aqui explicamos tudo.

 

Como atua o óleo de coco para prevenir e curar as caries?

O óleo de coco é um dos alimentos mais valiosos que existem devidos aos numerosos efeitos positivos que tem sobre a saúde bucal. Possui importantes propriedades anti-bacterianas, anti-virais, anti-fúngicas e anti-parasitarias.

Devido a isso, o óleo de coco pode partilhar múltiplos benefícios para todo o organismo, que também favorece o estado dos dentes.

O principal componente do óleo de coco para promover a saúde bucal é o ácido láurico. O ácido láurico previne, de forma natural, o aparecimento das caries.

Como atua o óleo de coco contra os germes?

Que efeito tem o óleo de coco contra as bactérias? O ácido láurico contido no óleo de coco é um ácido gordo de cadeia média, que tem importantes benefícios para o organismo, principalmente lutar de forma natural contra os micróbios patógenos.

Se pudéssemos ver como são as membranas celulares das bactérias comprovaríamos que consistem numa camada muito magra e fina de gordura que, ao entrar em contacto com o ácido láurico, começa a partir-se e a dissolver-se. O resultado é a destruição das bactérias.

Como atua o ácido láurico? O ácido láurico funciona juntando-se às bactérias patógenas, destruindo-as.

Para compreender as propriedades do ácido láurico basta saber que este ingrediente forma parte do leite materno e serve para fortalecer o sistema imunológico ainda débil dos bebés.

Depois do leite materno, o óleo de coco é a fonte natural mais completa de ácido láurico.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O óleo de coco previne o aparecimento das caries dentais

Os científicos do Instituto de Tecnologia de Athlone na Irlanda puderam ver num estudo clínico como atua o óleo de coco para destruir os germes que causam as caries e a inflamação da cavidade bucal. Neste estudo, os investigadores utilizaram, junto ao óleo de coco, outros óleos que imitavam a digestão da gordura no corpo.

Posteriormente, puseram em contacto os óleos com estirpes bacterianas, como a bactéria Streptococcus mutans, que é a principal causante das caries dentais. Esta bactéria forma-se a partir da sacarose e insere-se no esmalte dental. Também se metaboliza com os hidratos em ácido láctico. Estes fatores geram na boca um habitat ótimo para que proliferem as bactérias patógenas. A Candida albicans também causa inflamação na cavidade bucal.

óleo de coco dentes

Que resultado proporcionou este estudo?

Durante este estudo clínico pode-se ver como o óleo de coco era o único em eliminar os micróbios patogénios, e favorecer a saúde bucal de forma mais natural, evitando a aparição das cáries. Também foi comprovado que o funcionamento do óleo de coco é totalmente diferente ao de um antibiótico.

Que resultados proporcionou este estudo?

O uso de óleo de coco para o cuidado da saúde bucal é uma excelente alternativa contra os produtos que utilizam aditivos químicos (como os fluoretos), sobretudo, porque o óleo de coco atua em concentrações muito baixas. Dada a crescente resistência da população aos antibióticos, é muito importante considerar se não podemos lutar contra as infeções microbianas de outra forma no futuro, como pode ser mediante o uso do óleo de coco.

E acrescentou: O sistema digestivo humano tem propriedades anti-microbianas, que estão severamente limitadas pela falta de nutrientes e substâncias vitais. Portanto, o uso de óleo de coco pode contribuir para reforçar o sistema imunológico em geral assim como evitar patógenos perigosos. Por outro lado, os benefícios do óleo de coco não se limitam à saúde bucal, senão que se estende a todo o organismo.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O flúor não protege os dentes

Os efeitos do óleo de coco para destruir os germes e os fungos forma demonstrados em estudos clínicos. Muito diferente é o caso do flúor. Até agora considerou-se que as pastas dentífricas com flúor são uma proteção para os dentes, mas não se realizou nenhuma prova irrefutável sobre isso.

Como é possível que o flúor não proteja os dentes das caries?

Os últimos estudos realizados recentemente demonstrou que o uso do flúor pode ser, até, prejudicial para os dentes, posto que uma ingestão excessiva contribui para a formação da denominada fluorose dental. Os sintomas da fluorose dental são manchas ou riscas brancas ou castanhas no esmalte dental. Em casos mais graves, pode chegar a descolorir a superfície do dente.

No entanto, isto não é unicamente um problema estético, dado que estas manchas no esmalte dos dentes também podem causar outros problemas, como acelerar as caries ou patologias ainda mais graves.

Como podemos solucionar este problema?

A resposta é clara, devemos usar mais óleo de coco para a nossa saúde bucal e reduzir, o máximo possível os produtos com flúor.

Como usar o óleo de coco para os dentes?

A inovadora combinação do óleo de coco com as enzimas digestivas pode ser uma revolução para o cuidado dental, pelo que não é de estranhar que este produto não demore muito a comercializar-se. Independentemente disto, já podemos partilhar as vantagens do óleo de coco e os seus efeitos anti-bacterianos para melhorar a saúde em geral e a bucal em particular. Para isso, basta tomar óleo de coco cada dia, já que os seus ingredientes favorecem a saúde e destroem todos os patógenos que danam a cavidade bucal.

Esta é a nossa recomendação: Toma todos os dias em jejum uma colher de óleo de coco e passa a boca por água durante uns quinze minutos, mais ou menos. Posteriormente cospe o óleo, pelo que se eliminarão todos os germes da tua boca. Seguidamente passa a tua boca várias vezes com água morna e termina, lavando os dentes em profundidade, como de costume.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Óleo de coco para Cabelo e Pele

Nos países nos que se cultiva a palma de coco, o óleo de coco virgem é muito popular e usa-se diariamente tanto para cozinhar, como com fins cosméticos, para o cuidado da pele e do cabelo.

A industria cosmética começou a usar, cada vez mais, o óleo de coco nos produtos específicos para o cuidado da pele e do cabelo. Atualmente já podes comprar este tipo de produtos no mercado.

O óleo de coco virgem penetra rapidamente na pele e proporciona uma extraordinária hidratação e um cuidado de longa duração, evitando que a pele perca a sua humidade natural. Este tipo de produto está especialmente indicado para o cuidado da pele seca ou muito seca. Se este é o teu caso, não duvides comprar um produto de gel de banho e creme hidratante para a pele elaborado à base de óleo de coco.

Pelas suas propriedades especiais, o óleo de coco tem muitos usos cosméticos além dos seus usos para a saúde. Este óleo é totalmente natural, composto unicamente de coco orgânico, e pode utilizar-se com mais garantias que as loções corporais convencionais, que incluem muitos produtos químicos.

