Quitosana
6 Produtos
  • QUITOSANA 500mg - 120 caps - HSN Essentials
    TOP vendas
    Fornece 500mg de quitosana por cápsula.
    SG SL OGM
    Sem IVA + 20% dto
    10,32 €
    12,90 €
    -20.03%
      2,58 €
    Em stock, envio grátis
  • CHITOSAN - Now Foods
    Sem IVA!
    Inibidor do apetito. Quitosana de Now Foods vai ajudar-te a controlar a ansiedade por comer
    De
    16,90 €
    Em stock, envio grátis
  • 12,91 €
    16,79 €
    -23.06%
      3,88 €
    Em stock, envio grátis
  • QUITOSANA - 60 veg caps - Drasanvi
    Oferta Especial
    9,90 €
    12,69 €
    -22.01%
      2,79 €
    Em stock, envio grátis
  • HCA CHITOSAN - 100 caps - Scitec Nutrition
    Scitec Days: descontos + presentes
    13,24 €
    20,99 €
    -36.89%
      7,75 €
    Em stock, envio grátis
  • STACKER 3 CHITOSAN - 100 caps - Stacker
    Sem IVA!
    Nova fórmula redutora de gorduras! Com Quitosana!
    18,90 €
    Sem stock

Quitosana

Conhecido também por quitosano e, popularmente, como “íman da gordura”, a quitosana é uma fibra natural extraída do exoesqueleto de alguns crustáceos marinhos cujo interesse radica na função que é capaz de realizar no aparelho digestivo, neutralizando as gorduras conforme trancorrem junto ao bolo alimentício antes do seu aproveitamento metabólico.

Índice de conteúdos

    1. De onde procede a quitosana?
    2. Como atua a quitosana no nosso organismo?
    3. Propriedades e possíveis usos da quitosana
    4. Usos biomédicos da quitosana
    5. Usos industriais da quitosana
    6. Usos agrícolas e ambientais
    7. Benefícios clínicos da quitosana
    8. O papel estrela da quitosana: um poderoso efeito de emagrecimento
    9. Alguns efeitos secundários da quitosana
    10. Como tomar a quitosana
    11. Algumas combinações úteis da quitosana

De onde procede a quitosana?

Mas… Qual é o substrato do que deriva a quitosana? A casca que reveste o corpo de um crustáceo está composto, entre outras substâncias, num 30 % por quitina, um polissacarídeo (hidrato de carbono complexo) cujo nome específico é N-acetil-D-glucosamina, do qual se podem obter grandes quantidades a partir do exoesqueleto destes invertebrados, entre os quais podemos citar a gamba, a lagosta, o camarão ou o caranguejo.

Previamente ao início do processo de obtenção da quitosana, deve separar-se integramente a quitina do resto de componentes das cascas, o que implica a eliminação da fração de proteínas, que representa entre um 20 e um 40 %, da matéria mineral, basicamente carbonatos e fosfatos de cálcio e magnésio, o que supõe aproximadamente a metade da composição química e dos pigmentos carotenoides, que são os que dão a cor avermelhada ou alaranjada aos crustáceos.

Partindo da quitina, a obtenção da quitosana acontece mediante um processo de desacetilação daquela, que pode pode ser feita de forma química ou biológica. No primeiro caso desenvolve-se num meio muito alcalino (como a soda cáustica) e no segundo participam umas enzimas chamadas desacetilases procedentes de várias espécies de fungos. A desacetilação, em síntese, consiste em eliminar a fração acetilo da molécula de quitina, cuja nomenclatura recordemos que é N-acetil-D-glucosamina.

Como atua a quitosana no nosso organismo?

Chitosán y pérdida de peso

A base do seu mecanismo de ação dentro do aparelho digestivo é de natureza eletrostática. A quitosana, ao atravessar o meio ácido do estômago, adquire carga positiva nos grupos de aminoácidos livres que sobressaem das cadeias de N-acetil-D-glucosamina. Por outro lado, os lípidos (gorduras) têm a carga negativa que os grupos COOH lhes proporcionam (que são os que definem a estrutura de um ácido gordo), o que desencadeia essa atração eletrostática com a quitosana que leva à formação de um gel.

