Quercetina
3 Produtos
  • QUERCETIN W/BROMELAIN - Now Foods
    Vitamins Week
    Antioxidante, anti-inflamatório e anti-alergénico. Reforça o sistema imune.
    V VG
    De
    23,72 €
    27,90 €
    -14.98%
      4,18 €
    Em stock
  • 20,50 €
    Em stock
  • Quercetina para ajudar a reforçar o sistema imunitário e aportar proteção antioxidante.
    9,90 €
    Sem stock

Quercetina

O que é a Quercetina?

Ingrediente Quercetina

A quercetina é uma substancia de elevadíssimo poder antioxidante a que adjudicam notáveis propriedades medicinais, que em essencial se traduzem em dilatar a aparição dos sintomas de envelhecimento à base de amortizar o deterioramento das estruturas celulares. Em consequência, podemos dizer que se trata de um nutriente vital para manter a saúde.

Pertence à família dos flavonoides, que quimicamente são uma variante dos polifenoles, atendendo a algumas outras denominações como quercetina ou quercerol. Falar dos flavonoides é aludir a uma extensa família de substancias catalogadas como fitonutrientes (dada sua origem vegetal), das quais foram catalogadas já mais de 600, que pertencem a uma das sub-familias. Flavonoles, isoflavonas, neoflavonoides e antocianos, entre os que brilham com luz própria no kaempferol, as catequinas e as antocianinas.

Uma de seus peculiares rasgos é a variegada variedade de pigmentos que se repartem entre as diferentes moléculas, de sorte que podemos encontrar desde tonalidades intensamente azuis nos mirtilos até o característico vermelho da framboesa passando por um amarelo verdoso das maçãs e cebolas.

Como grupo, os flavonoides em geral e a quercetina em pareticular tem uma grande variedade biológica, primeiramente nos tecidos das plantas, e uma vez na cadeia trófica, em animais e pessoas após serem consumidos por estes.

Dentro dos vegetais, controlam os níveis das substancias específicas que regulam o crescimento e a especialização das células. E ainda, tem uma ação antifúngica e antibasteriana, e está comprovado que seu poder pigmentante gera um pode de atração para as abelhas, o que resulta estimulante para o desenvolvimento da polinização.

Mas se um atributo é consubstancial das características dos flavonoides é formar parte de um seleto mundo dos antioxidantes, cujo papel no entorno da unidade menor dotada de vida própria, a célula, centra-se em evitar o desencadeamento da casca de formação de radicais livres de oxigénio, elementos altamente nocivos para a integridades das membranas celulares e percursores da degeneração dos tecidos e incluso a aparição de neoplasias ou cancros.

Índice de conteúdos

    1. O que é a Quercetina?
    2. Alimentos ricos em quercetina
      1. Chá
      2. Cebola
      3. Maçã
      4. Aveia
      5. Alho
      6. Espinafres
      7. Alcaparras
      8. Frutas vermelhas e roxas
    3. Funções biológicas da quercetina e sua contribuição para a manutenção da saúde
    4. Benefícios e propriedades da quercetina
    5. O outro lado da quercetina: seus possíveis efeitos colaterais e contra-indicações
      1. Contra-indicações e interações com outras substâncias
    6. Suplementos de quercetina e seus aspectos mais notáveis
    7.  Um conjunto de excelência: quercetina e vitamina C
    8. Sinergia ntre reveratrol e quercetina
    9. Quercetina e prebióticos

Alimentos ricos em quercetina

Tratando-se de um dos pigmentos que conferem cor as diferentes partes da anatomía vegetal, é fácil de comprrender a presença da quercetina seja muito habitual entre os alimentos que destacam por algumas variadas tonalidades que podem aportar, tais como o vinho tinto, cebolas, maçãs, ginko biloba ou erva de São João. Mas selecionamos alguns dos que podem repertcurtir na dieta diária com grandes aportes.

Chá

Tanto o chá verde como preto, são portadores de quantidades relativamente apreciáveis de quercetina, incluso poderíamos citar uma modalidade de chá vermelho conhecida como rooibos, ainda que seus níveis ficam em cifras mais modestas. De todos eles, o há preto na sua versão descafeinadas que liderariam o ranking, seguido pelo chá verde e o preto comum. Uma das peculiaridades do chá verde tem outro antioxidante, a catequina, também pertence à família dos flavonoides e reputado anti-cancerigeno, triplicando neste respeito o do chá preto seco.

