Dente-de-Leão
5 Produtos
  • FLAVOGEN SILUETA 500ml - Drasanvi
    Oferta Especial
    Extractos de plantas vegetais com fitoestrógenios de linho e mango africanos.
    SG
    19,01 €
    25,36 €
    -25.03%
      6,35 €
    Em stock
  • EPATIK DETOX 250ml - Drasanvi
    Oferta Especial
    Fórmula de ingredientes à base de extratos de plantas para promover uma função hepática normal.
    SG
    10,99 €
    14,65 €
    -25%
      3,66 €
    Em stock
  • EPATIK DETOX - 30 comp - Drasanvi
    Oferta Especial
    Extratos de plantas com colina para manutenção da função hepática.
    SG
    9,11 €
    12,14 €
    -25%
      3,03 €
    Em stock
  • DENTE DE LEÃO - 30 veg caps - Drasanvi
    Oferta Especial
    300mg de dente de leão para promover uma boa saúde digestiva.
    SG V VG
    6,63 €
    8,84 €
    -24.99%
      2,21 €
    Em stock
  • Ampolas líquidas à base de extratos vegetais e sabor delicioso de ananás. Especial para as mulheres.
    BP
    16,90 €
    Sem stock

Dente-de-Leão

As infinitas bondades do dente-de-leão e também as preocupações que exige seu uso

A especie vegetal Taraxacum officinale respondo ao nome comum de chicória amarga, mas também é conhecida como dandelion, entre outras denominações, dente-de-leão, que é como vamos a nos referir a ela daqui pra frente. Falamos de uma espécie pertencente à família das compostas ou asteráceas e, razão pela qual ocupa um espaço privilegiado na nossa web, uma das plantas com maiores prestações no âmbito dos remédios terapêuticos naturais.

Se tivéssemos que resumir o interminável lista de vantagens que rodeiam o dente-de-leão, poderíamos sintetizar em dois aspetos:

  • Sua ubiquidade, já que encontra-se em qualquer lugar
  • O enorme repertório de problemas de saúde para os que resulta de proveito.

Índice de conteúdos

    1. As infinitas bondades do dente-de-leão e também as preocupações que exige seu uso
    2. Um pouco de botânica e o Dente-de-Leão, Como encontrar?
    3. As orígene do Dente-de-leão, como e quando foi descoberto?
    4. Que componentes químicos desta planta fazem que seja tão singular e seus benefícios para a saúde
    5. Propriedades do Dente-de-leão: Benefícios medicinais
      1. Faremos um repasso das inumeráveis propriedades para a saúde que acompanham ao dente-de-leão
    6. Como tomar por via tópica?
      1. Com finalidade estética
    7. Embora escasso, tem seu lado negativo: efeitos colaterais e contra-indicações, como evitá-los?
    8. Contra-indicações: Como tomar corretamente Dente-de-Leão
    9. As diversas maneiras de consumir dente-de-leão e suas possíveis conbinações: Com tomar?
      1. Chá contra o acne
      2. Remédio contra a inflamação da próstata
      3. Como tomar dente-de-leão para a retenção de líquidos?
      4. Infusão ideal contra a cirrose hepática
      5. Como tomar dandelion como remédio para eliminar verrugas?
      6. Outros para os quistes ováricos
      7. E também para a acumulação de ácido úrico no sangue
      8. Chá com cavalinha
      9. Cápsulas
      10. Em forma de líquidos

Um pouco de botânica e o Dente-de-Leão, Como encontrar?

Taraxacum offinale, que habitualmente foi considerada uma má erva, é uma planta herbácea (ou seja, de talo flexível, ainda que realmente é um falso talo), de ciclo anual que desenvolve um tamanho bem reduzido.

É normal ver crescer espontaneamente em terrenos mais bem úmidos, formando parte da passagem convencional de jardins urbanos, terrenos, bermas, e estradas e incluso as vezes entre as fendas de construções de pedra.

Salta a vista a peculiaridade do seu nome popularizado, dente-de-leão; este parece surgir ao aspecto de suas folhas, que resultam semelhantes a dentes pontiagudos. Mas a realidade é que existe uma grande variedade no seu aspeto em função do lugar e o clima.

