10 Produtos
  • ALPHA-GPC (L-ALFA-GLICERILFOSFORILCOLINA) 300mg - 120 veg caps - HSN Essentials
    Novo
    Fornece 300mg de L-alfa-glicerilfosforilcolina para cada cápsula vegetal. Adequado para vegetarianos e vegans. A forma mais assimilável da colina.
    SG SL V VG SC CA OGM
    Até 60% + 10% extra em pedidos superiores a 45€
    20,93 €
    34,89 €
    -40%
      13,96 €
    Em stock, envio grátis
  • EPATIK DETOX 250ml - Drasanvi
    Oferta Especial
    Fórmula de ingredientes à base de extratos de plantas para promover uma função hepática normal.
    SG
    11,39 €
    14,65 €
    -22.29%
      3,26 €
    Em stock, envio grátis
  • 320mg de silimarina e 90mg de colina, com vitaminas e minerais.
    18,38 €
    22,90 €
    -19.74%
      4,52 €
    Em stock, envio grátis
  • Ajuda metabolizar a gordura. Colina, inositol e vitaminas do grupo B.
    De
    8,90 €
    Ao adicionar
    ao carrinho
    >>>
    8,01 €
    Em stock, envio grátis
  • (1)
    Importantes vitaminas do grupo B
    10,90 €
    Sem stock
  • 500mg de Colina e Inositol em cada cápsula vegetal.
    SG SL V
    De
    10,90 €
    Sem stock
  • (2)
    Restaurar a sua juventude! Manter em perfeitas condições e melhorar sua saúde em todos os sentidos
    54,90 €
    Sem stock
  • VITAMIN B-100 - 100 tabs - Scitec Essentials
    Melhor preço + presentes*
    16,90 €
    Sem stock
  • Aprimora o teu cérebro com Fosfatidilcolina. Aporta 840mg de Fosfatidilcolina por dosagem diaria.
    17,90 €
    Sem stock

Colina

A colina é precursora de um dos neurotransmissores mais importantes: A acetil-colina. Além disso, através de certas rotas metabólicas, a colina pode-se transformar em trimetilglicina (TMG), uma molécula que previne doenças cardiovasculares e hepáticas. Apesar de ser uma substância que se necessita em doses baixas, o seu deficit associa-se a problemas neuronais, sendo o mais claro o deterioro cognitivo, daí que muitas pessoas o utilizem como suplemento para a memória.

Índice de conteúdos

    1. O que é a Colina?
    2. Funções da colina
    3. Propriedades e benefícios da colina
    4. Deficiência de colina. Perigos para a saúde
    5. Fontes naturais de colina. Informação:
    6. Dose recomendada de colina. Informação:
    7. Como tomar colina?
    8. A colina tem efeitos secundários?
    9. Para quem está aconselhado um suplemento de colina?
    10. Onde comprar colina?

O que é a Colina?

A colina (trimetil-etanolamina) é um álcool e sal de amoníaco quaternário, cujas propriedades são semelhantes às das vitaminas.

Foi descoberta em 1864 pelo químico Friedrich Ludwig Adolph Strecker e dois anos mais tarde pôde producir-se sinteticamente, por metilação, a partir de amino e etanol.

A colina é um nutriente essencial solúvel em água, similar às vitaminas, que se encontra contido em muitos alimentos. A sua função é parecida à da vitamina b12 e é um componente da lecitina e do neurotransmissor acetilcolina.

O corpo pode produzir colina em pequenas quantidades.

Mas para isso, necessita contar com a suficiente aportação de aminoácidos, especialmente de lisina e metionina, de portadores de enzimas da vitamina B, sobretudo a vitamina b12 e o ácido fólico, o que é bastante raro.

Por esse motivo, ainda que o organismo gere colina através da alimentação nunca cobre a quantidade que realmente necessita, pelo que se aconselha cobrir esta carência com suplementos dietéticos. A colina atua de forma similar a uma vitamina.

É uma substância gorda que forma parte de todas as células do corpo e é essencial para manter a nossa saúde.

Costuma denominar-se "queimador de gordura" porque ajuda a reduzir gorduras e garante que se mantenham em estado líquido e não se acumulem nos órgãos nem nos vasos sanguíneos.

Simultaneamente, proporciona às células os ácidos gordos essenciais. Desempenha um papel importante na estrutura e no funcionamento dos sinais das membranas celulares.

Funções da colina

O papel da colina no corpo é muito complexo, já que pode ser metabolizada junto com outros compostos.

Além disso, pode produzir-se no fígado pela enzima fosfatidiletanolamina.