Cebola

Também seja familiar entre as fontes alimentares de quercetina, ao mesmo tempo que lidera o estado destas. E talvez seja em parte dito pela sua abundancia em quercetina a popularidade da cebola como alimento emblematicamente saudável, sendo adjudicado tradicionalmente bondades relacionadas com a circulação sanguinea e na manutrenção da vitalidade celular, o grande enemigo do envelhecimento. Não acabam ai suas propriedades nutritivas, completadas com vitamina C, potássio, fibra solúvel, ferro e cálcio, este último importante para aumentar a densidade mineral do tecido ósseo, chave no desenvolvimento da osteoporose.

Há que ter consideração na qualidade biológica deste buslbo em relação com a quercetina, não só deve-se à quantidade de flavonoide contida no seu seio, se não sua intrinseca bio-disponibilidade há que conforme dados extraiods de um estudio elaborado na Universidade Agrícola de Wageningen (Paises Baixos), é absorvida pelo organismo com uma eficácia triple que a contida com outras das fontes importantes, a maçã.

Pode-se estimar que uma cebola de uns cem gramas contém entre 25 e 50 miligramas de quercetina, osculação que está em função da acidez do terreno, entre outros fatores de menos importância.

Só um obstáculo separa a cebola da excelência como fonte alimentar de quercetina: uma vez seja plantada, durante seu armazenamento se produz uma perca do 25% do seu conteúdo de quercetina se este se prolonga mais de uma semana antes do consumo.

Maçã

Não são poucas as frutas que merecem a consideração de ser lembradas na hora de falar de alimentos ricos em quercetina, mas entre elas, sem dúvida, sobressai a maçã, cujo consumo sempre é mais interessante nestes efeitos realizar em cru.

Sua pele é a parte que tem em maior forma sua riqueza em antioxidantes, diferente do conteúdo entre variedades com clara vantagem pelas denominações Red Delicious, Ted Ida e Northern Spy.

UUm reputado médico, conhecido como Dc. Weil, pertence ao grupo de Trabalho Ambiental, apela ao consumo regular de maçãs como medida nutricional para prevenir o Alzheimer graças a quercetina.

Aveia

A titulo geral está considerada um dos cereais de maior qualidade nutricional, e um dos motivos que radica na sua abundância em quercentina. É cada vez mais frequente ver integrado dieta diferentes a reduzir o nível calórico, travar o apetito desmedido pela condição saciante que lhe da seu alto conteúdo fibroso e promove o rejuvenescimento.

Alho

O prestigio adquirido por essa lilácea como im dos mais potentes antibioticos naturais é, em sua parte, devido as virtudes terapeuticas da quercetina.

Alimentos ricos em quercetina

Em tal medida, se insiste na excelência nutricional que apresenta ingerir um alho cru por dia.

Espinafres

São uma das verduras que com maior regularidade aparece nas listas de alimentos ricos em alguma substancia de alto valor biológico, sendo que a quercetina um nome próprio delas. Combinadas com a cebola e alho confecionam uma maravilhosa receita na hora de promover qualquer das funções saudáveis destes ingredientes.

Alcaparras

Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), um dos principais organismos alimentares do mundo, as alcaparras têm uma das maiores concentrações naturais deste antioxidante. Como sugestão interessante para seu consumo, dizer que a conservação de seus botões florais em salmoura contém 173 miligramas de quercetina por cem gramas.

Frutas vermelhas e roxas

Frutas tingidas de vermelho, roxo e azul escuro contêm níveis significativos de quercetina. Entre eles estão especialmente mirtilos, cem gramas dos quais contêm 15 miligramas, seguidos por ameixas pretas, com 12,5 miligramas na mesma quantidade.

Os chokeberries, groselhas e cerejas, entre outros, também são fontes muito aceitáveis de quercetina.

É preferível comer essas frutas cruas, pois, como será visto mais adiante, o contato com o calor e a água é muito agressivo nesse princípio ativo.

Funções biológicas da quercetina e sua contribuição para a manutenção da saúde

Uma nutrição equilibrada e seletivamente enriquecida é uma das melhores armas disponíveis para proteger a saúde. Numerosos estudos de pesquisa chegam a confirmar que o consumo regular e abundante de frutas e vegetais destacado pelo conteúdo de quercetina diminui o risco de ser afetado por algumas doenças e, consequentemente, aumenta a expectativa de vida.

A literatura científica é cheia de referências à quercetina que a posicionam como uma das substâncias naturais de maior valor biológico conhecidas. No entanto, a capacidade do organismo de assimilar esse composto reduz de certa forma sua biodisponibilidade.