Para compreender a dimensão desta operação de neutralização, bastará fornecer um dado: a proporção quitosana/gordura, em peso de ambas substâncias, pode alcançar a proporção 1:5.

A superfície desse gel está integrada por moléculas de quitosana sequestrando às de gordura que ocupam o interior. É imune à ação dos sucos intestinais e pancreáticos, pelo que termina sendo excretado pelas fezes. A formação do gel contribui enormemente para a alcalinização típica do meio intestinal, que contrasta com a acidez do estômago.

Ainda falta por completar este modo de ação fazendo referência a um fenómeno que se conhece como inibição competitiva, exercida sobre as enzimas amilase e lipase, que é devido à similitude estrutural entre as moléculas destas enzimas e à da quitosana.

Em definitiva, falamos de um composto de enorme utilidade para reduzir a absorção das gorduras no trato intestinal, evitando por conseguinte o seu depósito nas células especializadas nisso, os adipócitos; não devemos esquecer que uma grama de gordura gera 9 quilocalorias, sendo o macronutriente que mais energia fornece, dado que os hidratos de carbono e as proteínas ficam-se em 4 quilocalorias. Graças a esta ação, que graficamente poderíamos denominar apanha-gorduras, a quitosana também ajuda a reduzir os níveis do colesterol chamado mau (LDL ou lipoproteínas de baixa densidade).

Propriedades e possíveis usos da quitosana

Uma das particularidades desta fibra natural é que aglutina três propriedades biológicas, posto que é biodegradável, biocompatível e bioativa. A combinação destas que poderíamos chamar virtudes bio, outorgam-lhe um enorme abanico de capacidades das que nos podemos aproveitar, não só no âmbito clínico (como as descritas até agora), senão também em aplicações de tipo bioquímico e biomédico.

A tradução prática desta afirmação plasma-se na participação da quitosana na fabricação de antibióticos, suturas cirúrgicas ou cosméticos, passando logicamente pelos suplementos dietéticos.

Usos biomédicos da quitosana

Beneficios chitosán

No capítulo biomédico, é altamente interessante o material híbrido denominado sílica-quitosana, cuja excelente compatibilidade com os tecidos do organismo humano converteu-a no material de eleição para o revestimento em suturas de seda e de poliglicolato. E há evidências de peso para isso: acelera a cicatrização da ferida por aumentar em mais de cem vezes a permeabilidade da sutura ao oxigénio, além de que limita o desenvolvimento de micro-organismos, minimizando assim o risco de infeção.

Aplicado em curativos, ajuda a aplacar o sangrado das feridas nas que está implicada alguma artéria, que tendem a produzir grandes hemorragias. Nesta função supõe uma grande vantagem em relação com as gases clássicas, ao que há que juntar que é hipoalergénico e anti-séptico.

Tem um grande reconhecimento dentro da cirurgia implantologica, em combinação com a clorhexidina, para reduzir a inflamação e a dor, contribuindo para um menor consumo de anti-inflamatórios e analgésicos. Também está a ser pautada a sua administração em tratamentos de periodontites e gingivites.

Na cirurgia plástica é tida cada vez mais em conta como apoio para a reconstrução dos tecidos manipulados, devido aos seus efeitos reparadores em quanto à fluidez do processo de cicatrização e à diminuição de cicatrizes.

Usos industriais da quitosana

Serve como elemento de revestimento da pintura de poliuretano contra a agressão da luz solar, de especial utilidade em carros, móveis e embalagens.

É eficaz nas reações de extração de corantes, metais pesados, isótopos radioativos e taninos de diferentes substratos, por exemplo para eliminar o arsénico das águas residuais.

Na indústria alimentar tem o seu espaço em diversas ramas, entre as que podemos citar:

  • A indústria panificadora, como emulsionante na elaboração das massas.
  • Na indústria de bebidas, como absorvente para a clarificação dos sumos de frutas e para evitar esse tom acastanhado que é propenso de adquirir o de maçã.
  • A indústria vinícola, onde previne as alterações conhecidas como bronzeado e madeiramento do vinho branco subtraindo dele os componentes fenólicos (substâncias químicas muito habituais em alimentos de origem vegetal, chamando-se o do vinho resveratrol).
  • Em geral, como conservante em diversos alimentos pela sua capacidade de inibir o crescimento de micro-organismos, tanto bactérias (Salmonella, Escherichia, Staphylococcus, Yersinia e Listeria, todos eles causantes de intoxicações alimentares) como fungos (Byssochiamys, Mucor e Aspergillus, este último produtor das perigosas aflatoxinas).