Alguns exemplos da função da colina no metabolismo são os seguintes:

  • Em combinação com o ácido acético, produz a acetilcolina, um importante neurotransmissor
  • A colina é um fosforilado ou fosfocolina, um elemento básico para os fosfolípidos tais como a fosfatidilcolina, que compõem as membranas celulares e são essenciais para a transmissão de sinais nessas membranas.
  • Intervém na formação dos recetores de acetilcolina.
  • Está implicada no transporte dos lípidos.
  • Quando se oxida, converte-se em betaína, importante para o metabolismo do metilo (redução da homocisteína).
  • Desempenha um papel importante no metabolismo das gorduras e em outras reações metabólicas e de desintoxicação.

Propriedades e benefícios da colina

  • A colina favorece o correto funcionamento dos sinais nervosos e da memória. A acetilcolina controla os estados de ânimo, as emoções e o comportamento. A transmissão dos estímulos musculares necessitam acetilcolina, pelo que intervém em funções vitais como a respiração, os batimentos do coração, o controlo da pressão arterial, ou os processos metabólicos em geral.
  • A mielina é uma substância que protege os nervos. É importante para a síntese da mielina e, portanto, para a proteção do sistema nervoso.
  • A colina está envolvida na síntese de várias hormonas e enzimas como, por exemplo, a melatonina. Além disso, intervém no metabolismo da creatina.
  • É a responsável de transportar as gorduras (triglicéridos) desde o fígado para as zonas do organismo que as necessitam. Sem a quantidade suficiente de colina este processo vital interrompe-se e o fígado acumula um alto teor de gordura. A partir desse momento, já não pode realizar corretamente a desintoxicação do organismo e as suas funções ficam limitadas.
  • A colina reduz os sintomas da asma.
  • Com respeito ao âmbito desportivo e de rendimento físico, a colina melhora a função muscular e ajuda a melhorar a energia mental, o foco e a concentração. Pode diminuir o tempo de resposta para o processamento do movimento em questão durante o exercício físico.
  • Outra das propriedades da colina consiste em que favorece a desintoxicação de produtos químicos e substâncias contaminantes e ajuda a excretar os restos dos metais pesados, como o álcool e as drogas.
  • A colina favorece o metabolismo das gorduras ao transportar os triglicéridos e outras gorduras até aos tecidos. A colina previne a degeneração da gordura e reduz, junto com o tortosino e a metionina, os possíveis danos do fígado.
  • Durante a gravidez há uma maior necessidade de colina, já que a sua deficiência pode ocasionar no fígado depósitos de gordura.
  • É necessária para o correto funcionamento do cérebro. A lecitina e a colina aumentam os níveis de acetilcolina no cérebro e ajudam a aumentar a memória, ao mesmo tempo que previnem o aparecimento de doenças como o Alzheimer e outras demências, que se produzem quando os níveis de acetilcolina estão baixos. Devido à sua função como neurotransmissor, a colina tem uma função relaxante e reduz o stress.
  • Previne os transtornos do sistema nervoso e os transtornos do movimento causados pelas irregularidades da acetilcolina no cérebro. Também previne o aparecimento dos cálculos biliares.
  • A colina forma parte da estrutura das paredes celulares de todo o organismo e protege as células nervosas, o cérebro e a medula óssea.
  • Outros dos benefícios da colina consiste em reduzir os níveis do colesterol mau e os triglicéridos, aumentar o colesterol bom HDL e evitar os depósitos de colesterol em forma de cálculos biliares.
  • A colina diminui o risco de sofrer aterosclerose.
  • Outro dos seus efeitos benéficos consiste em que regula os níveis da pressão arterial. Além disso, a colina também fortalece as paredes dos capilares e ajuda no tratamento do tinido (zumbido nos ouvidos)

Deficiência de colina. Perigos para a saúde

Uma deficiência de colina no organismo pode causar problemas de todo o tipo para a nossa saúde.

Os estudos clínicos realizados demonstraram que a colina é importante para o desenvolvimento saudável do feto.

Os níveis baixos de colina durante a gravidez pode dar lugar a um aumento do nível da homocisteína e ocasionar o nascimento prematuro, bebés com falta de peso, a pré-eclampsia, problemas de memória e crescimento, transtornos de aprendizagem e deficiência nas células nervosas.

Uma das consequências mais graves da falta de colina no organismo é o risco de desenvolver o fígado gordo, que provoca graves danos e aumenta o risco de sofrer cancro neste órgão.

A deficiência de colina produz a alteração da função renal e, como consequência, a pressão arterial alta.

Pode-se desenvolver também nefrite (inflamação do rim).

Uma deficiência de colina também provoca a diminuição na produção dos glóbulos vermelhos, aterosclerose e esterilidade. A falta de colina produz uma diminuição de estrógenos nas mulheres, que pode antecipar a menopausa.

Um estudo clínico realizado em 2016 sobre 51 participantes demonstrou que a falta de colina no organismo pode causar danos no ADN e produzir a morte celular dos linfocitos. Neste estudo constatou-se que as pessoas com deficiência de colina apresentavam duas vezes mais danos no ADN em comparação com os que tinham níveis normais.