O óleo de coco orgânico hidrata a pele de todo o corpo e garante que a mesma permaneça nutrida, suave e flexível. O seu uso está recomendado, especialmente, para tratar a pele seca ou com gretas. Para obter os máximos benefícios, podemos aplicar o óleo de coco depois de um duche quente, quando os poros da pele estão ainda abertos. Basta colocar um pouco de óleo de coco nas palmas das mãos e aplicar-lo sobre a pele de todo o corpo massajando suavemente.

O óleo de coco absorve-se muito rapidamente, deixando a pele hidratada e nutrida. O óleo de coco é o melhor hidratante para o cabelo. Recomenda-se especialmente para revitalizar o cabelo seco e desnutrido e dar-lhe mais brilho e beleza.

O óleo de coco também tem outros benefícios e usos para a saúde, pelas suas propriedades anti-virais, anti-bacterianas e os seus efeitos antifúngicos, pelo que também se pode utilizar o óleo de coco para tratar infeções, eczema e dermatites. Um dos usos mais relevantes deste óleo consiste nas suas propriedades para perder de peso e manter-se em forma, dado que este óleo reduz o apetite e consegue que o corpo queime gorduras com mais rapidez.
Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O óleo de coco virgem para eliminar a caspa

Os ingredientes contidos no óleo de coco, são especialmente benéficos para o cuidado do cabelo, já que favorecem a hidratação e brilho do cabelo. Os champôs que contêm óleo de coco nos seus ingredientes, estão indicados para as pessoas com o cabelo seco ou muito seco, já que hidratam o cabelo em profundidade.

Além disso, o óleo de coco é muito eficaz para tratar os problemas da caspa no cabelo. Os produtos cosméticos naturais elaborados exclusivamente com cocos cultivados organicamente são excelentes para hidratar a pele e o cabelo e, além disso, têm uma agradável fragrância.

Coco e dietas cetogénicas

Outro detalhe muito importante deste tipo de gorduras é o seu efeito sobre as dietas cetogénicas.

Quando seguimos uma dieta muito restringida de hidratos (por baixo de 0.5g de hidrato/kg corporal em pessoas saudáveis) acontece um processo denominado cetose. Neste tipo de dietas, o que nos interessa é sintetizar bastantes corpos cetónicos para poder manter o rendimento durante o treino.

Nos exercícios de alta intensidade, o corpo dá prioridade ao glicogénio, que se encontra em níveis por baixo do normal destas pessoas. Se aumentamos os níveis de corpos cetónicos, o corpo vai demorar mais em fazer uso da glicose como fonte de energia

Aumentar corpos cetónicos

É aqui onde entra em jogo o coco. Os triglicéridos de cadeia média (que se metabolizavam diretamente no fígado) aumentam os níveis de corpos cetónicos, pelo que o rendimento pode manter-se e até aumentar, graças a que permite aumentar a quantidade de hidratos na dieta sem sair de cetose. Uma coisa que me chama muito a atenção é que os triglicéridos de cadeia média diminuem os níveis de glicose plasmáticos8, pelo que posso tirar duas conclusões:

  1.  O coco ajuda a melhorar a sensibilidade à insulina ao favorecer o uso de gorduras como fonte de energia
  2. 2. Em dietas cetogénicas necessita-se menos gluconeogénese para manter a glicose plasmática.

Pude confirmar ambas conclusões com o seguinte estudo9 onde se conclui que as mulheres que seguiam uma dieta muito baixa em hidratos de carbono, mas introduziam triglicéridos de cadeia média perderam mais gordura e mantiveram mais massa muscular.

ccetose

Um detalhe importante, e que devemos destacar, é que as pessoas magras entram com maior facilidade em cetose que as pessoas obesas, pelo que a quantidade de proteína oxidada para gluconeogénese é muito maior10. Desta forma e em teoria, introduzir óleo de coco pode ajudar a diminuir o uso de proteína como fonte de energia, ao aumentar os níveis de cetonas (esta pode ser uma das razões pela qual se mantém a massa muscular).

Como usar o Óleo de Coco?

As aplicaçõs do óleo de coco são insuperáveis. Nos seus usos para a alimentação inclui-se todo o tipo de cozeduras para elaborar qualquer prato, fazer umas deliciosas pipocas de milho ou para temperar uma saudável salada. Não devemos esquecer as extraordinárias propriedades do óleo de coco para acompanhar qualquer dieta e conseguir emagrecer.

Além disso, também se pode utilizar como tratamento de beleza, para hidratar e cuidar a pele e o cabelo e para elaborar todos os tipos de óleos cosméticos ou desodorizantes.

Até se pode usar o óleo de coco para elaborar repelentes de insetos e parasitas para uso humano e dos animais. Em definitiva, o óleo de coco é muito versátil e admite uma multitude de usos: para a saúde, para cozinhar, como tratamento de beleza para a pele e o cabelo e, até, para emagrecer.

O óleo de coco na cozinha

Cozinhar com óleo de coco virgem, (especialmente com temperaturas que não superem o ponto de 163 ° C) é uma opção boa e saborosa, já que este tem a propriedade de que não se oxida nem se tornar tóxico como outros ao ser cozinhado, conseguindo manter os seus benefícios apesar do calor.

Aceite de coco para cocinar

Por baixo dos 25 graus, o óleo de coco pode usar-se da mesma forma que a manteiga, untando-o ou derretendo-o para misturar-lo.

O mais aconselhável é aquecê-lo em banho-maría durante uns minutos. Se vais utilizar o óleo de coco numa frigideira, pode colocar-se diretamente sem derreter e, num momento, ao superar os 25 graus centígrados, torna-se líquido. Se se vai usar por cima dos 25 graus, ao estar em estado líquido, pode-se usar da mesma forma que outros tipos de óleos.

Há que ter presente que o óleo de coco virgem possui um sabor e cheiro peculiar. Se o vamos utilizar em pratos quentes, rara é a vez que dá problema porque não aporta o aroma suficiente nem o sabor como para mascarar o resto de ingredientes.

O óleo de coco pode ser usado também para fazer fritos, já que ao absorver-se tão pouco, rara é a vez que incide no sabor dos alimentos. Ainda assim, devemos escorrer muito bem os alimentos em papel de cozinha durante uns segundos se desejamos reduzir o sabor ou o cheiro.

Também pode usar-se em guisados que requeiram pouco óleos já que o sabor do prato final varia muito pouco. Muito distinto é utilizar-lo em pratos cuja base (ingrediente principal) é o óleo.