Suas flores crescem nas partes mais distales desses talos dotados de folhas que disporem de forma alterna sem piciolo (o característico “rabinho”). Está caracterizado por sua cor amarela e por serem hermafroditas e, em razão da sua pertença a família botânica a que pertencem, fecha-se a caída da noite e em dia chuvosos e de pouca humidade. Sua corola, ou seja, a parte mais cromática das flores, está integrada por cinco pétalas unidas. Mantém um ciclo de alternativa de fecho e abertura que culmina com um fecho definitivo que resulta o preâmbulo de que, após vários dias, evolucionem a faz de fruto (chamado cipsela), cuja anatomia permite estar em disposição de soltar as sementes por ação do vento, dando pé as e dispersar e ao inicio de novas plantas. Há que, descreve estes frutos como frutos secos como aspeto alado, revestidos de ums pelinhos de textura sedoso que facilitam esta dispersão pelo vento.

Mas além dessa propagação aero-mecánica, parece ser que se contempla a possibilidade de que algumas espécies de lombrigas, fazendo uso do seu aparato digestivo, na dispersão das sementes de dente-de-leão.

Se falamos de quais são as práticas que devem seguir para o aproveitamento das excelentes bondades e propriedades medicinais do dente-de-leão, podemos dizer que a primavera tardia é o momento ideal para a coleta das folhas ternas de cara a seu consumo em cru (do que falaremos mais em detalhe em capítulos posteriores).

Ingrediente Dente-de-Leão

Por outro lado, o verão, é propício para terminar de recolher o resto de folhas, que irão secar por evaporação natural protegidas da luz solar. É importante fazer constar que sua conservação posterior requer uma embalagem hermético de forma que se impeça sua contaminação por pó ambiental.

Em quanto as raízes, podem-se coletar em dois momentos do ano em função da finalidade que perseguimos:

  • Coincidindo com o auge da floração, por normal geral entre maio e junho; baixo esta recomendação existe a característica de conter a maior abundância de látex.
  • No outono, se o que busca é sua riqueza no polisacárido inulina, devido a que a raiz coletada na sua época contém um 40%, em contraste com sua composição em primavera se reduz um 2%. A inulina possui benef´ciios e propriedades naturais para a saúde.

As orígene do Dente-de-leão, como e quando foi descoberto?

A proto-história desta planta deve ser procurada no território ocupado pela Grécia atual, distribuído espontaneamente por todo o hemisfério norte.

Para médicos árabes do século X é atribuído (tal como registado nos textos de sábio Avicenna multifacetada) o mérito de ter sido pioneiros na detecção aqueles das suas propriedades hoje mais reconhecidos, e diuréticas coleréticos (estimulando a produção de bílis) .

Deveriamos pular para avançar no conhecimento do dente-de-leão como remédio multiusos, de sorte que o médico e botânico Leonart Duch começou a prescrever entre seus clientes colagogo (estimulando a libertação da bilis para ajudar na digestão das gorduras), adstringente, analgésico e regular o ciclo menstrual. Por razões desconhecidas, esse médico adotou a medida de um dente do rei dos felinos como uma dose terapêutica dessa planta, que consagrou entre as pessoas comuns a "tomar um dente-de-leão".

Na medicina tradicional logo começopu a não ser alheia às excelências deste remédio natural. Não em vão, durante séculos tem sido parte do catálogo de remédios de doenças preventivas, principalmente nas parcelas protetor do fígado, depurador orgânico por efeito diurético e travão das verrugas pela ação da seiva.

Já década dos anos quarenta do século passado, Dr. Henri Leclerc disse que o progresso no controle de alguns problemas de pele como eczema, erupções cutâneas e dermatites fez uso de infusões de dente de leão. Estes efeitos foram revelados mais evidência em casos de pacientes aparentemente aquecidos apenas a problemas de pele sofrido algum grau de insuficiência hepática, que, como foi descoberto, subsequentemente, foi devido à estreita relação entre a integridade da pele e funcionamento do fígado. 

Que componentes químicos desta planta fazem que seja tão singular e seus benefícios para a saúde

Antes de abordar os benefícios de disponibilizar o potencial de Taraxacum officinale ao nosso organismo em suas diferentes apresentações, eles servem como uma introdução ao tipo de substâncias, orgânicas e inorgânicas, que têm funções importantes reservadas para a manutenção e reparo de tecidos e órgãos.