Outro estudo clínico, realizado em 2016, demonstrou que a colina, administrada por via oral, tem propriedades anti-inflamatórias e que pode reduzir os sintomas da rinite alérgica

Fontes naturais de colina. Informação:

Entre os alimentos ricos em colina figuram os seguintes (concentração de colina em miligramas por 100 gramas de alimento:)

  • Gema de ovo: 680
  • Fígado de vaca: 418
  • Fígado de frango: 290
  • Gérmen de trigo: 152
  • Toucinho: 125
  • Soja seca: 116
  • Carne de porco: 103

Outros alimentos ricos em colina são: o bacalhau, o frango, o leite, a lecitina de soja, a couve-flor, os espinafres, o amaranto, a quinoa e os feijões.

As pessoas têm ao longo da sua vida diferentes necessidades em quanto à quantidade diária de colina. Por outro lado, cada individuo tem peculiaridades genéticas que implicam uma necessidade maior ou menor deste nutriente.

É muito difícil conseguir o subministro adequado que o organismo necessita, única e exclusivamente através dos alimentos. Por este motivo, além de cuidar a nossa alimentação também se recomenda aportar colina mediante suplementos alimentares para evitar a deficiência desse nutriente essencial no organismo.

Dose recomendada de colina. Informação:

A dose diária recomendada de colina é de 550 miligramas no caso dos homens e 425 miligramas para as mulheres.

Para que o subministro de colina alcance os seus efeitos máximos recomenda-se tomar-la junto com a refeição.

Durante a gravidez e amamentação, a necessidade de colina incrementa-se ligeiramente, pelo que se pode aumentar a dose das mulheres que se encontram nesta situação até às 550 miligramas.

Esta dose é aproximada e aplica-se sempre para pessoas que estão saudáveis. Recomenda-se, em todos os casos, ler a informação de cada produto e tomar a dose recomendada.

Pelo geral, a dose máxima não pode exceder nunca as 3,5 gramas diárias.

Como tomar colina?

A colina costuma tomar-se junto com o inositol, considerado como uma "pseudovitamina do grupo b", é essencial para a função física e mental.

A dose diária de inositol recomendada é igual que a de colina, de aproximadamente 500mg por dia.

O inositol, é um dos principais integrantes da membrana celular, pelo que é muito importante em todos os tecidos do nosso corpo. É essencial para o correto metabolismo dos lípidos, regular os níveis de colesterol e evita que se acumulem gorduras no fígado.

Tal como a colina, o inositol tem uma forte relação com a função cerebral, sendo muito importante no que respeita à síntese de neurotransmissores (principalmente acetilcolina e serotonina). O inositol é benéfico para ajudar a regular o estado anímico das pessoas e oferecer apoio cognitivo.

A colina tem efeitos secundários?

Um consumo elevado de colina, por cima das (8-20 g / dia) pode produzir um desagradável odor corporal a peixe podre.

Este cheiro desaparece no momento em que se interrompe a ingestão. Igualmente, uma dose excessiva de colina, por cima das dez gramas por dia, pode produzir outros sintomas, como vómitos, aumento da salivação e hipotensão associada com tonturas ou suores.

Um excesso de colina, por cima das 3 gramas diárias, também pode causar picores, tinido ou, em casos mais raros, danos no fígado.

As pessoas que sofrem o transtorno metabólico de trimetilaminuria congénita (síndrome de odor a peixe) não podem processar devidamente a colina, devido a uma deficiência da enzima trimetilamina, pelo que devem ter mais cuidado ao ingerir-la.

Para quem está aconselhado um suplemento de colina?

  • Pessoas que desejam proteger e cuidar a sua função nervosa e cognitiva. É muito importante para cuidar a memória, a atenção e a concentração. É por isso que o seu consumo está especialmente indicado em períodos de grandes requerimentos intelectuais.
  • Também é muito importante que as pessoas com mais de 50 anos o consumam, já que a essa idade começam a deteriorar-se as funções cognitivas.
  • É muito benéfica para apoiar o correto metabolismo da gordura e a saúde do fígado. Por isso as pessoas com alterações metabólicas, obesidade, com colesterol alto ou problemas hepáticos, como o fígado gordo, podem beneficiar-se de um suplemento de colina.
  • Importante para as pessoas com ansiedade, estado de ânimo decaído, alterações do sono, depressão leve, etc.
  • Desportistas e pessoas ativas, já que é benéfica para a manutenção dos níveis energéticos adequados e sobre o metabolismo

Onde comprar colina?

Na Internet existem várias lojas onde podes comprar suplementos de colina online, uma delas é HSNstore.com. Dispõ de uma ampla gama de produtos com colina, muitos deles vêm também com o ingrediente inositol.

A colina combina-se junto com o inositol para manter o bom estado das células nervosas. São necessários ainda para o metabolismo das gorduras (sobretudo no fígado) e reduzem o colesterol.

Subscreve o newsletter e consegue um 15% Desconto na tua primeira compra
x