Saúde dos Olhos
21 Produtos
Definir direcção ascendente

Saúde dos Olhos

Os nossos olhos nunca estiveram tão expostos a todo o tipo de agressões como sucede na atualidade. Trabalhamos durante horas diante o ecrã do computador ou “tablet” e dedicamos grande parte do nosso tempo de lazer a ver televisão, ler, ou passear pelas apps dos nossos telemóveis.

Por esse motivo, necessitamos receber os nutrientes necessários para manter e conservar a vista em condições ótimas.

A vista é um dos sentidos mais importantes. Graças a este sentido podemos ver os objetos, podemos orientar-nos e podemos distinguir a luz da escuridão. Cada objeto percebe-se de forma distinta, em função do seu brilho e cor:

Por outro lado, a pupila reage de forma diferente segundo haja mais brilho ou mais distância. Para que os olhos e os elementos que os compõem, como a córnea, o íris, a pupila, o nervo ótico e a retina, funcionem corretamente necessitam receber os nutrientes e vitaminas adequados, já que com qualquer pequena perturbação pode ter graves consequências e produzir todo o tipo de degeneração da função ocular.

As causas das doenças oculares e os principais defeitos da vista

A saúde do globo ocular afeta a retina, a córnea, o cristalino e o humor vítreo.

O humor aquoso (o líquido que se encontra no globo do olho à frente do cristalino) afeta a capacidade de ver bem. No entanto, os olhos não são os únicos responsáveis de um defeito na visão, já que isto pode ser devido a outro tipo de causas, ou funções orgânicas defeituosas.

A partir dos 20 anos a vista começa a envelhecer e começamos a ver com menos claridade. Se bem que este processo costuma ser lento, por vezes as condições externas podem acelerar mais o envelhecimento.

As principais causas deste envelhecimento prematuro podem ser trabalhar ou ler com luz insuficiente, assim como submeter os olhos constantemente à radiação dos ecrãs do computador ou do telemóvel. Qualquer pessoa que trabalhe com um computador está mais exposta à radiação que emitem os ecrãs. Quando os olhos começam a doer é o primeiro sinal de alarme. Além disso, o stress do trabalho também pode afetar a saúde da nossa vista.

Outro fator de risco para a vista é trabalhar em ambientes nos que há um excesso de pó ou areia, assim como trabalhar em laboratórios ou indústrias nos quais haja muitos produtos químicos.

O fumo do tabaco também causa fadiga ocular e os raios UV do sol, tanto no verão como no inverno, são uma agressão para os olhos. A luz do sol emite os raios UV que podem causar danos nos olhos e na pele que está próxima a eles. A luz ultravioleta do sol produz os radicais livres, que danam a parte interior dos olhos. Além disso, o cloro da água da piscina também dana os olhos.

Como proteger os olhos dos raios UV

Recomenda-se proteger os olhos dos danos dos raios UV usando uns óculos de sol e, até mesmo um chapéu quando o sol é mais agressivo.

Nos trabalhos em que seja necessário, deve-se usar sempre óculos de proteção e quando mergulhemos na piscina devemos levar óculos de natação para que o cloro não danifique os nossos olhos. Devemos usar sempre uma boa iluminação para reduzir a fadiga visual e relaxar os olhos quando observemos cansaço ou ardor, piscando ou humedecendo os olhos. Deixar o olhar perdido é um truque para aliviar a fadiga visual.

Diagnóstico e tratamento

As revisões oftalmológicas periódicas são o melhor método, graças à sua alta eficácia, para detetar e tratar a tempo os problema oculares e ametropias (miopia, astigmatismo e hipermetropia).

Patologias como o glaucoma ou a degeneração macular vão ter um melhor prognóstico se se detetam o antes possível e se tratam de forma precoce.

Os erros refrativos que não se corrigem dão lugar a um esforço visual e dificuldades para poder focar, dores de cabeça e fadiga ocular. Acudir ao oftalmólogo (ainda que aparentemente vejamos bem ou não tenhamos qualquer problema visual), é a melhor forma de detetar alterações ou até mesmo prevenir-las num 50% dos casos.