Os órgãos subterrâneos da planta contêm:

  • Muitos polissacáridos pertencentes a grupos conhecidos como glucano e manano, mas especialmente inulina, uma componente interessante cobrindo condição oligossacárido probiótico (estimulante do crescimento de bactérias intestinais benéficas para a saúde) e fibra solúvel.
  • Colina, uma substância comumente incluída no grupo de vitamina B, que desenvolve um intenso trabalho de proteção do fígado, desintoxicação, ajudando-a todos os tipos de substâncias residuais.
  • Triterpeno (compostos orgânicos isopreno ligados a um hidrocarboneto de cadeia curta) de látex, entre os quais taraxasterol, taraxerol, taraxol, beta-amirina, estigmasterol e beta-sitosterol.
  • Mais componentes residuais, como ácido cafeico, resinas, pectina e mucilagem.

No que diz respeito às partes verdes, é notável rico em flavonóides (luteína e zeaxantina), cumarinas (como cichorina e aesculina), carotenóides (em cuja riqueza rivalizava com a cenoura icônico), vitaminas A, C e D, tiamina e ácido nicotínico (ambas pertencentes ao complexo da vitamina B) e sais minerais, com um maior peso de potássio (5%), mas sendo também presente em quantidades significativas de ferro, fósforo, cobre e magnésio.

Finalmente, tanto raizes como folhas compartem a presença de dois compostos que lhe dão certo sabor amargo, denominadas taraxicina e taraxacerina, que fazem que esta planta lhe acompanheuma caracteristica alheia a suas propriedades meidcinais mas de peculiar interesse alimentar: sua capacidade como estimulante do apetite e melhorar as digestões.

Propriedades do Dente-de-leão: Benefícios medicinais

Faremos um repasso das inumeráveis propriedades para a saúde que acompanham ao dente-de-leão

Sem dúvida, tomado como um todo, plantas medicinais representam uma excelente alternativa quando os tratamentos e remédios naturais para combater doenças surgem porque seus efeitos colaterais passam quase despercebidos e são ideais para aqueles que se recusam a introduzir substâncias sintéticas em seu corpo, seja como devido a reações alérgicas ou devido ao medo de sobrecarga devido a possíveis fontes de toxicidade.

Bem, o objeto desta exposição se destaca com forte protagonismo.

Que melhor maneira de focar objetivamente a ampla gama de funções biológicas com grandes benefícios associados com o leão referindo-se a duas instituições oficiais de campo farmacológico, válida para fins de classificação desta planta:

  • European Scientific Cooperative sobre Phytotherapy (ESCOP) recomenda raiz dente para normalizar a função hepática e a produção de ácidos biliares e sais, como a função renal e evitar agente estimulador da dispepsia ou indigestão.
  • Agência Europeia de Medicamentos e Produtos de Saúde (AEMPS) e sua contraparte Europeia Agência Europeia de Medicamentos catalogado leão como "medicamento utilizado tradicionalmente indicado para transtornos digestivos leves, como plenitude abdominal, flatulência e digestão lenta distúrbios digestivos" e "Aumentar a quantidade de urina e limpar o trato urinário e os rins."

Não há dúvida que, se existe um corpo que pode ser apontadas como o principal repositório do dente-de projecção terapêutico é o fígado, o que é devido à sua contribuição para eliminar circulantes toxinas no sangue, os quais exercem uma forte pressão metabólica nesta vísceras e para fluidificar o trânsito através dos ductos biliares. consumo Por isso, é altamente recomendado nas pessoas que lhes convêm estimular o fígado a ser afetada pelo fígado lento síndrome, bem como aqueles com a chamada esteatose hepática (acúmulo anormal de gordura no parênquima hepático).

Melhora a saúde dos olhos: como? Há consenso geral de consumo diário recomendado de, pelo menos, 12 miligramas de flavonóides luteína e de zeaxantina para passar para fora, na medida do possível, a progressão de cataratas e degeneração macular relacionada com a idade.