Benefícios e propriedades da quercetina

Antes de abordar em profundidade suas implicações dentro do organismo, podemos avançar uma revisão das principais aptidões desse flavonóide:

    • Tem como um de seus principais objetivos o controle de desvios no funcionamento do coração e do sistema circulatório: arteriosclerose, hipercolesterolemia, tromboembolismo e hipertensão, fundamentalmente. Um suprimento regular de quercetina se comporta como um fator de equilíbrio da pressão arterial de maneira natural, contribuindo para a estabilização das pressões arteriais sistólica, diastólica e média. Em relação a essa função, reduz o risco de acidentes vasculares cerebrais, como acidente vascular cerebral ou infarto cerebral.
    • Anti-inflamatório em quadros clínicos ligados ao sistema urinário, como inflamação da próstata e cistite intersticial (que afeta a bexiga), agindo por sua vez como um sintoma paliativo causado pelo vírus do herpes. Além disso, podemos indicar que, como indicações sem oposição, poderia ser eficaz no tratamento da chamada síndrome da dor pélvica crônica.
Beneficios e Propriedades da Quercetina
  • Suas propriedades antiespasmódicas e antiinflamatórias não são depletadas no sistema excretor, mas também se manifestam, embora com menor intensidade, nas articulações (artrite) e intestinos (colite e doença de Crohn)
  • Quanto aos seus efeitos na árvore respiratória, um estudo de laboratório concluído em 2013 atribuiu o efeito broncodilatador para verificar seu poder de inibir a enzima que catalisa os mecanismos de inflamação e estreitamento dos brônquios; Isso, em última análise, resulta no relaxamento das fibras musculares lisas da parede brônquica.
  • Ação antidiabética: caracteriza-se basicamente por amortecer o dano renal típico causado pela hiperglicemia. Por outro lado, pesquisas recentes realizadas em animais experimentais revelaram que a quercetina ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue.
  • Supõe uma barreira natural contra doenças infecciosas: todos os alimentos ricos em quercetina são atribuídos ao caráter de antibióticos naturais, pois constituem um estímulo muito notável do sistema imunológico

  • Poder antioxidante: é responsável pelo que é talvez o recurso que cobre mais funções, supõe um freio ao envelhecimento celular e, conseqüentemente, à progressiva deterioração do organismo. Dentro desse conglomerado, sua ação anticarcinogênica brilha com luz própria, pois estimula o processo conhecido como apoptose, que é a morte das células tumorais. Não esquecer que a raiz da génese de tumores malignos constitui a reacção em cascata de formação de radicais livres nas membranas celulares, de modo que a sua potência antioxidante para ajudar na prevenção de cancros, especialmente da próstata, da mama, cólon e pele