Nestes casos, evidentemente, o guiso terá cheiro e sabor a coco e, dependendo do gosto pessoal, isto pode ser algo agradável ou não. O óleo de coco fica muito bem com os pratos asiáticos, arrozes, salteados ou woks. Também pode ser usado em receitas de pastelaria.

Graças ao seu sabor suave, doce e exótico, o óleo de coco pode ser usado como alternativa a outras gorduras menos saudáveis como natas ou óleos de pior qualidade. Aconselhamos-te que o juntes aos teus bolos em vez do óleo de girassol ou óleo para dar-lhe um toque diferente às tuas receitas. Podes usar-lo também em batidos doces, em pudins, bolachas, etc.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Na cozinha tropical todas as comidas se elaboram com óleo de coco. A polpa do coco utiliza-se como ingrediente para elaborar todo o tipo de pratos, sandes e aperitivos, enquanto que a água ou óleo de coco se utiliza para cozinhar fritar e cozinhar no forno.

Na dieta tradicional, o coco combina-se principalmente com peixes, carne, arroz, legumes e, até mesmo, frutas. Com isso proporcionamos ao corpo a totalidade das vitaminas e minerais que necessita.

Quanto óleo de coco devemos tomar?

ão podemos dar uma recomendação geral sobre a quantidade de óleo de coco que devemos incluir na nossa dieta para manter a saúde, já que isso depende das necessidades individuais de cada caso. No entanto, em função dos resultados dos estudos clínicos e da experiência pratica podem ter umas pautas aproximadas.

  • Nos casos em que o sujeito padece uma doença neurodegenerativa, pode incluir-se óleo de coco na dieta como parte do tratamento. Neste caso, a quantidade indicada seria entre 6-8 colheres diárias de óleo de coco.
  • Quando se quer ingerir óleo de coco como prevenção, a quantidade recomendada que pode-se incluir na dieta é de 4 colheres diárias aproximadamente.
Em geral, o óleo de coco tem uma influência positiva no funcionamento do cérebro, no sistema imunológico e em diversas funções orgânicas, como as do aparelho digestivo. Cada pessoa deve adequar a sua ingestão aos benefícios que observe sobre a sua saúde deste valioso óleo. Até à data, não se encontrou nenhum limite para a quantidade de óleo de coco a ingerir que cause efeitos nocivos ao organismo, pelo que não existe risco em experimentar com a quantidade de óleo de coco incluída na dieta e pode-se ir provando distintas dose até encontrar a mais adequada para cada um.

Conselho

Se se toma uma quantidade elevada de óleo de coco, recomenda-se reduzir o consumo de hidratos de carbono, açúcar, alimentos e bebidas açucaradas, pão branco, massa de trigo e arroz branco, para evitar um excesso de glicose que impeça o uso adequado e ótimo das cetonas.

Importante: Quando se consumem grandes quantidades de gordura, deve-se começar a ingestão do óleo de coco em pequenas doses, começando com uma colher diária e ir aumentando, pouco a pouco, até três colheres.

Esta ingestão gradual dará ao corpo a oportunidade de habituar-se mais e melhor ao tipo de gordura procedente do óleo de coco e beneficiar-se dos valiosos componentes que proporciona para a saúde. Se a ingestão do óleo de coco ocasiona desconfortos intestinais recomenda-se reduzir a quantidade até encontrar uma dose melhor tolerada pelo organismo e depois ir incrementando pouco a pouco a dose, até alcançar a mais adequada.

O óleo de coco deve consumir-se sempre cru. Pode agregar-se à alimentação de muitas formas: sobre uma torrada, misturado com queijo, cereais, ou iogurte. Também se pode usar como complemento, para enriquecer as sopas. Por último, outro dos seus usos mais práticos é como tempero de saladas, legumes ou batatas. É importante indicar que o óleo de coco, apesar dos seus numerosos benefícios para a saúde, não deve ser nunca utilizado como única fonte de gordura para o organismo.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Isto deve-se a que o corpo e o cérebro também necessitam do fornecimento de ácidos gordos polinsaturados. Por este motivo, também se recomenda tomar outro tipo de gordura de alta qualidade, como a proveniente dos ácidos gordos ómega-3 que podemos encontrar no óleo de linhaça ou o óleo de cânhamo.

As pessoas que sofrem de Alzheimer costumam ter problemas que o seu cérebro não consegue utilizar adequadamente a glicose como fonte de energia.

As cetonas que contém o óleo de coco estimulam a produção de energia no cérebro, reduzem os sintomas do Alzheimer e podem chegar a abrandar o curso da doença, e, incluso, a curar. O óleo de coco, por tanto, serve para prevenir e tratar o Alzheimer, e contribui a dar mais energia ao cérebro.

Produtos Derivados do Coco

Óleo de Coco Orgânico

O óleo de coco orgânico procede dos cocos recém colhidos do Sri Lanka.

O cultivo deste coco é totalmente biológico e está muito controlado, pelo que é um produto virgem, 100% natural, com múltiplos benefícios para a saúde.

O óleo de coco orgânico tem a mesma qualidade que os alimentos frescos, já que se produz por um sistema de prensado suave em frio, sem que a temperatura chegue a passar nunca os 40 graus Celsius.

O óleo de coco orgânico tem um elevado conteúdo em ácido láurico e os seus ingredientes são, principalmente, os ácidos gordos de cadeia media, também chamados MCT.

O ácido laúrico é muito valioso porque forma parte do leite materno e tem muitas propriedades positivas dentro de uma dieta equilibrada.

Estes ácidos gordos insaturados naturais têm um grande conteúdo em nutrientes, com muitos benefícios para a saúde e também para a beleza da pele e do cabelo.

Aumenta a energia, ajuda a controlar o peso, regula os açúcares no sangue, fortalecer o sistema imune e é um grande bactericida e anti-vírico natural.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Recomenda-se ainda como tratamento cosmético, especialmente para nutrir a pele e para revitalizar o cabelo seco e desnutrido.

Propriedades do óleo de coco orgânico:

  • É um óleo de coco puro, 100% virgem e em estado natural.
  • Procede do coco orgânico cultivado no Sri Lanka.
  • Obtém-se mediante um suave prensado em frio da polpa do coco recém colhido.
  • Tem níveis elevados de ácido láurico.
  • Possui um aroma e um sabor muito suave de coco.
  • O óleo de coco orgânico é um óleo livre de glúten, lactose e outros alérgicos.
  • O óleo de coco orgânico é um óleo livre de colesterol.
  • O óleo de coco orgânico não leva aditivos.
  • Outra das propriedades do óleo de coco orgânico é que é um óleo sem transgénicos.
  • É um óleo virgem, sem tratar e sem branquear.
  • O óleo de coco orgânico não se oxida, pelo que tem mais benefícios para cozinhar que outros tipos de óleo.
Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Óleo de Coco Virgem

O óleo de coco virgem é um produto totalmente natural, que se obtém a partir dos cocos cultivados organicamente e colhidos à mão. É um óleo muito saboroso e saudável e tem imensas e distintas aplicações.