Além disso, as revisões oculares ajudam-nos a identificar outras doenças que se manifestam através dos nossos olhos como a hipertensão, a diabetes ou alguns tumores cerebrais.

Cada quanto tempo devemos fazer revisões da vista?

Durante os primeiros 24 meses de vida

Sobretudo no caso de que o bebé seja prematuro ou nasça com um peso baixo para a sua idade, é de suma importância realizar uma revisão dos olhos nas primeiras semanas de vida, caso se detete a retinopatia do prematuro. Durante os dois anos de vida deverá realizar-se uma revisão se se deteta algum destes sintomas com o objetivo de poder tratar a criança precocemente:

  • Desvio de um ou ambos olhos
  • Lacrimejo ou conjuntivite de repetição
  • Fotofobia ou córneas grandes
  • Leucocoria ou reflexo esbranquiçado pupilar
  • Nistagmo congénito ou movimentos rápidos dos olhos

Há problemas visuais onde é muito complicado atuar e encontrar o melhor tratamento se não são detetados nos primeiros anos de desenvolvimento da criança.

Aos 3 anos de vida

Nesta etapa as crianças começam a reconhecer cores e formas com exatitão e é a etapa chave para fazer a primeira revisão visual da crianças (se antes não foram detetados outros sintomas).

Na revisão oftalmológica vai-se avaliar a agudeza visual e se necessita uma correção ótica.

Será necessário, em muitos casos, realizar uma exploração sob cicloplegia (trata-se de aplicar umas gotas que dilatam a pupila) para saber de forma exata a graduação que vai necessitar. Revisarão os movimentos oculares para poder detetar estrabismos, tratar-los e assim evitar o aparecimento de um olho preguisoço o ambliopia.

Revisão da vista dos 3-12 anos

Durante este período, as crianças começam a escolarização e deve-se realizar revisões anuais para avaliar a agudez visual. Devemos ter em conta que um 80% do que a criança aprende entra pelos olhos.

Muitas vezes as dificuldades na aprendizagem podem ser devido a defeitos visuais, seja porque a crianças necessita óculos ou porque tem problemas na visão binocular (uso de ambos olhos, que é necessária para a visão em 3 dimensões) ou problemas na acomodação-convergência (imprescindível para pôr os olhos em posição de leitura e focar corretamente). Nestes casos podem ser úteis os exercícios de terapia visual.

Revisão da vista aos 12-20 anos

Os adolescentes sofrem mudanças contínuas no seu organismo. Com o desenvolvimento também cabe a possibilidade de que surjam problemas ou mudanças na graduação que antes não tinham, portanto, devem realizar-se revisões cada dois añns para poder descobrir estas mudanças.

Revisão da visão dos 20 aos 40 anos

Normalmente a esta idade a graduação estabiliza-se e, em muitos casos, pode-se estudar a realização da cirurgia refrativa. As pessoas que usam óculos deverão fazer uma revisão anual para poder detetar qualquer alteração da graduação.

O resto deverá fazer uma revisão cada 3 anos, embora haja ausência de sintomas que indiquem problemas visuais, mas é a única forma de detetar-los a tempo. Também deverão avaliar a pressão intra-ocular e o fundo de olho para poder detetar possíveis alterações oculares, como os rasgões de retina nos míopes (que são mais propensos a padecer desprendimento de retina).

Revisão da visão a partir dos 40 anos

A partir dos 40 anos recomenda-se fazer uma revisão cada ano ou cada dois anos, dado que a partir desta idade começam os primeiros sintomas de presbiopia ou vista cansada (problemas para poder focar de perto).

Pode ser necessário ainda medir a pressão intra-ocular e realizar um estudo do nervo ótico, assim como do campo visual, pois nesta idade costuma aparecer glaucoma em muitos casos. Um estudo oftalmológico vai ajudar a prevenir a perda irreversível de visão ao detetar e tratar a pressão intra-ocular elevada, um dos principais sintomas do glaucoma.