  • Ajuda a combater os sintomas irritantes de reações alérgicas, isto é, o espirro, o lacrimejamento, a urticária ou o eczema. Além disso, é uma boa alternativa para os asmáticos quando enfrentam episódios agudos de asma, bem como aqueles que sofrem de febre do feno. A explicação científica é baseada no fato de que a quercetina tem um considerável efeito anti-histamínico. Diversos testes laboratoriais demonstraram qual é o seu mecanismo de ação: age sobre os mastócitos, que são as células responsáveis pela liberação de histamina, substância que causa os sintomas mais característicos das reações alérgicas. Dentro dessas células, neutraliza as enzimas que catalisam sua síntese e a consequência é que inibe sua liberação. Por esta razão, é amplamente recomendado em tratamentos naturais contra essas condições. Nesse campo, também foi estudada a eficácia da quercetina contra a dermatite de contato e a fotossensibilidade, ambas caracterizadas por uma reação avermelhada e bastante rebelde aos medicamentos. E os resultados parecem ser bastante encorajadores.
  • Fortalecimento do cabelo: esta nutrição flavonóide estimula o couro cabeludo e cabelo de dentro do corpo, adensando este e prevenir a descamação da pele que se manifesta na forma de caspa.
  • E se falamos de stresse, a principal alteração metabólica diretamente relacionada a ele é o aumento na produção de cortisol pelas glândulas supra-renais. Este é o hormônio que desencadeia o mecanismo de defesa que, por parte do psiquiatra austríaco H. Selye, foi chamado de síndrome da luta ou fuga. Embora seja uma reação considerada fisiológica, um estresse sustentado pode gerar um platô no gráfico do nível sangüíneo de cortisol com conseqüências prejudiciais, como a degradação protéica originada nos músculos. Bem, este flavonóide combate esses efeitos participando da neutralização da enzima chave para que a liberação de cortisol ocorra.
  • A quercetina é incluída entre as substâncias recomendadas para controlar o sono. Uma boa iniciativa para aqueles que não conseguem dormir pode ser enriquecer sua dieta com produtos vegetais bem supridos com este flavonóide, como indicado acima, pois é conhecido por ajudar a otimizar os padrões de sono e prevenir a insônia. Isso oferece um efeito colateral interessante na redução do peso, se tal objetivo é desejado, já que não dormir adequadamente torna a pessoa mais suscetível ao aumento de peso.
  • Também são notadas as suas propriedades em relação à menstruação: entre os problemas mais frequentes que o ciclo menstrual envolve estão dores e espasmos do tipo cólica. Esses sintomas podem ser atenuados com base em uma dieta bem suprida com quercetina, não apenas durante os dias do período, mas de maneira contínua.
  • Um aumento no stresse oxidativo e fenómenos inflamatórios ocorre em atletas submetidos a grandes cargas de stresse. A ingestão de quercetina compensa esses efeitos negativos, minimizando os marcadores químicos da inflamação e a geração de radicais livres (função, esta, intimamente relacionada à ação antioxidante). Além disso, oferece uma vantagem defensiva nesse tipo de pessoa contra infeções respiratórias (resfriado comum e gripe, por exemplo), às quais elas são especialmente vulneráveis após um poderoso trabalho físico.
  • Efeito antiaging ou anti-envelhecimento do organismo. A esse respeito, devemos destacar, por exemplo, que na Rússia ela é elevada à categoria de substância anti-envelhecimento por si, a ponto de ser conhecida como rejuvenescedor russo. Esse efeito sugestivo é derivado da convergência de duas vias: por um lado, reduzindo a suscetibilidade a um bom catálogo de doenças crónicas e degenerativas (entre as quais podemos citar a doença de Alzheimer); por outro, pelo seu efeito direto, experimentalmente demonstrado, na expectativa de vida como resultado da produção de alguns genes intimamente ligados a essa característica vital (desconhece-se com certeza se os resultados obtidos com organismos inferiores podem, como tal, ser extrapolados para o ser humano).
  • A quercetina pode ser usada para apoiar a terapia contra a sarcoidose, uma doença grave que geralmente envolve inflamação do tecido pulmonar, da pele e dos gânglios linfáticos. E, como alfaiate, podemos listar algumas outras indicações, como gota, pancreatite, catarata, úlcera duodenal, algumas infeções virais, como herpes zoster e síndrome da fadiga cronica.

O outro lado da quercetina: seus possíveis efeitos colaterais e contra-indicações

Entre as várias listas de antioxidantes existentes, deve-se notar como denominador comum a quase todos que seus potenciais riscos à saúde são muito escassos, mas também que, ao mesmo tempo, requerem algum cuidado em seu consumo como suplementos (dos quais falaremos mais adiante). ).

Ocasionalmente, desconforto gástrico, dor de cabeça, formigamento e certa sensação de tontura foram relatados por alguns pacientes.

Desta forma, pode-se afirmar sem hesitação que a quercetina é uma substância potencialmente segura consumida por via oral e por curtos períodos de tempo (digamos, uma dose de grama dividida em duas doses diárias durante três meses.

No entanto, antes da apresentação de uma reação adversa, por moderada, é prudente suspender a ingestão imediatamente e levar o assunto ao conhecimento de um médico.

Mas não pode ser dito nos mesmos termos se há uma ingestão em doses significativamente excessivas, caso em que a indução de mudanças no material genético (DNA) de organismos inferiores durante as observações foi revelada em testes de laboratório. laboratório, de acordo com um artigo publicado na revista "Internet Journal of Medical Update" uma década atrás. E no campo da clínica diária, overdose de quercetina foram identificados como uma causa de insuficiência renal cronica.

Contra-indicações e interações com outras substâncias

Na forma de aportes alimentares, a quercetina não tem perfis associados de indivíduos de qualquer tipo em que seu consumo não é recomendado.

Mas no caso de complementos alimentares, o cuidado deve ser imposta no caso das mulheres grávidas e lactantes e de ser tratado com certos antibióticos (especialmente ciprofloxacina e eritromicina) ou relacionados com a função hepática (por exemplo, nifedipina ou ervas produtos substâncias para melhorar governado a funcionalidade do fígado).

Mais especificamente, sabe-se que a agregação plaquetária pode se tornar difícil, alterando o tempo de coagulação sanguínea. Pode intensificar os efeitos colaterais de alguns medicamentos usados na quimioterapia, como o bissulfam ou a cisplatina. E também pode interferir com a acção da ciclosporina empregada para mitigar os efeitos do sistema imunitário em transplante e prevenir a rejeição.

Por fim, dizer que a papaína e bromelina, substâncias proteicas contidas na papaia e abacaxi, respetivamente, podem aumentar a absorção intestinal.