Embora o óleo de coco seja rico em gorduras, é das gorduras saudáveis que são necessárias para o organismo, como se demonstrou em diferentes estudos clínicos, como o exaustivo estudo realizado em Sumatra no ano de 2004.

No Ocidente, nos países industrializados, a população sofre alterações no metabolismo lipídico devido aos hábitos de vida pouco saudáveis, como a comida rápida, o abuso dos refrigerantes de cola (com muito açúcar), o tabagismo e a vida sedentária.

Na Europa ainda não se conhece suficientemente o óleo de coco e as suas extraordinárias propriedades. Isto é devido a que muitos tipos de óleos de coco, que se vendem em grandes superfícies, estão muito processados e perdem uma grande quantidade dos valiosos ingredientes e sabor aromático próprios do coco virgem, orgânico.

Se queremos aproveitar as propriedades do óleo de coco, temos de comprar óleo de coco virgem, totalmente natural. O óleo de coco virgem é muito saudável, tem um sabor delicioso que lhe dá uma grande quantidade de aplicações para cozinhar, tanto nos pratos quentes como frios, para temperar e acompanhar todo o tipo de alimentos.

O óleo de coco virgem orgânico é totalmente natural e distinto dos óleos de coco produzidos industrialmente. Existem basicamente dois métodos para a extração de gorduras de coco, um é o dos procedimentos industriais e o outro, o dos procedimentos orgânicos e totalmente naturais, com os que se consegue um delicioso óleo de coco virgem, aromático, suave e que conserva intactas todos as propriedades saudáveis para o organismo.

Ao contrário dos óleos de coco produzidos industrialmente, o óleo de coco virgem é um produto totalmente natural.

Produz-se a partir da colheita manual dos cocos que foram cultivado de forma totalmente ecológica. Os cocos secam-se e trituram-se suavemente, de forma natural, depois da colheita. A partir daí, o coco ralado obtido é prensado a frio.

Outras etapas de processamento não são mais que a filtragem e engarrafado do óleo de coco virgem, de forma artesanal. Claro que, não são adicionados corantes nem aromatizantes, nem se realiza qualquer processo de refinado.

Devido a este processo natural de produção, o óleo de coco virgem conserva todos os ingredientes valiosos do coco, e junta aos alimentos o típico e delicioso sabor do coco.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Farinha de Coco

A farinha de coco tem um 38% de fibra dietética. Uma colher de farinha de coco e uma pequena quantidade de óleo virgem de coco proporciona ao corpo umas cinco gramas de fibra. Além disso, a farinha de coco tem um maior conteúdo de proteínas que a farinha de trigo.

A Farinha de Coco está Livre de Glúten

A farinha de coco está livre de glúten. Muitas pessoas são alérgicas ao trigo, centeio, espelta e cevada. As pessoas celíacas não podem consumir os grãos inteiros, já que lhes provocam reações alérgicas.

A farinha produzida a partir dos cocos cultivados organicamente e cuidadosamente processados oferece uma alternativa para as pessoas que são alérgicas.

A farinha de coco não tem glúten e pode ser usada na pastelaria. Alguns produtos podem-se elaborar com farinha de coco, outros requerem a mistura com outras farinhas sem glúten, como a farinha de milho, para conseguir que os bolos subam. A farinha de coco é benéfica para os diabéticos, já que reduz os níveis de açúcar no sangue.

A Farinha de coco nas Fietas baixas em Hidratos

Uma das dietas mais populares é a que consiste em reduz a ingestão dos hidratos de carbono. Denomina-se dieta baixa em hidratos e foi desenvolvida originalmente nos EUA. Nesta dieta reduz-se a ingestão dos hidratos de carbono procedentes do açúcar e do amido, enquanto que se aceitam os hidratos de carbono procedente dos legumes e das frutas.

Desta forma pretende-se evitar os hidratos, que não têm uma utilidade adicional para o corpo. Neste caso, o óleo de coco virgem é perfeitamente apropriado para a elaboração de sobremesas e pratos doces, já que se evita, com isso, o uso do açúcar.

A dieta baixa em hidratos tem efeitos positivos, já que reduz o nível de glicemia, regula os lípidos no sangue e evita o excesso de peso. Para as pessoas que seguem uma dieta baixa em hidratos, a farinha de coco é ideal.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
A farinha de coco tem um conteúdo de fibra de 38%, uma proporção de proteína de 20% e apenas um 8% de gordura. O conteúdo de hidratos é de 26%, uma quantidade muito baixa em comparação com outros tipos de farinha. Portanto, recomenda-se o uso da farinha de coco para as pessoas que seguem uma dieta baixa em hidratos. Se usas na cozinha óleo de coco virgem e farinha de coco, não só darás mais sabor aos teus pratos, senão que ganharás em bem estar e saúde.

Leite de Coco

O leite de coco é uma bebida deliciosa e saudável. Elabora-se de forma totalmente natural, à base de polpa de coco.

Os seus ingredientes principais são os ácidos gordos de cadeia média. Estes ácidos gordos proporcionam ao corpo energia, que passa a estar disponível para o organismo de imediato.

Ao contrário de outras gorduras, os ácidos gordos do leite de coco não se armazenam como gordura corporal senão que, pelo contrario, são usados diretamente como uma fonte de energia, pelo que a sua introdução na dieta pode ser uma grande ferramenta para ajudar a perder peso.

Além disso, o leite de coco tem outras propriedades para a saúde, já que serve como tratamento contra o acne e estimula o funcionamento ótimo da glândula tiroide.

O que é o leite de coco?

Em geral, costuma haver uma grande confusão com os produtos derivados do coco: água, leite, ou creme. Como podemos distinguir cada um deles?

Quando perfuramos um coco com um pequeno buraco, colocamos uma palhinha e bebemos, estamos a tomar água de coco. Se abrimos o coco, raspamos a polpa branca interior, misturamos com água quente e esprememos, obtemos leite de coco. Se deixamos macerar o leite de coco durante um dia, formará uma gordura que dará lugar ao creme de coco.