Pois bem, a ingestão de uma chávena de chá da raiz já supera as recomendações que aportam benefícios que os especialistas fixaram para manter a saúde ds órgãos, o qual está garantido com as 15 miligramas de luteína e zeaxantina que incorpora.

De acordo com o acima exposto, combate a cegueira noturna: o leão é uma correcção das deficiências na visão em condições de pouca luz por causa de sua vitamina A e helenina, dois ingredientes ativos que estimulam a melhor produção de rodopsina , uma proteína que atua nas células especializadas da retina chamadas canes e essencial para que este processo ocorra em condições ideais.

É muito eficaz em dietas de redução de peso. Seu desempenho neste campo não é apenas derivado de sua escassez de energia, mas especialmente de seu notável efeito diurético, com o qual ajuda a eliminar naturalmente o excesso de água através da urina.

Tem uma aplicação significativa ao nível cutâneo, uma vez que combate a acne e o eczema. No caso da acne, não se esqueça que a causa final parece estar na ação de algumas toxinas geradas pelo desequilíbrio hormonal próprio da idade juvenil. Portanto, o poder desintoxicante do dente-de-leão, cuja seiva pode ser usada topicamente, sem ser ingerido, é uma ajuda importante, com a vantagem adicional de ser um líquido altamente alcalino com eficácia bactericida. Esta última condição tem o seu ajuste porque no processo da acne alguns microorganismos também intervêm. Mas, em geral, o dente-de-leão é indicado para lidar com algumas alterações dermatológicas relativamente comuns, como prurido (uma espécie de prurido recorrente) e eczemas ligados à dermatite.

Um extrato de sua raiz pode ser um bom remédio para combater a prisão de ventre quando se deseja evitar laxantes farmacológicos, estimulando o trânsito intestinal sem risco de ocorrência de episódios de irritação ou qualquer outro tipo.

Como comprovado experimentalmente, o dente-de-leão se comporta como promotor de enzimas antioxidantes e intervém no equilíbrio dos perfis dos diferentes tipos de lipídeos circulantes: triglicerídeos, colesterol HDL e colesterol LDL, fundamentalmente. Por sua vez, os especialistas valorizam amplamente a possibilidade de exercer um efeito protetor contra o estresse oxidativo relacionado a alguns distúrbios do sistema circulatório.

Deixamos para o fim o que talvez represente a mais brilhante função do Taraxacum officinale: sua ação diurética, livre de riscos e efeitos colaterais, que permite a eliminação de toxinas acumuladas em decorrência do metabolismo. Isso faz com que seja aconselhável praticar um tratamento preventivo com dente-de-leão a cada mudança de estação.

Como tomar por via tópica?

Sua raiz se usa como matéria-prima para obter um azeite com o qual pode levar a cabo a massagem ideal, com benefícios , para tratar reumatismos e artrite, fazendo gala de excelentes propriedades anti-inflamatórias. E, em outro ordem de coisas, ajuda na absorção dos coágulo próprios dos roxos ocasionados como consequência de batidas.

Com finalidade estética

  • Contra a celulite ou pele de laranja: ao evitara retenção de líquidos, ajuda a expurgar as toxinas que predisporem sua formação. Constitui um dos remédios com mais benefícios para este problema.
  • Pelo mesmo motivo pode ser usado para se livrar das desagradáveis olheiras, cuja causa, em muitos casos, é atribuída à retenção de líquidos.
  • Um hábito constante de tomar uma infusão de dente de leão pode controlar o aparecimento de sardas e manchas da idade.
  • Frequentemente praticar uma lavagem capilar com base na infusão de dente-de-leão é geralmente uma medida válida para compensar diferentes anormalidades capilares, seja oleosa, seca ou frágil.
  • O uso tópico ajuda a reduzir o filme de óleo da pele.

Embora escasso, tem seu lado negativo: efeitos colaterais e contra-indicações, como evitá-los?

Sempre que é consumido em quantidades lógicas, pode-se dizer que o dente-de-leão quase não tem efeitos colaterais e é praticamente inócuo. O pequeno risco envolvido reside principalmente em suas folhas, que quando ingeridas em seu estado natural podem fornecer muitos oxalatos e causar sérios problemas de saúde porque sequestram os átomos de alguns minerais essenciais, como magnésio, ferro e cálcio, causando uma inibição de sua absorção. Por seu turno, o caule pode conter alguma toxicidade, especialmente para crianças, devido ao seu conteúdo abundante de látex.