Suplementos de quercetina e seus aspectos mais notáveis

A quercetina é na indústria farmacêutica, em muitos países, uma matéria-prima para o fabrico de acção protectora complementar de vasos sanguíneos contra aterosclerose prevenindo a oxidação da molécula de colesterol LDL, o principal precursor, e isso irá aderir a as paredes arteriais. Também se torna parte de múltiplas formulações multivitamínicas e vários remédios naturais.

De acordo vitamina Varejista, prestigiada publicação da indústria suplementação dietética inconscientemente a maioria das pessoas consomem entre 5 e 70 mg de quercetina através dos alimentos. Com base nisso, os especialistas da revista argumentaram a favor de uma ingestão adicional de 400 mg duas ou três vezes por dia.

Especialistas sugerem que a toma de quercetina deve ser realizada antes de um quarto de uma hora ou vinte minutos antes das refeições. O mercado oferece várias apresentações físicas, como comprimidos, cápsulas e geis, com a exceção simbólica de preparações injetáveis para administração intravenosa ou intra-muscular.

Além dessas questões genéricas sobre sua posologia, é conveniente discernir entre os objetivos que podem ser alcançados dependendo da dose decidida. Uma razão de um grama por dia, em doses divididas, é fornecido com qualidades anti-inflamatórios suculentos por prevenção da síntese de NF-kappaB, uma proteína interveniente chamado decisivamente na codificação que executar certos genes de substâncias específicas, citocinas, que eles são os principais impulsionadores dos fenômenos de inflamação nos tecidos.

No entanto, todas as fontes de quercetina não são equivalentes. Há um tipo especial, chamado quercetina calcona, que tem fortes defensores em favor de uma absorção possivelmente mais eficaz no trato intestinal. Por outro lado, a única fonte reconhecida como GRAS (Geralmente Reconhecido como Seguro - geralmente reconhecido como seguro) pelo FDA dos EUA é obtido das sementes e vagens de um arbusto nativo do Brasil listado entre leguminosas. Esta forma contém 99,5% de quercetina anidro desprovido de metais (o principal poluente perigo) e biodisponibilidade no bem acima da média do tecido. Normalmente assimilação ocorre no duodeno e no cólon, o que resulta em níveis sanguíneos de pico, uma vez decorridos desde cinco a oito horas após a absorção e mantendo algarismos significativos por dia ou um dia e meio.

 Um conjunto de excelência: quercetina e vitamina C

A chave para os poderosos benefícios de uma combinação de quercetina e vitamina C reside, por um lado, no aumento da regeneração da quercetina e no aumento da biodisponibilidade deste, e, por outro lado, no aumento da absorção de vitamina C. e diminua a sua eliminação.

Esta combinação tem amplamente reconhecido efeitos redutores de lesão celular e inflamação. Em relação a este último, diferentes pesquisas descobriram:

  • Uma diminuição próxima a 50% de um parâmetro que se comporta como um marcador da reação inflamatória, a proteína C-reativa.
  • Diminuição de 60% em outro marcador inflamatório, a interleucina 6.

De tudo isso, o interesse de um regime de suplementação conjugada de quercetina e vitamina C pode ser extraído como conclusão.

Pode ser destacado pelos benefícios da linha de suplementos HSN e pela marca Vitaminalia, com excelentes preparações.

Sinergia ntre reveratrol e quercetina

Ambos antioxidantes naturais integram com nome próprio o conjunto dos que poderiamos chamar nutrientes essenciais. Utilizados em combinação podem converter-se em um eficaz procedimento para, mediante o bloqueio da cascada de radicais livres de oxigenio, prevenir doenças cardiovasculares e cerebro-vasculares e reforçar o organismo frente ao cancro em boa parte das suas modalidades. O reveratrol pode-se obter em forma de cápsulas e comprimidos.

Quercetina e prebióticos

Não podemos terminar esta exposição sem um comentário a outros das interessantes sinergias que o mercado oferece sobre a base de quercetina.

Falamos em concreto da sua combinação com os probióticos B. Bifidum e L. gasseria (um par de cepas bacterianas do estilo das presentes em alimentos fermentados como iogurte ou kefir) que se unem com a quercetina seu poder de induzir a morte celular em cultivo de células de cancro de cólon. Disto se desprende a possibilidade de introduzir este tándem nos planeamentos terapêuticos do cancro colorrectal; compaginar alimentos de origem vegetal ricos em quercetina com suplementos deste antioxidante e probióticos parece ser uma boa opção neste sentido.

Subscreve o newsletter e consegue um 15% Desconto na tua primeira compra
x