O leite de coco ajuda a proteger o coração

Durante muito tempo se desaconselhou o consumo do leite de coco, devido ao seu elevado conteúdo de gorduras, porque se supunha, erroneamente, que podia aumentar o colesterol ou as doenças cardiovasculares. Atualmente, ainda há muita gente que pensa que se deve evitar o coco e seus derivados quando se sofrem problemas cardíacos.

Todos estes rumores procedem de uma grande confusão, dado que se bem é certo que a gordura de coco eleva o colesterol, o que se deve ter em conta é que o colesterol que aumenta é o colesterol HDL, ou seja, o chamado colesterol “bom”.

O aumento do colesterol HDL reduz o risco de sofrer aterosclerose e ataques ao coração pelo que, longe de ser prejudicial, o consumo de coco é aconselhado para evitar estas doenças.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

Propriedades do Leite de Coco

Os benefícios do leite de coco e o menor perigo que leva o seu consumo para reduzir os riscos de sofrer doenças cardiovasculares, foram comprovados nos estudos epidemiológicos realizados em povoações de zonas tropicais.

Nestas zonas, o coco e seus derivados foram alimentos básicos na dieta dos seus habitantes desde há centenas de anos. Ainda que os habitantes destas povoações tropicais tiveram como único subministro de gorduras quase exclusivamente os produtos derivados dos cocos e da sua polpa, no conjunto destes indivíduos produziram-me poucos ataques ao coração ou acidentes vasculares cerebrais. Em definitiva, o leite de coco não só não prejudica senão que beneficiam a saúde cardiovascular.

O estudo clínico realizado em Kitava demonstrou que o leite de coco é saudável

A finais dos anos oitenta o científico sueco Lindenberg realizou um estudos clínico na ilha de Kitava (situada no arquipélago das islas Trobriand, em Papúa, Nova Guiné). Nesta ilha, a população baseia toda a sua alimentação em alimentos totalmente naturais, dado que apenas existe aprovisionamento de alimentos processados industrialmente. O leite de coco constitui a base da nutrição dos habitantes de Kitava.

Após um estudo profundo sobre as doenças da população de Kitava, o investigador Lindenberg, apresentou os seguintes dados:

  • Um 6% da população tinha entre 60 e 95 anos de idade
  • Apesar da idade avançada, nenhum dos habitantes de Kitava apresentava qualquer sinal de demência ou problemas de memória
  • Ao contrário do que sucede nos países desenvolvidos, em Kitava produzem-se muito poucos ataques ao coração ou derrames cerebrais

Benefícios para a saúde do leite de coco

Todos os produtos derivados do coco são benéficos para a saúde e, além disso, são muito versáteis, já que admitem o seu uso de formas muito distintas e garantem sempre um sabor delicioso.

O leite de coco ajuda a perder peso
Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
O leite de coco tem um menor conteúdo de gorduras que outros tipo de leite. Dependendo de como se dilua, pode conter aproximadamente entre um 15-22% de gordura. Mas esta percentagem continua a ser pequena se a comparamos com a do leite de vaca, cujo conteúdo em gorduras pode chegar até um 30 ou 35 porcento. Além disso, não só fornece menos gorduras senão que as suas gorduras são mais benéficas para o organismo.

Para entender este processo, vamos contar-te como funcionam os ácidos gordos que contêm os cocos e seus derivados. Os ácidos gordos que contêm o coco são os triglicéridos de cadeia média, também chamados MCT (triglicéridos de cadena media).

Estes triglicéridos MCT têm propriedades especiais, que consistem em proporcionar energia ao corpo mais rapidamente que outros tipos de ácidos gordos. Por outro lado, ao contrário de outros ácidos gordos, os MCT subministram energia aos gânglios linfáticos e ao fígado e não acumulam depósitos de gordura no corpo. Quando os triglicéridos de cadeia média entram nas células, criam-se substâncias mais pequenas às que se denominam enzimas. As enzimas unem-se com mais facilidade e podem converter-se rapidamente em energia. Portanto, os MCT “engordam” menos que outros tipos de ácidos gordos.

Esta é uma das razões pelas que os agricultores asiáticos não costumam dar coco aos seus animais, dado que o coco evita que engordem. Além disso, o coco tem um elevado conteúdo de minerais, benéficos para a saúde. Os principais minerais que podemos obter dos cocos são o fósforo, o ferro, o magnésio, o selenio, o sódio e o cálcio. O coco pode ser tomado de diferentes formas: em leite, batidos, sobremesas, sopa, etc. Com todos elas podem-se obter os benefícios dos MCT e dos minerais.

Mas também não se deve tomar em excesso, já que poderia provocar uma perda de peso maior à desejada.

Como podemos perder peso tomando leite de coco?
Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
A dose correta de leite de coco para perder peso consiste em tomar diariamente 60 ml (¼ de uma chávena). Se queres ainda tomar óleo de coco para emagrecer, deves substituir o óleo que usas de forma habitual para cozinhar, pelo óleo de coco. Mas nunca uses mais de 30ml por dia.
O leite de coco estimula a tiroide

Dado que os MCT contidos no coco estimulam o metabolismo, também melhoram o funcionamento da tiroide.

O leite de coco contém ácido láurico anti-bacteriano

Um dos ácidos gordos de cadeia media mais importantes é o ácido láurico. O leite de coco tem aproximadamente entre um 50 e um 55 porcento deste ácido gordo. O ácido láurico tem as máximas propriedades para inibir o crescimento bacteriano.

Estas propriedades mantêm-se também nos alimentos elaborados com coco. Além de manter os seus efeitos anti-bacterianos nas refeições, o ácido láurico continua a atuar no organismo após a ingestão dos alimentos

Como se realiza este processo?

Isso consegue-se do seguinte modo: o ácido láurico penetra na parede celular dos patogénicos (bactérias, fungos, vírus) até conseguir a sua destruição e morte. Mediante este processo o ácido láurico pode chegar a destruir o herpes, o vírus da gripe e os vários fungos Candida. Os cocos não necessitam refrigeração e mantêm-se a temperatura ambiente durante até um ano.

O leite de coco tem propriedades para reduzir e eliminar o acne

óleo de coco produtos

O ácido láurico anti-bacteriano que contém o coco é muito eficaz para lutar contra as bactérias do acne comum, ou seja, o Propionibacterium acnes. Como atua o ácido láurico contido no coco sobre o acne?

O ácido láurico sobrevive no aparelho digestivo, entra na corrente sanguínea e é atraído pelo sebo, introduzindo-se nos poros da pele. Uma vez ali, dissolve o sebo e reduz o crescimento das bactérias que causam o acne, conseguindo reduzir a produção excessiva de sebo.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

O Leite de Coco é melhor que o leite de vaca

O leite de vaca e os produtos derivados do mesmo obtêm-se através de um processo industrializado que nem sempre é totalmente respeitoso com os animais. Pelo contrário, a bebida de água ou leite de coco é totalmente natural, obtida da polpa do coco, sem processar e sem adulterar.