Mas talvez o principal problema que pode surgir venha na forma de alergia. É possível que após a ingestão do dente-de-leão o sistema digestivo responda com o aparecimento de flatulência, diarréia e dor abdominal. Ou talvez uma manifestação cutânea na forma de dermatite, irritação no globo ocular, boca seca, calafrios e hipersalivação. Pode até ser o caso de apresentar uma imagem de dores de cabeça, costas ou músculos.

Em todos os casos estaríamos falando de uma reação alérgica a qualquer um de seus componentes, e evidentemente o consumo teria que ser suspenso. Deve-se notar que todas aquelas pessoas alérgicas a plantas de ervas e compostas, tais como calêndula, margarida ou crisântemo, é altamente provável que elas também sejam alérgicas ao dente-de-leão. 

Contra-indicações: Como tomar corretamente Dente-de-Leão

O dente-de-leão é um potente estimulante da produção de bilis da vesícula, pelo que as pessoas que tenham cálculos biliares está recomendado que evitem o consumo porque pode ocasionar fortes cólicas. Ainda que similar acontece no aparelho excretor: os oxalatos da parte foliar do dente-de-leão pode aumentar a presença de cálculos renais já que maioritariamente estes estão expostos por esses sais.

E de forma equivalente pode-se falar de que pela capacidade de estimular a produção de sumos gástricos, não convém que seja tomado por aquelas pessoas que sofrem de acidez ou úlcera de estômago. Isto pode aumentar a presença de cálculos renais já que maioritariamente estes estão compostos por esses sais.

Desporto e Dente-de-Leão

Falando especialmente no caso de diabéticos. Nesta planta pode diminuir o nível de glicose no snague se compaginamos com os remédios apropriados para controlar a diabete, dando lugar a um quadro típico de hipoglicemia com visão turva, suor, tremores, tontura, formigamento, taquicardia…

Note-se que é possível que algumas preparações que são comercializados preservado o álcool, então eles devem ser armazenados com precauções óbvias em caso de dá-la a crianças, mulheres grávidas ou que amamentem. Nestes dois últimos casos, também influencia o fato de que o dente-de-leão é atribuído a certas propriedades hormonais.

Em relação à sua compatibilidade com medicamentos, é necessário questionar o consumo de dente-de-leão em caso de ser medicado com:

  • Lítio: o dente-de-leão impede a excreção deste metal, cuja acumulação no sangue pode causar um envenenamento a médio ou longo prazo.
  • Potássio: pode ser desencadeada níveis de potássio no soro quando as perguntas hipertensão ou outro tratamento a ser recebido com base no mesmo e o padrão de ingerir regularmente dente é adoptada.
  • Antibióticos podem restringir absorção intestinal do mesmo dente de leão, um efeito que pode ser esperado mais frequentemente chamado as quinolonas, destacando norfloxacina, ciprofloxacina, enoxacina, sparfloxacina e trovafloxacina.
    Além disso, a sua potência como diurético desaconselha ingerir em paralelo remédios da mesma natureza que poderia provocar uma desidratação por perda excessiva de fluido.
  • Anticoagulantes (como a aspirina) e bloqueadores de ação neuromuscular (como toxina botulínica ou succinilcolina): se você tomar qualquer destes medicamentos é importante consultar o médico a oportunidade ou não consumir-leão.

As diversas maneiras de consumir dente-de-leão e suas possíveis conbinações: Com tomar?

Benefícios de tomar Dente-de-Leão

Devido ao seu escaso aporte energético, que é uma consequência do baixo teor de gorduras e carboidratos que possui, é ideal para ser integrado em qualquer dieta focada na perda de peso. Como? Uma de suas aplicações mais comuns é como o chá, que apesar de muito nutritivo é na verdade muito baixo teor calórico (tem apenas 25 calorias por chávena).

