9 Produtos
  • 9,90 €
    Em stock, envio grátis
  • 17,90 €
    Em stock, envio grátis
  • 14,91 €
    Em stock, envio grátis
  • 5,45 €
    6,90 €
    -21.05%
      1,45 €
    Em stock, envio grátis
  • (2)
    Restaurar a sua juventude! Manter em perfeitas condições e melhorar sua saúde em todos os sentidos
    54,90 €
    Sem stock
  • Apoio nutricional para mulheres gravidas ou lactantes
    SG
    14,50 €
    Sem stock

Niacina

A niacina é uma das vitaminas do grupo B, com muitos benefícios para a saúde. Esta vitamina mantém o coração em bom estado, regula os níveis de colesterol, favorece o rendimento intelectual, a concentração e a motivação. Também reduz a inflamação e estimula a beleza e a saúde da pele e do cabelo.

A niacina, conhecida também como vitamina B3, niacinamida ou ácido nicotínico é uma vitamina B solúvel em água, que não pode ser armazenada pelo corpo.

Quando o corpo não usa de imediato a niacina, excreta-a através da urina. Para ter os níveis saudáveis que o organismo necessita de niacina e obter os seus benefícios para a saúde, é necessário consumir alimentos ricos em niacina ou tomar diariamente suplementos de niacina. Caso contrário, o corpo pode experimentar uma deficiência desta vitamina.

Índice de conteúdos

    1. Fontes naturais de niacina
    2. Benefícios para a saúde da niacina
    3. Sintomas de uma deficiência de niacina
    4. Dose diária recomendada de niacina
    5. Diferenças entre a niacina e a niacinamida
    6. Inositol Hexaniacinate
    7. A niacina e as vitamina do grupo B
    8. Propriedades da niacina:
    9. Para quem estão recomendados os suplementos dietéticos de niacina?
    10. A niacina tem efeitos secundários?
    11. A niacina tem interações?
    12. Outros nomes com os que se denomina a niacina

Fontes naturais de niacina

Existem muitos alimentos, tanto animais como vegetais que se consideram fontes de niacina.

Entre as fontes animais, encontramos a carne de vitela, de frango, cordeiro e o porco. Os peixes como o atum e o salmão são excelentes fontes de vitamina B3.

O leite e os seus derivados como (iogurte, queijo, etc), assim como os ovos são também ricos nesta vitamina.

Entre as fontes vegetais, encontramos a beterraba, amendoins, aveia, trigo, arroz, ervilhas, feijões, espargos, espinafres, pimentos, gengibre e sementes de girassol.

Benefícios para a saúde da niacina

  • Protege a saúde do coração
  • Garante um nível ótimo de colesterol
  • Ajuda a reduzir o risco de sofrer a doença de Alzheimer
  • Estimula o rendimento intelectual, a motivação e a concentração
  • Favorece a produção das hormonas sexuais
  • Ajuda o organismo a usar as gorduras e as proteínas
  • Intervém na transformação dos alimentos em glicose para gerar mais energia no organismo
  • Favorece a saúde e a beleza da pele e do cabelo
  • Favorece a saúde dos olhos
  • Melhora a circulação do sangue
  • Reduz a inflamação (é muito benéfica para as pessoas com artrites)
  • Usa-se como tratamento para a doença da pelagra
  • Usa-se como tratamento na diabetes mellitus ou diabetes de tipo I

Sintomas de uma deficiência de niacina

Os sintomas mais frequentes da deficiência desta vitamina no organismo são os seguintes:

  • Fadiga
  • Indigestão
  • Doença
  • Transtornos circulatórios
  • Depressão

Dose diária recomendada de niacina

A quantidade diária recomendada de vitamina B3 varia segundo a idade, o sexo e as circunstâncias individuais de cada pessoa. Os desportistas ou pessoas com certas patologias, necessitarão uma dose mais elevada que a população em geral.

A dose de niacina representa-se em microgramas (mcg).