Esta bebida foi consumida desde há centenas de anos em muitos países tropicais e é um dos alimentos básicos da sua dieta. O leite de coco diluído com um pouco de água, é uma bebida muito mais saborosa e nutritiva que o leite de vaca.

Também podemos consumir leite de coco em forma de batidos, misturando-o com ananás, pêssego, manga e outras frutas. A cozinha asiática conta com numerosas receitas elaboradas com água e leite de coco, entre as que se encontram sopas, molhos e pratos de legumes e carnes.

O leite de coco é ideal para intolerância à Lactose

Uma das vantagens do leite de coco consiste em que pode ser ingerido pelas pessoas que sofrem intolerância à lactose ou à soja. O conteúdo em gordura do leite de coco é de entre 15 e 25%.

O leite de coco também de pode usar para elaborar molhos e sopas deliciosas e a água de coco usa-se para preparar cocktails, como a famosa “Piña Colada”. Para isto, devemos agitar bem o líquido antes de preparar as bebidas, para que se misture bem a gordura e a água. É muito importante comprar sempre leite de coco e água de coco que sejam totalmente naturais e orgânicos.

Escolhe sempre leite de coco de qualidade

Como sucede com a maioria dos alimentos, podemos encontrar leite de coco com níveis muito diferentes de qualidade.

Recomendamos que, em todos os casos, se escolha sempre leite de coco orgânico, já que isto garante que os cocos tenham sido cultivados sem a intervenção de produtos químicos, com um cultivo ecológico e respeitoso com o meio ambiente. O leite de coco orgânico tem uma maior proporção de coco e oferece mais benefícios para a saúde. Além disso, carece de aditivos, conservantes, espessantes nem nenhum tipo de aditivos industriais.

Una vez se aberta a embalagem do leite de coco, aconselha-se depositar-lo num recipiente de vidro de fecho hermético. Pode ser guardado no frigorífico até quatro dias. É muito mais fácil a manipulação e a dosagem do leite de coco em pó orgânico.

Neste caso, basta juntar de 2 a 3 colheres de pó num copo de água, remover e desfrutar de uma maravilhosa bebida baixa em gordura. O pó do leite de coco contém uma fibra especial chamada fibra de acácia, pelo que os benefícios do leite de coco em pó são maiores, já que aportam as propriedades adicionadas da fibra de acácia

A fibra de acácia africana é o sumo que se extrai das acácias e se seca posteriormente. Esta fibra é extraordinariamente rica em fibra solúvel. É muito suave e digerível mas, ao mesmo tempo, estimula os movimentos peristálticos intestinais. Ao tomar apenas fibra de acácia durante uns dias, obtêm-se os benefícios de uma digestão fácil e sem problemas.

A fibra de acácia tem importantes propriedades para a saúde, até mesmo para tratar com édito as doenças inflamatórias do intestino, já que tem efeitos anti-inflamatórios sobre a mucosa intestinal. Além disso, ao tomar apenas 3 colheres pó de leite, diluído em líquido, já proporciona ao organismo 20 porcento das suas necessidades diárias de fibra.

Com o leite de coco podemos realizar deliciosas receitas como:

  • Sopa de cenoura com coco
  • Sopa de abóbora com leite de coco
  • Legumes em leite de coco

Sobremesa de leite de coco com frutas

Oferecemos-te uma receita que podes realizar facilmente em casa, é uma sobremesa de frutas com leite de coco para quatro pessoas. Esta é uma das receitas mais procuradas no Facebook.

  • 500 gramas de fruta como manga, banana, morangos, framboesas, amoras, etc.
  • 400 ml de leite de coco orgânico
  • 4 colheres de mel orgânica
  • ¼ de colher de baunilha real orgânica
Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Misturar uma pequena parte da fruta com o resto dos ingredientes num liquidificador, até conseguir um creme fino. Cortar o resto da fruta em pedaços pequenos e verter por cima a mistura do molho cremoso anterior. O resultado é uma sobremesa deliciosa e saudável.

Se és alérgico ao coco, não significa necessariamente que sejas alérgico ao leite de coco. No entanto, começa por tomar uma pequena quantidade primeiro e comprova como funciona no teu organismo.

Onde comprar leite de coco?

Podes comprar leite de coco em muitos supermercados tradicionais. A melhor opção é fazer o teu próprio leite de coco: Mistura 1 litro de água com 400g de coco ralado e leva a ferver. Baixa o lume e deixa o leite repousar até que diminua a metade do seu volume. Depois usa um passador para eliminar os pequenos caroços de coco e está feito! Já tens o teu leite de coco natural para usar em receitas de cozinha.

Perguntas Frequentes sobre o Óleo de Coco

O papel das gorduras na alimentação, São boas as gorduras?

Até há pouco tempo, pensava-se que uma dieta saudável devia ser necessariamente baixa em calorias e baixa em gorduras. Pensava-se que esta era a forma de evitar a obesidade e os transtornos metabólicos, assim como de prevenir os acidentes vasculares cerebrais e os ataques de coração. Além disso, pensava-se que as gorduras, de qualquer tipo, aumentavam o colesterol.

O consumo de gorduras e calorias deve ajustar-se necessariamente ao nível de gasto energético de cada pessoa. Se uma pessoa tem uma forte atividade física, não sofrerá obesidade. Por outro lado, para que se produza a obesidade é irrelevante se as calorias procedem das gorduras, das proteínas ou dos hidratos de carbono.

Este dado é conhecido no setor pecuário desde há anos, já que utilizam os hidratos de carbono para conseguir o aumento de peso dos animais.

É bom tomar Óleo de Coco?

Os efeitos das gorduras sobre os niveles do colesterol e triglicéridos no sangue conhecem-se hoje em dia com mais profundidade, dado que se sabe que existem duas formas diferentes de colesterol (o colesterol LDL e o colesterol HDL).

O colesterol HDL demonstrou ser bom e favorável para o organismo. No caso do óleo de coco, acontece que as gorduras que contêm produzem o colesterol bom ou HDL.

Óleo de Coco
Fonte de triglicéridos de cadeia media (MCT's). Pode-se usar diretamente para cozinhar ou como ingrediente em muitas receitas. COMPRAR AO MELHOR PREÇO

É bom fritar o óleo de coco?