Suas folhas podem ser consumidas cruas em saladas, recomendado, para evitar que o tom amargo que pouco a pouco estão adquirindo seja acentuado excessivamente, os mais jovens, que precisam ser apanhados alguns dias depois de começarem a crescer. É também muito apreciado, sob a forma de refogado, como condimento de pratos de cogumelos, cebola ou legumes. E outra opção para apreciar a comestibilidade de suas folhas tenras é mergulhá-las por cerca de trinta minutos em salmoura, depois cozinhá-las como qualquer verdura.

A raiz é usada como substituto do café, sem as complicações da bebida original. Como apreciar o dente-de-leão como substituto natural do café, você precisa torrar e moer suas raízes. Um substituto de café pode ser facilmente feito assando raízes em um forno até que eles adquiram uma cor marrom fraca, em que ponto eles podem ser considerados prontos para consumir.

Como aperitivos antes das refeições ou em caso de anorexia, botões de flores preparados em vinagre são um excelente recurso.

Para preparar uma salada tonificante do fígado pode-se usar as folhas frescas acompanhadas de alface, brotes de alfafa, manjericão e salsa. Se tens o custume de consumir estas saladas, há que prevenir a tendência das folhas do dente-de-leão ao pronto deterioro, para o qual convém armazenar hermeticamente com papel de cozinha que absorva a humidade sobrante e podem aguentar até 4 dias. Também os pétalos das flores e os botões podem servir como ingredientes saborizantes e corantes em saladas.

Podem-se elaborar sumos, misturando normalmente com alguma fruta e sendo o recomendável beber um copo diário.

A geleia, frequentemente chamada mel de dente-de-leão por ter uma textura parecida a do mel autêntico, é um concentrado muito popular em algumas regiões europeias. A maior matéria-prima para elaborar são as flores coletadas nas horas centrais do dia nos meses de abril e maio. Como receita, pode-se apontar a integrada por dois punhados de flores acompanhadas de meio litro de agua, meio kilo de açúcar e meio limão.

No mercado da dietética e herbolario está muito nutritivo de preparações de dente-de-leão, só ou combinado, e tanto para o uso externo como interno. As mais clássicas vem compostas de raízes e/ou folhas, mas de uns anos atrás até agora, a industria farmaceutica ampliou enormemente o leque de formulações em forma de extractos de folhas, fluidos, sumo fresco de raiz e cápsulas.

Mas talvez, a forma a forma mais estendida de consumir o dente-de-leão seja em chás, elaborados das suas flores e folhas secas, seguidas dos extratos líquidos (ou seja, em gotas) e as cápsulas, que bem podem ser confecionadas tanto a base de pó ou de extrato sexo; estas últimas, ao mesmo tempo, podem-se elaborar a partir de:

  • Raiz, sendo a dose equivalente a 3-5 gramas, que pode ser tomada três vezes ao dia.
  • Folhas, equivalente a entre 4-10 gramas, também como máximo de três vezes ao dia.
  • Mistura de raiz e folhas, entre 3,5 e 5 gramas, como idêntico tope.

Chá contra o acne

O acné e os furúnculos podem combater obtendo uma decoração a partir de 5 gramas de raiz de bardana e outros dez de raiz de dente-de-leão em três quartos de litro de agua.

Esta mistura deve-se deixar fervendo pelo menos 10 minutos e alguns depois em repouso para que os começos ativos difundam bem a decocção. Disto se ingere uns cem mililitros umas três vezes ao dia.

Remédio contra a inflamação da próstata

Trata-se de uma infusão para a que há que misturar cinco gramas de urtiga e outros tantos de dente-de-leão em meio litro de agua, que devem ferver e repousar em uns minutos. Por sua capacidade diurética, ao estimular a produção de urina o dente-de-leão contribui a diminuir a inflamação dessa glândula.

No “Journal de Medicina Alternativa e Complementaria” foi publicado faz uns anos um estudo que revelava que o dente-de-leão causa um incremento muito aparente do volume de urina ao longo das cinco horas posteriores de consumo.

Outro estudo, este sobre cultivo de tecidos publicados no “Journal of Medicinal Food” colocou de manifesto que o dente-de-leão leva a cabo uma inibição significativa de óxido nítrico, postaglandinas, interleucinas e cetoquinas, todas elas substâncias que atuam como medidoras do processo inflamatório.