Em relação a este último, um dado interessante é que a quitosana estimula a síntese dos compostos fenólicos nas sementes de amendoim. Estes comportam-se como inibidores do fungo Aspergillus flavus, travando assim o risco de produção de aflatoxinas.

A sua ação anti-microbiana baseai-se em modificar a permeabilidade da parede celular destes gérmes pelas ligações entre os iões positivos da quitosana e os negativos da parede bacteriana. Sabe-se que na maionese de ovo a sua presença reduz apreciavelmente, durante o armazenamento do produto a temperatura ambiente, a quantidade de micro-organismos causantes de alterações dos géneros Lactobacillus e Zygosaccharomyces. Nas salsichas admite-se o seu uso reduzindo a quantidade de nitratos, o que é uma excelente vantagem, dado que estes têm uma certa capacidade cancerígena.

Usos agrícolas e ambientais

Contribui para aumentar os rendimentos produtivos e proporciona proteção contra agentes externos, especialmente contra infeções causadas por fungos.

Participa nos processos de filtração da água, eliminando substâncias contaminantes para a sua potabilização.

É eficaz como agente coagulante ou floculante no tratamento primário das águas residuais, eliminando as substâncias que se encontram em estado coloidal e que por sedimentação demorariam uma eternidade para poderem ser eliminadas.

Benefícios clínicos da quitosana

Propiedades chitosán

A quitosana é uma maneira natural de reforçar o sistema imunológico, integrado por duas vertentes: a imunidade humoral e a celular. A primeira está representada pela síntese de anticorpos, enquanto que a segunda é a exercida por um grupo de células, onde as principais são os linfócitos T e B.

Sobre ambas, a quitosana exerce uma influência positiva, mas especialmente chamativa resulta ser a sua poderosa ativação das células NK (Natural Killer), cuja função é atacar especificamente as células cancerígenas; esta ativação faz com que a quitosana seja dez vezes mais enérgica que outros tratamentos contra o cacnro.

Existem reputados estudos que vieram demonstrar que a quitosana pode equilibrar os níveis de colesterol no sangue, especialmente de LDL ou “colesterol mau”. Convém não esquecer que a hipercolesterolemia (níveis elevados de colesterol sanguíneo) é um dos principais fatores de risco para o padecimento de doenças cardiovasculares e cerebrais vasculares (derrame cerebral).

Além disso, sabe-se que é hipotensor, isto é, reduz a tensão arterial, que também melhora a assimilação de cálcio (o que é especialmente interessante para quem sofre osteoporose), que controla até eliminar a bactéria Helicobacter pylori que desencadeia, no estômago, as úlceras gastroduodenais e que funciona também como apoio ao tratamento da anemia.

Entre os seus múltiplos benefícios, não devemos passar por alto a sua utilidade para evitar infeções nos dentes e gengivas, colaborando até, como já se refletiu anteriormente, na recuperação dos tecidos após as operações de cirurgia plástica.

Por outro lado, foram publicados estudos médicos que mostram argumentos conclusivos sobre as possibilidades da quitosana como suplemento no tratamento de pessoas que padecem a doença de Crohn (um processo inflamatório crónico que habitualmente se instala no aparelho intestinal, com mais assiduidade nos últimos tramos).

O papel estrela da quitosana: um poderoso efeito de emagrecimento

Pela sua consideração de fibra natural de excelente qualidade biológica e por ter uma extraordinária capacidade de absorção de gorduras, a sua principal e mais conhecida aplicação é como suplemento dietético em processos de perda de peso. Mas há que adverter que o facto de planificar um consumo de quitosana não garante a perda de peso, pois requer do complemento de uma boa dieta e da prática regular de exercício para que se vejam uns resultados aceitáveis. Não em vão, a quitosana carece de qualquer poder de intervenção sobre los hidratos de carbono.