  • Menos de 6 meses: 5mcg
  • Entre 6 meses e 1 ano: 6 mcg
  • Entre 1 ano e 3 anos: 9mcg
  • Entre 4 anos a 6 anos: 12mcg
  • Entre 7 anos e 10 anos: 13mcg
  • Homens de 11 anos a 14 anos: 17mcg
  • Homenes de 15 anos a 18 anos: 20mcg
  • Homens de 19 anos a 50 anos: 19mcg
  • Homens de mais de 50 anos: 15mcg
  • Mulheres de 11 anos a 50 anos: 15mcg
  • Mulheres de más de 50 anos: 13mcg
  • Mulheres durante a gravidez: 17mcg
  • Mulheres durante a amamentação: 20mcg

Diferenças entre a niacina e a niacinamida

Tanto a niacina como a niacinamida são duas formas de vitamina B3. Mas, em alguns aspetos, têm funções diferentes.

Por exemplo, muitas vezes, utiliza-se a niacinamida em vez da niacina para corrigir a deficiência de niacina devido a que a niacinamida não causa vermelhidão.

No entanto, a niacina reduz os níveis de colesterol mau no sangue, tanto que não se pôde demonstrar que a niacinamida tenha estes efeitos.

Tanto a niacina como a niacinamida estão disponíveis como suplemento dietético em cápsulas e comprimidos.

A niacinamida também se utiliza em substituição da niacina em formato de cremes de aplicação tópica para o cuidado da pele.

Inositol Hexaniacinate

O Inositol Hexaniacinate também forma parte das vitaminas B3 e podemos encontrar-lo em alguns suplementos alimentícios.

Ao contrário da niacinamida, o inositol Hexaniacinate reduz o colesterol tal como a niacina, mas está livre de ras.

A niacina e as vitamina do grupo B

A niacina forma parte do grupo de vitaminas B.

Em total há 8 vitaminas do grupo B, entre elas, estão as seguintes: a vitamina B1 (tiamina), a vitamina B2 (riboflavina), a vitamina B5 (ácido pantoténico), a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina B7 (biotina), a vitamina B9 (ácido fólico) e a vitamina B12 (cobalamina).

Estas vitaminas são solúveis em água e não se armazenam no organismo. A quantidade que o corpo não utiliza de imediato, excreta-se através da urina.

Cada vitamina do complexo de B tem uma estrutura própria e uma função distinta. Em ocasiões, unem-se várias vitaminas B para realizar funções específicas no organismo.

A falta de certas vitaminas do complexo B, como o ácido fólico e a vitamina B6, foi associada com doenças degenerativas, como dificuldades na perceção, demência e Alzheimer.

As vitaminas do grupo B também intervêm, junto com as glândulas suprarrenais, na produção das hormonas do stress e sexuais e, além disso, aliviam a inflamação, melhoram a circulação sanguínea e travam o aparecimento da diabetes.

Propriedades da niacina:

  • Reduz o colesterol e protege o coração: A niacina é conhecida pelas suas propriedades para prevenir as doenças cardiovasculares. Com o uso regular da dose recomendada consegue-se diminuir e excretar o colesterol mau (LDL), aumentar o bom (HDL), reduzir o nível dos triglicéridos, prevenir a aterosclerose (endurecimento e estreitamento das artérias) e evitar o aparecimento das doenças cardiovasculares. A niacina prescreve-se, muitas vezes, em combinação com estatinas (fármacos) para obter melhores resultados.
  • Previne contra o Alzheimer: A deficiência de niacina associa-se com o aparecimento e desenvolvimento da demência. Existem numerosos estudos clínicos que apoiam os benefícios dos suplementos dietéticos de niacina para prevenir o Alzheimer e outras doenças degenerativas, como a demência senil. O estudo clínico mais recente foi realizado sobre 3.718 pessoas e as conclusões do mesmo foram que uma dieta rica em niacina ou um consumo regular de suplementos dietéticos de niacina favorece o rendimento intelectual e previne o aparecimento do Alzheimer.
  • Favorece a saúde e a beleza da pele: A niacina também ajuda a melhorar a saúde da pele. Isto é porque estimula a circulação do sangue e permite que a pele e o cabelo recebam mais nutrientes e mantenham-se hidratados. A niacinamida utiliza-se habitualmente como ingrediente nos produtos para o cuidado da pele, já que se usa como tratamento para diversos problemas e doenças da pele, como a acne e a rosácea, assim como outros sintomas associados com o envelhecimento, como as rugas e as manchas cutâneas.
  • É eficaz para o tratamento da doença da pelagra: A pelagra é uma doença derivada da falta de niacina nos alimentos que se consomem. Sucede habitualmente quando se consomem muitos produtos à base de milho, quando há uma alimentação deficiente ou se existem outros problemas de saúde que impeçam a absorção de niacina, como sucede no caso das doenças gastrointestinais, o alcoolismo, VIH / SIDA, ou outros transtornos, como a bulimia e a anorexia. Nestes casos, tomar um suplemento alimentar de niacina pode curar a pelagra. Os sintomas mais frequentes da pelagra incluem: Confusão e delírio mental, diarreia, feridas e membranas mucosas inflamadas.

Para quem estão recomendados os suplementos dietéticos de niacina?

Qualquer pessoa que queira obter os benefícios da niacina pode tomar os suplementos alimentares desta vitamina.

Recomenda-se especialmente tomar uma dose regular de niacina no caso das pessoas que não a obtêm através da sua dieta habitual, por exemplo, as pessoas mais velhas que não ingerem normalmente a quantidade necessária desta vitamina.

As mulheres grávidas e mães lactantes também necessitam um suplemento de niacina. Também as pessoas submetidas a um elevado desgaste físico ou mental (desportistas, estudantes, etc).

A niacina, a niacinamida e o hexanicotinato de inositol estão disponíveis como suplementos dietéticos, tanto de forma individual ou combinada como complexo de vitaminas B . Estes suplementos apresentam-se em formato de cápsulas ou comprimidos. Dado que a composição e a dose pode diferir materialmente, aconselha-se seguir sempre as indicações de cada produto e tomar sempre a dose recomendada.

A niacina tem efeitos secundários?

Os efeitos secundários podem manifestar-se com um intenso formigueiro na pele, sobretudo na cara, pescoço, orelhas e na zona do peito

Isso é devido a um maior fluxo da circulação, que pode causar a vermelhidão e calor na pele, similar a uma queimadura do sol. Não devemos preocupar-nos com isto, dado que estes efeitos secundários são inofensivas e obedecem a uma resposta normal do corpo à ingestão de niacina. Dependendo da dose, estes efeitos desaparecem depois de 30 - 60 minutos.

Uma forma de atenuar os efeitos secundários consiste em tomar os suplementos de niacina imediatamente depois de comer. Os efeitos mais intensos da niacina apreciam-se quando se toma com o estômago vazio ou depois de consumir álcool ou uma bebida quente.

Quando se toma niacina em doses elevadas podem produzir-se efeitos secundários, tais como:

  • Indigestão
  • Tonturas
  • Dores de cabeça
  • Vista borrosa

Quando se apresentam estes efeitos devemos interromper a ingestão ou reduzir a dose.

A niacina tem interações?

A niacina pode interatuar quando se toma com alguns medicamentos, tais como:

  • Tetraciclina(antibiótico)
  • Aspirina
  • Os medicamentos receitados para a pressão arterial
  • Anticoagulantes
  • Medicamentos redutores do colesterol

Outros nomes com os que se denomina a niacina

A niacina conhece-se também com outros nomes: vitamina B3, ácido nicotínico, niacinamida, nicotinamida.

Subscreve o newsletter e consegue um 15% Desconto na tua primeira compra
x