Como tomar dente-de-leão para a retenção de líquidos?

Uma colher de erva seca de cavalinha e outra equivalente de dente-de-leão se dissolvem em meio litro de agua e devemos ferver, podendo se consumir um total de três chávenas diárias. Com ela deve-se tomar precauções as pessoas hipertensas, aos que o médico deve ser quem valore a oportunidade de tomar pelo risco de sofrer reações adversas.

Infusão ideal contra a cirrose hepática

No caso da cirrose, uma boa ajuda para o fígado pode ser representar um cóctel a base de 20 gramas de dente-de-leão, 30 de pasiflora e 50 de cardo mariano. Para ajustar a dose, desta mistura toma-se uma colher pequena, adicionamos agua fervendo e deixamos repousar. Esta operação pode-se fazer até cinco vezes ao dia, sendo recomendável não abaixar de três.

Como tomar dandelion como remédio para eliminar verrugas?

Ao arrancar e cortar a planta do dente-de-leão, da sua raiz brota uma matéria leitosa que tem a curiosa capacidade de erradicar as verrugas. Para que sua efetividade seja máxima, a raiz deve estar fresca e esse líquido deve-se aplicar encima da verruga que, a continuação, deve-se proteger com um penso. Isto deve-se fazer duas vezes por dia.

Outros para os quistes ováricos

Com ele buscamos aplacar o volume desses quistes retificando o desequilibro dos níveis hormonais que causou a formação. Sua composição é enormemente singela: uma infusão com uma colherzinha de folhas secas de dente-de-leão em uma chávena de agua de uns cem mililitros.

E também para a acumulação de ácido úrico no sangue

Como tomar Dente-de-Leão


Este excesso costuma ser ocasionado pela degeneração de elevadas quantidades de resíduos resultantes da descomposição de proteínas animais e álcool ingeridos. Uma das suas manifestações clínicas mais comúns chama-se gota, que produz uma dor intensa no dedão do pé, mas é causa frequente de fortes dores nas articulações por inflamação, chegando nos casos mais graves a produzir episódios agudos de insuficiência renal ou hepática.

A infusão consegue-se mediante uma combinação de idênticas de dente-de-leão, coroa de freire e anis verde, da qual se admite a ingestão de um máximo de três copos por dia.

Os responsáveis principais da eficácia da eliminação do ácido úrico são os polifenois do dente-de-leão, que também contribuem a purificar o sistema linfático.

Chá com cavalinha

Com estas duas plantas pode-se preparar um chá excelente, cujo espetro de ação as infeções como a hipertensão arterial, a liatiase renal e a gota, entre outras. Para preparar, misturamos as duas colheres de ervas secas de cavalinha e de dente-de-leão e colocamos em meio litro de agua fervendo. Uma vez tenha começado a ferver, deixamos uns minutos assim e repousar uns 15 minutos. Pode-se beber até três vezes ao dia, frio ou quente, que é conveniente passar pelo coador.

Cápsulas

Se buscamos uma forma simples e rápida de consumir dente-de-leão em preparações de nenhum tipo, em cápsulas são o recurso ideal, estando a venda em herbolários e lojas de produtos naturais e claro, na loja on-line da HSN.

Em quanto a dosificação, deve-se seguir a recomendação indicada na embalagem, já que depende da quantidade de extrato seco que contenham as cápsulas, mas habitualmente são duas cápsulas com cada uma das três refeições diárias.

HSN oferece prestações em comprimidos de 500 e 300 mg de dente-de-leão (combinado com um 10% de flavonoides).

Em forma de líquidos

É outra opção tão cómoda como as cápsulas. Pode-se encontrar em muitos herbolários e sua forma de consumo é simples já que só deve-se adicionar umas gotas da mesma em um copo de agua ou sumo cheio. Para desintoxicar, também pode-se ingerir 30 gotas do líquido com agua três vezes por dia.

Contém, como quase todos os líquidos, altos níveis de álcool, assim que não é recomendável tomar durante a gravidez e lactancia (sobre tudo em quantidades maiores as que encontramos nos alimentos).

Mail newsletter
Subscreve o newsletter e consegue um 15% Desconto na tua primeira compra
x