Na cozinha, os ácidos gordos saturados (como os do óleo de coco) são melhores que os insaturados para fritar e muito mais saudáveis, já que resistem às altas temperaturas, enquanto que os ácidos gordos insaturados se oxidam com muita rapidez.

Por esta razão, muitos óleos vegetais, são só adequados para pratos frios, mas não para cozinhar, fritar ou fazer no forno. Normalmente, quando se fala dos ácidos gordos saturados só se pensa nos que têm procedência animal, mas esquece-se que o óleo de coco virgem, que é de origem vegetal, tem uma alta proporção de ácidos gordos saturados.

O óleo de coco virgem, orgânico e natural tem ingredientes muito valiosos para o organismo, e é muito melhor e mais saudável que os óleos processados industrialmente.

O óleo de coco tem a proporção mais alta de ácidos gordos saturados (90%) e contém um ingrediente muito valioso, o ácido láurico. Em quanto à sua utilização na cozinha, o óleo de coco virgem é ideal para cozinhar e pode-se utilizar a temperaturas muito elevadas sem perigo de que se deteriore ou se oxide (como sucede com outros tipos de óleos).

Tomar Óleo de Coco aumenta o Colesterol?

O colesterol HDL, chamado “colesterol bom”, é necessário para as células do corpo, para os músculos e para o coração. Este é o tipo de colesterol que podemos encontrar no óleo de coco. O óleo de coco não gera, em nenhum caso, o colesterol mau ou LDL, vinculado ao risco de sofrer uma doença cardiovascular.

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
Por outro lado, os níveis de colesterol não dependem só da alimentação e a dieta, senão que também se podem alterar por outras causas, como o tabagismo, o stress e a vida sedentária.

As gorduras trans prejudicam o desenvolvimento das crianças?

Os ácidos gordos trans têm efeitos negativos no crescimento das crianças e também prejudicam o normal funcionamento da memória. A margarina contém uma quantidade elevada de ácidos gordos trans Pelo contrario, os ácidos gordos saturados (contidos no óleo de coco) não são prejudicais para a saúde. Basta recordar que o leite humano tem aproximadamente um 50% de gordura saturada e é sem dúvida um alimento natural e inofensivo.

As falsas afirmações sobre o óleo de coco

mitos do óleo de coco

As mentiras sobre o óleo de coco chegaram a manter-se até aos nossos dias, sendo ainda muitas as pessoas e, até médicos e nutricionistas, os que manifestam a sua desconfiança para com o óleo de coco, devido aos ácidos gordos saturados que se incluem na sua composição.

Em definitiva, estas pessoas caíram na trampa dos produtores do óleo de soja, de girassol ou de colza, que não querem que o consumidor prove um produto muito mais saudável que o que eles fabricam, posto que correm o risco de diminuir as suas vendas.

No entanto, tanto o óleo de soja, como o de colza ou o de girassol estão processados industrialmente e são pouco saudáveis e perigosos, ao contrário do que sucede com o óleo de coco, que é totalmente natural e saudável, tal e como tivemos a oportunidade de comprovar.

O verdadeiro perigo da difamação da que foi vítima o óleo de coco, radica em que se está a desviar a atenção do consumidor sobre o problema principal, que está nos óleos de soja, colza ou girassol procedentes de ácidos gordos insaturados, gorduras hidrogenadas e gorduras trans submetidas a um processo industrial, que supõem um verdadeiro perigo para a saúde dos consumidores.

Portanto, é muito melhor um óleo natural e delicioso, como o óleo de coco, que é totalmente orgânico e prensado em frio, que as gorduras procedentes dos ácidos gordos insaturados (contidos no óleo de colza, óleo de soja e óleo de girassol).

Falsas crenças sobre as gorduras e o óleo de coco

  • Falsa crença: Os ácidos gordos saturados e insaturados não são adequados para uma alimentação saudável.
  • O certo é: Isto não é verdade. Esta informação obedece a uma campanha publicitária de desprestígio dirigida pelos produtores da margarina e a manteiga que temiam que as suas ventas se reduziram ao ter que competir com o óleo de coco.
A realidade é que só o óleo de coco virgem pode produzir o aumento do colesterol bom ou HDL na quantidade desejada. Este efeito se deve a alta proporção do ácido láurico, que contém o óleo de coco e que chega arredor do 50%.
  • Falsa crença: As gorduras insaturadas (presente no óleo de milho e no óleo de girassol) são sempre benéficas para a saúde.
  • O certo é: Isto não é verdade, ainda que os ácidos gordos insaturados são indispensáveis para o organismo e precisamos aportar com a alimentação, se se consumem em excesso podem chegar a causar danos e desencadear processos inflamatórios no corpo.
O excesso de ácidos gordos insaturados podem ocasionar o aparecimento de radicais livres, que prejudicam o organismo. Por outro lado, o consumo excessivo de gorduras insaturadas pode ocasionar o aparecimento dos ácidos gordos trans, que são realmente prejudiciais para a saúde.

Pelo contrario, os ácidos gordos saturados que contém o óleo de coco virgem nunca se converterão em gorduras trans. A margarina é um dos produtos que maior quantidade de ácidos gordos trans pode produzir. Estes ácidos gordos trans também podem gerar colesterol mau e radicais livres.

O óleo de coco pode formar tumores gordos?

Um ateroma ou quisto sebáceo é um nódulo benigno gordo que se forma principalmente no coro cabeludo, atrás das orelhas ou no ventre. Estes quistos estão cheios de gordura e são benignos. Poderia pensar-se que os quistos estão formados por gordura saturada “má” que se deposita em alguma parte do corpo.

Mas isto não é bem assim, nem muito menos. A análise química de um ateroma demonstrou que está composto aproximadamente por um 40 porcento de ácidos gordos polinsaturados, de mais de um 30 porcento de ácidos gordos monoinsaturados.

Em total, os ácidos gordos insaturados são de 70 porcento e, no entanto, apenas um 25 porcento está composto de gordura saturada.

Conclusão: os quistos sebáceos não contêm os ácidos gordos típicos do óleo de coco, pelo que o óleo de coco não produz tumores gordos.

Pelo contrario, o óleo de coco tem inumeráveis usos cosméticos. Utiliza-se para melhorar o estado do cabelo e a pele. Em quanto à pele, ajuda a manter-la hidratada. Pelo que respeita ao cabelo, o óleo de coco ajuda a manter-lo nutrido e usa-se, sobretudo, como tratamento para reparar o cabelo seco e sem brilho.

Os interesses da industria alimentar tentam ocultar os benefícios do óleo de coco

coco e industria

A maioria das propriedades enumeradas do óleo de coco conhecem-se desde há décadas, como demonstram os dados dos estudos clínicos referidos.