Cada grama ingerida deste produto sequestra por volta de oito gramas de gordura. Se temos em conta que, como veremos seguidamente, se recomenda uma dose de três gramas diárias, estaríamos a eliminar entre vinte e vinte cinco de gordura. Sendo certo que é uma tarefa de envergadura, não é menos certo que se deve evitar cair num falso relaxamento ao depositar neste produto toda a responsabilidade de restrição das gorduras alimentícias, o que poderia levar a um consumo excessivo das mesmas, com a consequência de terminar por engordar.

A ingestão de duas gramas e meia de quitosana antes de uma refeição onde formem parte as gorduras, torna possível desviar do metabolismo uma quantidade destas, cuja equivalência sejam entre 140 e 180 quilocalorias.

Alguns efeitos secundários da quitosana

A leitura destes efeitos do quitosano como favorecedor da perda de peso deve fazer-se à luz de uma importante reflexão: o problema de utilizar quitosana ou qualquer outro apanha-gorduras pode vir de que os aportes, tanto de ácidos gordos essenciais, como de vitaminas lipossolúveis (A, E, D e K) fiquem por baixo das recomendações nutricionais.

Deve adverte-se igualmente da possibilidade de alguns efeitos adversos em mulheres grávidas, que basicamente se traduzem num abrandamento do crescimento do feto.

Alguns outros efeitos colaterais descritos após a ingestão de quitosana limitam-se ao aparelho respiratório, na forma de uma sensação de compressão nas fauces e no peito, mas também na pele (picor, erupções e dermatites) e dores de cabeça intensas e recorrentes.

Finalmente, dizer que as pessoas alérgicas ao marisco podem (de facto, é o esperado) reagir adversamente à quitosana. A possibilidade, se bem que remota, de ser vítima de algum destes efeitos secundários aconselha a uma precaução de pôr em conhecimento de um especialista a conveniência de pautar ou não a toma da quitosana.

Como tomar a quitosana

Tomar chitosán

Para que dê os resultados esperados, a dieta deve conter hidratos de carbono e ser abundantemente acompanhada de líquido para facilitar a evacuação das gorduras presas pelas fezes.

A quitosana pode encontrar-se facilmente em ervanárias, farmácias, parafarmácias e supermercados, assim como em plataformas online (como a HSNstore). A sua oferta é bastante abundante, sendo as formulações mais habituais as que levam entre 200 e 400mg por cápsula. A dose geralmente recomendada é de umas 2500mg por dia, divididas pelas três refeições principais. Para fazê-lo corretamente, é preferível tomar-la um quarto de hora antes de cada refeição com dois copos de água.

Em quanto à duração do tratamento, recomenda-se prolongar-lo pelo menos durante doze semanas, por baixo das quais os efeitos podem passar desapercebidos. Mas por sua vez, é perigoso manter-la um tempo excessivamente prolongado (mais de quinze semanas) porque poderiam notar-se diminuições na assimilação dos nutrientes anteriormente referidos. No entanto, o prudente é consultar um médico para saber que quantidade se deve tomar. Para não padecer efeitos secundários, é melhor não ingerir-la em doses e duração inconvenientes.

Outra aplicação consiste em aplicar alguma das suas apresentações em pó sobre as gengivas ou uma pastilha de mascar com quitosana quando o objetivo é combater uma doença periodontal ou uma inflamação das gengivas.

Algumas combinações úteis da quitosana

Dentro de um plano de emagrecimento, pode resultar eficaz associar-lhe algum suplemento que exerça como inapetente, como podem ser algumas algas (spirulina e fucus), ou um que provoque um “stress” metabólico, como o chá vermelho ou o marrubio (planta com muitos efeitos positivos no sistema digestivo, vesícula e fígado), entre outros exemplos.

Combinado com vitamina C (é frequente ver esta combinação nos produtos comerciais), potencia-se a redução da absorção de gorduras.

Mas a associação mais reconhecida talvez seja a da quitosana com a Garcinia Cambogia.

Subscreve o newsletter e consegue um 15% Desconto na tua primeira compra
x