Revisão da visão a partir dos 60 anos

Durante este período é essencial a revisão da vista de forma anual para poder detetar a tempo o aparecimento tanto das cataratas como da degeneração macular associada à idade (DMAE).

As cataratas são um dos problemas visuais mais comuns a partir dos 60 anos de idade e poden tratar-se com modificações frequentes na graduação. A cataratas é uma patologia associada com o envelhecimento do cristalino que se pode solucionar com uma cirurgia de cataratas com implante de lente intra-ocular, corrigindo também em grande quantidade de casos, a graduação.

A DMAE é a primeira causa de perda visual irreversível dos países ocidentais em pessoas com mais de 50 anos. Os sintomas são visão central turva, alteração na forma das imagens (metamorfopsia) ou alterações no tamanho das imagens.

A degeneração macular deteta-se com uma serie de provas, que segundo o grau de afetação como o Teste de Amsler, exploração do Fundo de olho, Angiografia de Fluorescência (AGF) ou uma Tomografia de Coerência Ótica (OCT).

Os 10 conselhos para o cuidado da vista

1. Fazer uma Revisão oftalmológica de forma periódica

Como comentámos anteriormente, a melhor forma de diagnosticar e tratar um problema visual é com uma revisão, portanto, devemos acudir ao oculista periodicamente.

2. A alimentação desempenha um papel essencial

Uma alimentação equilibrada é essencial não só para promover a saúde da vista, senão para manter uma correta saúde geral. Devemos aportar ao nosso corpo alimentos que sejam ricos em vitaminas A, C e E, minerais como o zinco e o selénio, pigmentos como a luteína e a zeaxantina e ácidos Ómega 3. Estes nutrientes são muito importantes para manter a adequada função da retina e para atrasar o envelhecimento das estruturas oculares. Alimentos como frutas e legumes, peixe ou frutos secos são essenciais para aportar estes nutrientes.

3. As vitaminas e suplementos para a vista

Podemos sempre apoiar uma alimentação saudável com suplemento alimentares que nos garantam um aporte correto de vitaminas para os olhos.

4. Uma lubrificação ocular correta

O nosso estilo de vida atual faz com que passemos horas a fio em frente ao computador e ao ecrã do telemóvel ou tablet diminuindo de forma considerável a frequência do piscar de olhos. Isto pode provocar em muitos casos secura ocular. Os sintomas da secura costumam ser vermelhidão, dor e lacrimejo por reflexo.

Para evitar a secura, existem gotas para os olhos tanto nestas ocasiões como em situações ambientais, por exemplo com o aquecimento, o ar acondicionado, o fumo dos cigarros, etc. Lubrificar a película lagrimal mantém a superfície ocular transparente.

5. Usa óculos de sol de qualidade com filtro contra os UV

Nem todas os óculos de sol são adequados para proteger os nossos olhos dos raios ultravioleta. Muitos dos óculos que encontramos nas lojas são baratos e com um design muito aclamativo e moderno, mas desde o ponto de vista da saúde ocular, usar-los pode prejudicar bastante.

Os óculos de sol que não estão homologados não só não protegem a vista, senão que podem incrementar o dano. Os óculos de sol não homologados criam um efeito de câmara escura que dilata a pupila e, ao não ter filtros para raios ultravioletas, fazem com que o olho absorva ainda mais os raios nocivos do sol. É imprescindível proteger os nossos olhos durante o dia, mesmo nos dias nublados, com uns óculos de sol homologados com proteção garantida.

6. Usa uns óculos de sol adequados para realizar atividade física

Se realizamos ainda atividade física ao ar livre, além de usar óculos com proteção solar homologados, estes devem proteger os nossos globos oculares de possíveis traumatismos e do dano provocado pelos fatores ambientais como o vento, o cloro da água se praticamos natação, o pó e a areia.