No entanto, existem fortes interesses da industria alimentar e dos produtores que vendem óleos industriais parcialmente modificados geneticamente, como o óleo de colza ou o óleo de soja, que não querem perder a sua quota de mercado.

Os produtores deste tipo de óleos, pouco saudáveis, emitem todo o tipo de mentiras sobre o óleo de coco, com tal de evitar a diminuição da venda dos seus produtos (menos saudáveis e muito mais caros).

Durante mais de três décadas, o óleo de coco sofreu todo o tipo de difamações, cuja origem procede dos monopólios de óleo de soja e colza dos EUA, que não quer perder a sua quota de mercado. Mas, como começou a difamação contra o óleo de coco?

Mas, quando começou a difamação contra o óleo de coco?

O óleo de coco: vítima das mentiras e da desinformação

A finais de 1950 um investigador em Minnesota proclamou que as gorduras vegetais hidrogenadas eram a causa do aumento das doenças do coração. Os produtores do óleo destinado à alimentação, diante o temor pela perda de vendas, alegaram que o problema só se produzia nas gorduras hidrogenadas procedentes dos ácidos gordos saturados.

<blockquote>Ao mesmo tempo, outro investigador de Philadelphia publicou que o consumo de ácidos gordos polinsaturados produzia a redução dos níveis de colesterol. Frente a esta publicação, os produtores da indústria do óleo comestível desviaram a atenção, atribuindo o carácter nocivo às “gorduras saturadas</blockquote>

Óleo de Coco
Energia eficiente procedente dos triglicéridos de cadeia media (MCT's). Apoio ao rendimento físico. COMPRAR AO MELHOR PREÇO
No entanto, o processo industrial que seguem as gorduras não saturadas é muito mais perigoso, já que, devido à volatilidade destas gorduras, há um enorme risco de que os produtos acabem por degradar-se e converter-se em substâncias nocivas que possam desencadear perigosas gorduras trans.

Ainda assim, naquela época isto todavia não se conhecia. Naquela época desacreditaram-se injustamente as gorduras saturadas (incluindo o óleo de coco, o óleo de palma e o óleo de amêndoas).

Isto obrigou incluir um etiquetado em todos os produtos que continham óleo de coco ou óleo de palma. A forte industria alimentar dos EUA catalogaram os óleos tropicais (procedentes de outros países) como “não desejados” com a clara intenção de evitar que os consumidores consumissem esses produtos, por interesses puramente económicos.

O óleo de coco no foco da industria do óleo de soja

Diante a ameaça de que o óleo de coco suponha uma competência contra ao óleo de soja, os produtores do óleo de soja lançaram uma campanha de desprestigio contra o óleo de coco e outros óleos tropicais, que não obedeciam em nenhum modo às suas verdadeiras propriedades, senão aos seus interesses como monopólio.

Os estudos clínicos que foram realizados até 2016 demonstraram que o óleo de coco é muito melhor para a saúde que outros tipos de óleos, como o de soja, o de colza ou o de girassol.

Conclusões

Em suma, a suplementação com triglicéridos de cadeia média pode ser de grande interesses em pessoas que estão há bastante tempo em dieta hipocalórica sem REFEEDs (metabolismo mais lento), mas em especial para aquelas pessoas que estão num estado de cetose e querem aumentar o rendimento ou a cetoadaptação.

Em pessoas obesas também pode ser de interesse ao melhorar o metabolismo das gorduras e reduzir os níveis de glicose plasmática

Espero que este artigo vos ajude a ter uma visão mais otimista das gorduras saturadas e das funções que cumprem a nível fisiológico. Um abraço.

Se queres comprar Óleo de Coco al melhor preço e com uma melhor qualidade, visita nossa loja on-line.

Fontes

  1. Physiological effects of medium-chain triglycerides: potential agents in the prevention of obesity.St-Onge MP1, Jones PJ.
  2. Enhanced postprandial energy expenditure with medium-chain fatty acid feeding is attenuated after 14 d in premenopausal women
  3. Thermogenesis in humans during overfeeding with medium-chain triglycerides.Hill JO1, Peters JC, Yang D, Sharp T, Kaler M, Abumrad NN, Greene HL.
  4. Postprandial thermogenesis in lean and obese subjects after meals supplemented with medium-chain and long-chain triglycerides.Scalfi L1, Coltorti A, Contaldo F.
  5. Covert manipulation of the ratio of medium- to long-chain triglycerides in isoenergetically dense diets: effect on food intake in ad libitum feeding men.Stubbs RJ1, Harbron CG.
  6. Fatty acid chain length determines cholecystokinin secretion and effect on human gastric motility.McLaughlin J1, Grazia Lucà M, Jones MN, D’Amato M, Dockray GJ, Thompson DG.
  7. Release of peptide YY and inhibition of gastric acid secretion by long-chain and medium-chain triglycerides but not by sucrose polyester in men.
  8. Effects of diet high in medium-chain triglyceride on plasma ketone, glucose, and insulin concentrations in enterectomized and normal rats.Nakamura T1, Yoshihara D, Ohmori T, Yanai M, Takeshita Y.
  9. Value of VLCD supplementation with medium chain triglycerides.M Krotkiewski
  10. Differences in fat, carbohydrate and protein metabolism between lean and obese subjects undergoing total starvation
Hoje, decidi escrever um artigo sobre uma das fontes de gordura saturada mais importante e com mais benefícios a nível metabólico: o Óleo de Coco. O óleo de coco é utilizado desde há milhares de anos em muitos países e culturas. Ainda que o óleo de coco seja rico em gorduras saturadas, tem uma grande quantidade de benefícios para a saúde. Além disso, é um óleo muito fácil de digerir que também ajuda a regular os níveis de lípidos no sangue. Outras propriedades do óleo de coco são os seus efeitos anti-microbianos (tanto internos como externos) e anti-bacterianos. Se ainda não bastasse, também ajuda a…

Avaliação Óleo de Coco

Avaliação Óleo de Coco para Emagrecer - 100%

Problemas Digestivos - 100%

Óleo de Coco contra as Caries - 100%

Eficácia - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5

Check Also

Óleo de Krill – Propriedades e Benefícios

Índice1 O que é Óleo de Krill?1.1 O incrível óleo de krill1.2 O óleo de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostas do nosso HSNBlog?

Então imagina as promoções da nossa loja.

Deixa-nos os teu e-mail e terás acesso às melhores promoções temos para os nossos clientes


aceito a política de privacidade


Não obrigado, não quero aproveitar as promoções