7. Cuidado com os produtos químicos

Se por acidente contaminamos os olhos com um produto químico ou se entra um corpo estranho, é aconselhável lavar de imediato com água limpa em abundância, mesmo antes de acudir ao oftalmologista. Em nenhum caso se devem esfregar os olhos.

8. Um bom hábito de iluminação

Uma boa iluminação é essencial para diminuir a fadiga visual. O olho humano não foi preparado para olhar diretamente a luz senão para ver com luz.

As novas tecnologias avançam mais rápido que a capacidade da nossa visão para adaptar-se a estas luzes artificiais. Existem determinados programas ou aplicações que se podem instalar no computador ou telemóvel e que aplicam um filtro para ajustar a cor para reduzir a luz azul e a fadiga visual nos ecrãs destes dispositivos. Se vamos ler um livro, há que situar o foco de luz atrás de nós e focada no livro.

9. Relaxar a vista

Há que relaxar as estruturas oculares encarregues da acomodação (foco) para reduzir o stress visual. É muito importante retirar a vista do objeto focado (ecrã, livro), cada 15-20 minutos, durante uns 10-15 segundos.

10. Controla a distância

É muito importante manter uma distância correta com os objetos que olhamos. Devemos tentar manter uma distância de 2 metros com respeito ao ecrã de televisão e de 35-40 cms com respeita ao livro ou ecrã do telemóvel e mínimo 50cm do computador.

Vitaminas e suplementos para a saúde dos olhos

Uma dieta saudável rica em alimentos variados, frutas e legumes contém todos os nutrientes necessários para proteger a saúde dos olhos. As vitaminas necessárias para os olhos são: a vitamina A, a vitamina C e a vitamina E. Além das vitaminas é imprescindível o fornecimento de minerais e oligoelementos.

  • A vitamina A. Dentro das vitaminas para a vista, a vitamina a cumpre um papel muito importante ajudando a proteger a saúde ocular e as células fotorrecetoras. Os alimentos que contêm vitamina A são o fígado, as cenouras, os legumes, as batatas, a manteiga e a gema de ovo.
  • As vitaminas C e E ajudam a combater os radicais livres. Podemos encontrar a vitamina C nos seguintes alimentos: salsa, couve, brócolos, cítricos e pimentos. Por outro lado, a vitamina E encontra-se nos óleos vegetais, nas nozes, nos espargos e na couve.
  • Os carotenoides são um grupo de vitaminas A, entre os que se incluem os beta carotenos, licopeno, zeaxantina e luteína. Estas vitaminas protegem contra o dano dos radicais livres, incluindo a degeneração macular, as cataratas e outros problemas da vista relacionados com a idade. As cenouras, os legumes e os tomates são ricos em carotenoides. Podemos encontrar luteína nos seguintes alimentos: nos espinafres e na couve. A gema de ovo contém luteína, que é uma substância que o corpo não pode produzir e que, portanto, devemos aportar ao organismo através da ingestão dos alimentos que a contêm.
  • Os polifenóis reforçam a vista. Os alimentos que os contêm são: os mirtilos, as groselhas, as bagas Maqui e as sementes de uva.
  • A astaxantina é um dos antioxidantes mais poderosos. Melhora a visão e ajuda a proteger a retina dos danos da luz ultravioleta. Os suplementos dietéticos são uma boa alternativa, já que contêm todos os nutrientes que os olhos necessitam receber diariamente. Com ajuda destes suplementos pode-se proteger a saúde ocular e regenerar a vista quando surgem problemas.
  • Os ácidos gordos Ómega-3. Dentro dos suplementos para a vista, los Ómega-3 desempenham um papel muito importante para prevenir doenças da retina como a DMAE e para a produção de lágrima, que mantém o olho humedecido. Os ómega-3 são muito recomendados entre as pessoas que sofrem a síndrome do olho seco.
  • O zinco é um mineral muito importante para cuidar da nossa vista, já que se trata de um poderoso antioxidante, que pode ajudar o corpo a assimilar a vitamina A e a proteger os nossos olhos da degeneração macular.
  A Carregar...